Arquivo da tag: Yarisley Silva

Valeu, Fabiana!

Fabiana Murer: única medalha brasileira no Mundial de Pequim

Fabiana Murer: única medalha brasileira no Mundial de Pequim

Fabiana Murer é vice-campeã mundial do salto com vara.

Há pouquinho, na noite desta quarta-feira em Pequim, a cubana Yarisley Silva garantiu  o ouro ao saltar 4,90m em sua última tentativa. A brasileira, que sonhava repetir o feito de quatro anos atrás em Daegu, saltou 4,85m. A grega Nikoléta Kyriakopoúlou acabou em terceiro lugar, com 4,80m.

A final do salto com vara foi do jeito que Fabiana tinha previsto na segunda-feira após a prova de classificação:

– Acho que é preciso saltar na faixa de 4,90m para ser ouro e pelo menos 4,80m para pegar medalha.

Em todas as edições do Mundial, o Brasil tem agora seis pratas,  cinco bronzes e o ouro conquistado pela própria Fabiana Murer em 2011.

Aos 34 anos, a campineira Fabiana de Almeida Murer é a única esperança do atletismo brasileiro de subir ao pódio na Rio-16.

É o que já havia previsto Joaquim Cruz em entrevista a Rodolfo Lucena, da Folha, quando veio a São Paulo em março para o lançamento de sua biografia. Depois de citar Fabiana Murer como exceção, o campeão olímpico dos 800m em 1984 avisou:

– Brasileiro que não chegar às finais no Mundial dificilmente vai chegar às finais no ano que vem; brasileiro que chegar em sétimo, oitavo, dificilmente vai ao pódio no Rio.

Anúncios

Nem na Olimpíada se viu algo igual

Fabiana Murer: sorriso dourado por medalha de prata

Fabiana Murer: sorriso dourado por medalha de prata em prova histórica

Uma prova para ficar na história: a cubana Yarisley Silva conquistou o ouro em Toronto ao bater o recorde do salto com vara nos Jogos Pan-Americanos com 4,85m. Em Londres/2012, ela ganhou a prata olímpica com 4,75 m.

A prata em Toronto é da brasileira Fabiana Murer, que saltou 4,80m, a segunda melhor marca da prova em toda a história do Pan. Na Olimpíada, ela não passou de 4,50m nas eliminatórias.

E o bronze ficou com a norte-americana Jennifer Suhr, campeã olímpica em Londres também com um salto de 4,75m. Em Toronto, saltou apenas 4,60m.

Que emoções e e recordes sejam reprisados na Olimpíada do Rio!