Arquivo mensal: outubro 2015

O placar é: Santos 4 x 1 Palmeiras

Calma, gente: estamos falando do jogo deste sábado, disputado no CT Rei Pelé, pela terceira fase do Paulista Sub-20.

A molecadinha do Santos vai encarar na quarta fase o vencedor de Mogi Mirim x Red Bull Brasil.

O jogo do domingo, pelo Brasileirão, é outra história.

Anúncios

Está chegando a hora, Maitê

Maitê:

Maitê: “Vou vir só com uma coleira, escrito Botafogo”

Poderia ser neste sábado, se o Santa Cruz, o Paysandu e o Náutico também não tivessem vencido seus jogos, mas muito provavelmente será no próximo que o Botafogo garantirá matematicamente o retorno à Primeira Divisão em 2016.

Hoje, em casa, o líder da Série B venceu o Bahia por 1 a 0 e chegou a 65 pontos. São  12 pontos e cinco vitórias a mais do que o Sampaio Correa, quinto colocado, e 13 pontos a mais do que o trio que se espalha do sexto ao oitavo lugar e teoricamente também pode alcançá-lo.

Para liquidar a conta no sábado que vem, bastará ao Bota vencer o Criciúma em Santa Catarina.

Como prometeu no programa Extra Ordinários, do SporTV, quando a bola ainda começava a rolar na Segundona,  a botafoguense Maitê Proença vai festejar o retorno do seu time à elite do futebol brasileiro usando o mesmíssimo traje com que veio ao mundo.

Na edição que vai ao ar no dia 8, a estrela deve cumprir a promessa feita em março:

– Fico pelada, fico peladíssima. Vou vir só com uma coleira, escrito Botafogo.

São Paulo bate Sport e volta à luta contra o Santos

Michel Bastos: em resposta às vaias, o gol

Michel Bastos: em resposta às vaias, o gol

O Palmeiras vai chorar até o final do Brasileirão os três pontos perdidos em casa para o Sport na rodada passada. Foi a única vitória do time pernambucano como visitante.

Neste sábado, no Morumbi, o Sport voltou à rotina de tombar fora de casa – desta vez, sem Diego Souza, por elásticos 3 a 0 diante do São Paulo.

Poucos foram os são-paulinos que se animaram a ver o jogo, alguns apenas para vaiar parte do time, que merecia tratamento mais carinhoso pois jogou o suficiente para merecer os 3 a 0, gols de Ganso e Luís Fabiano no primeiro tempo e de Michel Bastos, um dos vaiados, no segundo.

O São Paulo está momentaneamente no G-4, com 53 pontos, e, para de lá não sair nesta 33ª rodada, torce por uma vitória do Palmeiras sobre o Santos ou pelo menos um empate, amanhã na Vila Belmiro.

Afinal, o outro time que pode ultrapassá-lo é o Internacional, que para tal precisaria golear o Goiás por dez gols de diferença.

A bola está com o Santos dos artilheiros Ricardo Oliveira e Gabigol. Depois de tirar o São Paulo da Copa do Brasil, vai ter de enfrentá-lo, rodada a rodada, pela vaga no G-4 do Brasileirão.

Mourinho diz que não foi seu último jogo pelo Chelsea

Muitos torcedores foram embora pouco depois que Benteke fez 3 a 1 para o Liverpool a menos de dez minutos do final do jogo, consolidando  a virada que o brasileiro Philippe Coutinho construíra com um gol aos 47 do primeiro tempo e outro aos 28 do segundo.

Outros cantaram que Mourinho já não é mais “especial”.

O treinador do Chelsea mal falou com os jornalistas, repetindo exaustivamente:

– Não tenho nada a dizer.

Mais tarde, respondeu secamente à dúvida de um repórter:

– Se eu acho que este foi o meu último jogo no Chelsea? Não, não acho e não foi.

Com 11 pontos ganhos em 11 jogos, o Chelsea está em 15º lugar no Campeonato Inglês, 14 pontos atrás do líder Manchester City e do vice-líder Arsenal, apenas cinco à frente do Sunderland, que abre a zona de rebaixamento e amanhã visitará o Everton.

Desde 2011, o Corinthians não vence com o juiz de amanhã

Há quatro anos, que se completarão na quinta-feira, dia 5, o Corinthians não vence um jogo apitado por Heber Roberto Lopes, escalado pela CBF para o jogão de amanhã no Independência.

Em dez jogos apitados pelo árbitro paranaense desde 2011, o Corinthians perdeu quatro e empatou seis – mostra detalhadamente Cosme Rímoli em seu blog  no portal R7.com.

É claro que o Atlético Mineiro gostou da indicação de Heber Roberto Lopes. Não se pergunte a opinião dos corintianos.

Se assim foi, assim será?

Jorginho e Zinho: rendimento para tirar Vasco do Z-4

Jorginho e Zinho: rendimento para tirar o Vasco do Z-4

O Fluminense não tem mais o que fazer neste Campeonato Brasileiro. Nem cai nem chega sequer ao G-4. O Vasco joga a vida no clássico do domingo e nas cinco rodadas seguintes. Tem chances, pequenas, de escapar ao rebaixamento e não pode mais marcar nenhuma bobeira até o jogo do dia 6 de dezembro com o Coritiba no Paraná.

Então, vai dar Vasco?

– Tem de dar Vasco – buzina em meu ouvido a nossa Maria Antonieta, que caprichou nos brioches servidos no café da manhã da redação.

Nem imagino como ela arranjou tempo para preparar a mesa e as comidinhas, tão envolvida anda com números e cálculos desde que o Vasco desandou a empatar nas última rodadas, desperdiçando chances preciosas de sair do Z-4.

E, junto com os brioches, ela me serviu números variados para provar por que vai dar Vasco amanhã no Engenhão e na reta final do campeonato. Maria Antonieta não pensa em outra coisa e, assim, vai acabar no departamento de estatística deste Benebol. Já estou com saudades dos brioches.

Para começar a nos convencer de que vai dar novamente Vasco na Série A em 2016, ela fez as contas do aproveitamento, nas seis rodadas anteriores, de cada um dos seis times que ainda correm risco de morrer no Z-4 e projetou o índice para as seis rodadas finais:

Vasco e Figueirense ganharam 55,5% dos 18 pontos em jogo da 27ª à 32ª rodada; Joinville, 38,8%; Avaí, 27,7%; Goiás e Coritiba, 16,6%.

Se repetirem tal rendimento da 33ª rodada, que começa hoje, até a 38ª, que será disputada em 6 de dezembro, os seis chegariam ao fim do Brasileirão nas seguintes posições:

15º – Figueirense – 45 pontos

16º – Vasco – 40 pontos

17º – Avaí – 39 pontos

18º – Joinville – 37 pontos

19º – Coritiba – 36 pontos

20º – Goiás – 34 pontos

Ufa! Pelas contas da nossa copeira, o Vasco escapou? E amanhã, contra o Flu, como se sairá?

Nem o PVC nem o Celso Unzelte têm tantos números na cabeça. Maria Antonieta não tem dúvida:

– Este está virando freguês. A última vez que perdemos para o Fluminense foi em 25 de agosto de 2012, aqueles 2 a 1 que fecharam o primeiro turno do  Brasileirão. Juninho Pernambucano ainda jogava bola. De lá para cá, foram mais dez jogos, ganhamos sete e empatamos três. Amanhã, vamos ganhar o oitavo. Jorginho e Zinho podem ir pensando no jogo contra o Palmeiras, domingo que vem, em São Paulo.

Maria Antonieta tem certeza:

– Se assim foi, assim será.