Arquivo da categoria: Campeonato Brasileiro

Vamos navegar em novas águas

Uma boa notícia para quem acompanha este blog, nascido em 8 de março: estamos em nova e grandiosa embarcação para navegar os mares da internet – o portal R7.

Acesse o novo Benebol ou anote o endereço para aparecer sempre por lá: esportes.r7.com/blogs/benebol/

Venha com a gente.

Anúncios

Flamengo de Muricy é a esperança do futebol carioca

Muricy Ramalho no Fla: "O clube está pronto para crescer"

Muricy Ramalho no Fla: “O clube está pronto para crescer”

Não se pode dizer que a primeira gestão de Eduardo Bandeira de Mello tenha feito sucesso no futebol: 12º colocado no Brasileirão de 2015, décimo em 2014, 16º em 2013, o Flamengo patina na mediocridade geral em que se afundou o futebol carioca nas últimas temporadas.

Tendo perdido o apoio do ídolo Zico ao longo do primeiro mandato, Bandeira se reelegeu nesta segunda-feira com a promessa de que vai recolocar o Flamengo no topo do futebol brasileiro. Começou bem ao confirmar o que todo mundo já sabia: Muricy Ramalho vai comandar o trabalho de ressurreição do futebol rubro-negro.

Com as contas em dia e as dívidas devidamente equacionadas, pelo menos segundo os seus dirigentes, o Flamengo teria fôlego para montar um time mais forte em 2016, construir finalmente um centro de treinamento, modernizar a precária estrutura do departamento de futebol e voltar a sonhar com títulos.

Muricy Ramalho está animado, talvez até demais:

– O Flamengo não atrasou salário nenhum dia esse ano. A parte administrativa está estruturada, a parte da dívida está estruturada. O clube está pronto para crescer. Me falaram que a estrutura do CT não é boa, mas nós vamos melhorar isso. Com certeza, o Flamengo em pouco tempo será fortíssimo em termos de estrutura e títulos. O Flamengo é grande, quem não quer dirigir o Flamengo? Por isso aceitei esse desafio. É um gigante do futebol mundial, tem uma gestão profissional e muito séria.

Se conseguir tempo e tranquilidade para realizar os sonhos do clube que demitiu três treinadores na atual temporada, Muricy estará ajudando todo o futebol carioca, que chega ao fim de 2015 com o Vasco rebaixado, o Flamengo e o Fluminense colocados na metade inferior da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, abaixo de todos os seus concorrentes de São Paulo, Minas e Rio Grande do Sul.

O quadro esportivo é tão grave que a melhor notícia do ano é botafoguense: a conquista do título da Segundona.

A crise técnica se reflete fora de campo, claro.

A torcida do Flamengo não tem negado força do time, tanto que, em casa, é responsável pela segunda melhor média de público no Brasileirão: 30.962 pagantes por jogo, apenas 3.187 a menos do que o campeão Corinthians. Acontece, porém, que o Corinthians faturou quase R$ 39 milhões nas bilheterias; o Fla, pouquinho mais de R$ 26 milhões. Os jogos do Corinthians têm 73% dos assentos vendidos; os do Flamengo, 41%.

Bem mais grave é a situação do Fluminense, com média de 16.351 pagantes por jogo em casa, e do Vasco, com apenas 12.874.

Ou Muricy muda as coisas no Flamengo e o Flamengo dá partida numa mudança radical na gestão dos clubes do Rio ou o futebol carioca vai virar logo, logo uma mera referência histórica.

Ou Muricy salva o Fla ou o futebol carioca vai pro beleléu.

Desta vez, Eurico Miranda acertou

Eurico Miranda: "O responsável pelo rebaixamento sou eu"

Eurico Miranda: “O responsável pelo rebaixamento sou eu”

Na entrevista coletiva em que está deitando falação e jogando pedras em Roberto Dinamite,  realmente tão culpado quanto ele pelos repetidos vexames do Vasco nos últimos sete anos, o cartola Eurico Miranda disse pelo menos uma verdade:

– Eu não passo a responsabilidade por essa queda do Vasco para ninguém. A responsabilidade é minha.O único e exclusivo responsável pelo rebaixamento sou eu.

O site Netvasco exibe uma enquete, neste momento com quase 10 mil votos que comprovam o quanto Eurico Miranda está certo no que acaba de reconhecer aos jornalistas em São Januário:

De quem é a culpa pelo rebaixamento do Vasco no Brasileiro?

Arbitragem (981 votos – 10,29%)
Celso Roth (2225 votos – 23,35%)
Doriva (159 votos – 1,67%)
Eurico (5675 votos – 59,56%)
Fatalidade (199 votos – 2,09%)
Jogadores (253 votos – 2,66%)
Jorginho (37 votos – 0,39%)

No final de 2008, a mesma enquete teve as seguintes respostas:

Arbitragem (253 votos – 1,93%)
Dinamite (1779 votos – 13,59%)
Eurico (8972 votos – 68,54%)
Fatalidade (206 votos – 1,57%)
Jogadores (1026 votos – 7,84%)
Lopes (92 votos – 0,70%)
Renato (87 votos – 0,66%)
Tita (676 votos – 5,16%)

No final de 2013, foram estas as respostas:

Arbitragem (235 votos – 1,87%)
Dinamite (10510 votos – 83,82%)
Fatalidade (203 votos – 1,62%)
Jogadores (889 votos – 7,09%)
Paulo Autuori (264 votos – 2,11%)
Dorival Jr. (340 votos – 2,71%)
Adílson Batista (98 votos – 0,78%)

A torcida está certa. Realmente, o rebaixamento para a Série B em 2016 é obra de Eurico, como o rebaixamento em 2014 foi obra de Dinamite e o de 2009 foi obra conjunta da dupla.

