Arquivo da categoria: Atletismo

Coe e Bubka duelam nas urnas

A Federação Internacional de Atletismo elegerá seu novo presidente nesta quarta-feira, 19: Sebastian Coe e Sergey Bubka são os candidatos.

É como se Pelé e Zico disputassem a presidência da CBF.

O inglês Sebastian Coe, que corria os 800 e os 1500 metros, tem dois ouros e duas pratas olímpicos e estabeleceu 11 recordes mundiais ao longo da carreira.

O ucraniano Sergey Bubka ganhou o ouro no salto com vara na Olimpíada de 1988, competindo pela União Soviética, foi oito vezes campeão mundial, quatro pela URSS e quatro pela Ucrânia, e bateu 35 vezes o recorde mundial da prova.

Anúncios

Nem na Olimpíada se viu algo igual

Fabiana Murer: sorriso dourado por medalha de prata

Fabiana Murer: sorriso dourado por medalha de prata em prova histórica

Uma prova para ficar na história: a cubana Yarisley Silva conquistou o ouro em Toronto ao bater o recorde do salto com vara nos Jogos Pan-Americanos com 4,85m. Em Londres/2012, ela ganhou a prata olímpica com 4,75 m.

A prata em Toronto é da brasileira Fabiana Murer, que saltou 4,80m, a segunda melhor marca da prova em toda a história do Pan. Na Olimpíada, ela não passou de 4,50m nas eliminatórias.

E o bronze ficou com a norte-americana Jennifer Suhr, campeã olímpica em Londres também com um salto de 4,75m. Em Toronto, saltou apenas 4,60m.

Que emoções e e recordes sejam reprisados na Olimpíada do Rio!

Cruz espera pouco do atletismo brasileiro na Rio-16

Joaquim Cruz não bota muita fé no desempenho dos brasileiros nas provas de atletismo da Rio-16, segundo revelou a Rodolfo Lucena, da Folha.

Em rápida passagem por São Paulo para o lançamento de Matador de Dragões, sua biografia escrita pelo jornalista Rafael De Marco, o campeão olímpico dos 800 m em 1984 citou Fabiana Murer como exceção e disse que o Mundial de Atletismo marcado para a última semana de agosto em Pequim dará a real medida das chances brasileiras:

– Brasileiro que não chegar às finais dificilmente vai chegar às finais no ano que vem; brasileiro que chegar em sétimo, oitavo, dificilmente vai ao pódio no Rio.