Arquivo diário: 10 de outubro de 2015

Massa vai ficando para trás

Sem ter marcado pontos em Cingapura e no Japão, o que o derrubou do quarto para o sexto lugar  no Mundial de Pilotos, o brasileiro Felipe Massa corre o risco de piorar ainda mais de posição no GP da Rússia de amanhã

No treino de classificação desta manhã no circuito de Sochi, ficou em 15º lugar, três posições atrás do compatriota Felipe Nasr, da Sauber, e 13 do companheiro de Williams, Valtteri Botas, que é o quinto colocado no campeonato e vai largar na segunda fila neste domingo. Na primeira, Nico Rosberg e Lewis Hamilton, a dupla quase imbatível da Mercedes.

Massa, sexto colocado na atual temporada da Fórmula 1, estacionou nos 97 pontos, 14 a menos do que Bottas, 24 à frente de Daniel Ricciardo, da RBR, sétimo colocado.

Cada vez mais reclamão, como se estivesse reencarnando Rubinho Barrichello também nas entrevistas, Massa chiou depois do treino, com desculpa em dose dupla: “eu peguei trânsito”, “meus pneus traseiros estavam já completamente sem aderência”.

explicado.

Anúncios

EUA e México decidem vaga na Copa das Confederações

Klinsmann:

Klinsmann: “É hora de dar tudo”

As seleções dos Estados Unidos, campeã da Copa Ouro em 2013, e do México, campeã em 2015, disputarão hoje, no Rose Bowl, estádio em que o Brasil ganhou o tetra mundial, a vaga de representante da Concacaf na Copa das Confederações.

O jogo é encarado com otimismo pelo alemão Jurgen Klinsmann, treinador da seleção norte-americana, que disse ao site da Fifa (leia a entrevista em espanhol  ou em inglês) :

– Trabalhamos durante toda a semana para que o grupo de jogadores esteja em sintonia e compreenda como é importante esta chance de conquistar um troféu diante de 90 mil torcedores contra um grande rival. É hora de dar tudo. Se fizermos isso, estou certo de que venceremos.

O sérvio Bora Milutinovic, que comandou o México na Copa do Mundo de 1986 e os Estados Unidos em 1994 e conhece muito bem o futebol internacional, não acha que a força de vontade dos norte-americanos possa decidir o jogo desta noite em Los Angeles:

– Todos conhecemos a  mentalidade norte-americana. Eles sempre querem ser os melhores do mundo e trabalham para isso. Acontece que o futebol mexicano tem mais talentos e isso equilibra a balança.

Na entrevista ao site da Fifa (em espanhol  ou em inglês), Milutinovic aposta no México “por uma razão muito clara”:

– Neste momento, o México tem mais qualidade em suas fileiras. O time dos  Estados Unidos não é mais aquele de anos passados. E o que ganha um jogo é a qualidade dos jogadores. A história não joga, a camisa não joga. Se um time tem mais qualidade e sabe disso, forçosamente é o favorito.

A conferir, a partir das 22 horas (do Brasil).

O vencedor será o quinto time garantido na Copa das Confederações de 2017, juntando-se a Rússia, anfitriã, Alemanha, campeã mundial, Chile, campeão da Copa América, e Austrália, campeã da Copa da Ásia.

Os mexicanos terão um ilustre torcedor no Rose Bowl: recém contratado para levar sua seleção à Copa do Mundo de 2018, o colombiano Juan Carlos Osorio estará dando força ao interino Tuca Ferretti.

Atualização

Já na madrugada brasileira do domingo, 11 de outubro, depois do 1 a 1 nos 90 minutos, a prorrogação de 30 minutos no Rose Bowl se encerra com a vitória mexicana por 3 a 2.

O México, que será então comandado por Juan Carlos Osorio, vai à Copa das Confederações de 2017.