Eurico, que não para de falar, já disse também que não vai cumprir a promessa de se mudar para a Sibéria. Ou seja: o Vasco continuará correndo perigo.

Um prêmio de consolação para os colorados

Como dizem os gaúchos, o Internacional andou costeando o G-4, mas ficou de fora por dois pontos.

O quinto lugar do Brasileirão, embora frustrante, lhe reserva um prêmio de consolação além da cota de R$ 2,2 milhões que lhe pagará a CBF: a entrada diretamente na fase de oitavas de final da Copa do Brasil de 2016, livrando-o dos jogos cansativos e deficitários das fases iniciais.

Se não tivesse vencido o Cruzeiro neste domingo, o Inter perderia tais benesses para o Sport.

O novo mapa da elite

A única região que não emplacou nenhum time no Brasileirão de 2015 foi o Norte. Em 2016, com o rebaixamento do Goiás, o Centro-Oeste também ficará fora da mais importante competição do futebol brasileiro.

O Nordeste, representado exclusivamente pelo Sport em 2015, terá o reforço de Santa Cruz e Vitória, vindo da Série B.

O Sul, que participou de 2015 com oito representantes, perderá duas vagas – as dos rebaixados Figueirense e Joinville.

O Sudeste perderá o Vasco em 2016, mas terá de volta o Botafogo e ganhará mais um representante vindo da Série B, o América Mineiro.

Assim, de Sul a Nordeste, o  Brasileirão de 2016 terá dois times gaúchos, dois catarinenses, dois paranaenses, cinco paulistas, três cariocas, três mineiros, um baiano e dois pernambucanos

É o fim

Vascaínos choram no Couto Pereira @0612@

Encerra-se assim o domingo:

♦ Em vários jogos, antes que a bola começasse a rolar de verdade, os jogadores cruzaram os braços pedindo a renúncia do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, que espertamente está de licença.

♦ Nunca houve campeão como o Corinthians desde que o Brasileirão dos pontos corridos é disputado por 20 times.

♦ O Atlético Mineiro é o vice-campeão de 2015, repetindo o que fizera em 1977, 1980, 1999 e 2012.

♦ O São Paulo vai disputar a Libertadores de 2016, direito que Corinthians, Atlético Mineiro e Grêmio já tinham assegurado no Brasileirão e o Palmeiras na Copa do Brasil.

♦ Figueirense, Vasco e Goiás se juntam ao Joinville para disputar em 2016 a Segundona.

♦ Eurico Miranda está de mudança para a Sibéria.

Um domingo para entrar na história do Brasileirão

Além de definir o vice-campeão de 2015 e os três times que vão fazer companha ao Joinville na Segunda Divisão no ano que vem, os jogos da última rodada do Campeonato Brasileiro carregam a possibilidade de alguns feitos históricos:

♦ Bastará o empate com o Avaí para transformar o Corinthians no mais bem sucedido campeão brasileiro desde que o título por pontos corridos passou a ser disputado por 20 times em 2006. Hoje, o Corinthians tem 80 pontos, como o Cruzeiro campeão do ano passado.

♦ Se vencer em casa, como é provável, o Corinthians se tornará o campeão de melhor aproveitamento na era dos pontos corridos, com 72,8%, novamente superando o Cruzeiro, que em 2003 obteve 72,5% dos pontos que disputou em 46 rodadas.

♦ A vitória sobre a Chapecoense fará do Atlético Mineiro vice-campeão brasileiro pela quinta vez. As outras foram em 1977, 1980, 1999 e 2012.

♦ Sem os ídolos Rogério Ceni e Luís Fabiano, forçados por contusão a se despedir da camisa tricolor de fora dos campos, o São Paulo tem de pelo menos empatar com o Goiás para completar com o Corinthians e o Palmeiras o Trio de Ferro paulistano na Libertadores de 2016.

♦ Se derrotar o Coritiba e o Figueirense não vencer o Flu nem Avaí vencer o Corinthians, o Vasco escapará do terceiro rebaixamento para a Segunda Divisão depois de ter vivido 34 rodadas no Z-4.

♦ No ano em que perdeu um GreNal por 5 a 0 e venceu o Vasco por 6 a 0, o Internacional precisará  – precisaria, é melhor dizer – golear o Cruzeiro no Beira-Rio por 7 a 0 para garantir a classificação à Libertadores se der empate no jogo Goiás x São Paulo.

♦ Tendo vencido fora de casa apenas o Palmeiras, o Sport pode subir para o quinto lugar se derrotar a Ponte Preta em Campinas e o Inter não vencer o Cruzeiro. É a melhor classificação de uma equipe do Nordeste no Brasileirão disputado em pontos corridos, só alcançada uma vez – pelo Vitória, em 2013, com os mesmos 59 pontos que o Sport teria agora.

Prepare-se para viver emoções históricas a partir das 17 horas.