Arquivo da tag: Copa do Brasil

Um prêmio de consolação para os colorados

Como dizem os gaúchos, o Internacional andou costeando o G-4, mas ficou de fora por dois pontos.

O quinto lugar do Brasileirão, embora frustrante, lhe reserva um prêmio de consolação além da cota de R$ 2,2 milhões que lhe pagará a CBF: a entrada diretamente na fase de oitavas de final da Copa do Brasil de 2016, livrando-o dos jogos cansativos e deficitários das fases iniciais.

Se não tivesse vencido o Cruzeiro neste domingo, o Inter perderia tais benesses para o Sport.

River e Sportivo Luqueño ajudam times que brigam pelo G-4

Ninguém deu muito bola para a desclassificação do Atlético Paranaense e da Chapecoense nas quartas de final da Copa Sul-Americana, mas se trata de dupla boa notícia para os times que ainda estão na briga por vaga no G-4 do Camnpeonato Brasileiro.

O campeão da Copa Sul-Americana tem direito a uma das vagas do seu país na Libertadores de 2016 – e, portanto, se fosse o Atlético ou a Chapecoense, o G-4 do Brasileirão seria reduzido para G-3, com os lugares já ocupados por Corinthians, Atlético Mineiro e Grêmio.

Santos, São Paulo, Internacional, Sport, Palmeiras e Ponte Preta devem a chance de continuar na briga pela Libertadores ao River Plate, que desclassificou a Chapecoense, e ao Sportivo Luqueño, que desclassificou o Atlético Paranaense.

Melhor ainda para os demais pretendentes: como o campeão da Copa do Brasil também tem presença garantida na Libertadores, o quinto colocado no Brasileirão pode sonhar com a vaga.

Basta que o campeão da Copa do Brasil, Santos ou Palmeiras, também se garanta no G-4.

Ricardo Oliveira faz a diferença

Do dia 13 até ontem, 28 de outubro, Ricardo Oliveira participou de cinco jogos: Brasil 3 x 1 Venezuela, pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo; Santos 3 x 1 Goiás e Figueirense 0 x 0 Santos, pelo Brasileirão; São Paulo 1 x 3 Santos e Santos 3 x 1 São Paulo, pela Copa do Brasil.

Marcou seis gols.

E dê-se ao artilheiro santista um duplo desconto: contra o Figueirense, o único dos cinco jogos em que passou em branco, entrou em campo aos 25 minutos do segundo tempo; contra a Venezuela, foi substituído por Hulk aos 35 do segundo tempo.

No mesmo período, o São Paulo de Luis Fabiano, Alan Kardec e Alexandre Pato também jogou cinco vezes: perdeu por 2 a 0 para o Fluminense, empatou por 2 a 2 com o Vasco e venceu o Coritiba por 2 a 1, pelo Brasileirão; e perdeu duas vezes para o Santos por 3 a 1 na Copa do Brasil.

Marcou seis gols, portanto.

Isso talvez explique alguma coisa sobre a eliminação do Tricolor nas semifinais da Copa do Brasil e o quinto lugar no Brasileirão, uma posição atrás do Santos.

Nasce mais um ídolo rubro-negro

Guerrero 187 aGuerrero se encontra finalmente com a torcida no Maracanã e dá mais uma vitória ao Fla

Três vezes ele vestiu a camisa do Flamengo, três vezes ele fez gol.

 A primeira, há 10 dias, quase escondido no Beira-Rio, diante de apenas 10.931 torcedores, ao estrear fora de casa, nos 2 a 1 sobre o Internacional pela 12ª rodada do Brasileirão. Ele abriu o placar logo aos 10 minutos e, aos 20 do segundo tempo, ainda fez a assistência para Everton marcar o segundo gol rubro-negro.

A segunda, na quarta-feira, diante de 16.744 torcedores na Arena Pernambuco. Ele fechou em 2 a 0 a vitória sobre o Náutico que garantiu o Flamengo nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Na terceira, finalmente Paolo Guerrero se encontrou com a massa rubro-negra no Maracanã e, diante de 51.055 torcedores (dos quais, apenas 44.318 pagaram ingresso), manteve a escrita: aos 40 minutos, como se fosse o Flamengo que mandasse no jogo e não o Grêmio, fez 1 a 0.

Foi o bastante para afastar qualquer possibilidade de o Fla terminar a rodada na zona de rebaixamento do Brasileirão.

E mais: a vitória do Fla sobre o Grêmio dá um certo fôlego ao Corinthians, que ainda lhe paga o salário de julho e só correrá o risco de deixar o G-4 nesta rodada se, daqui a pouco, perder para o Atlético Mineiro por diferença de mais de um gol.

Isso é que é um trabalhador de dupla jornada. O Corinthians sabe bem o que perdeu ao deixar o goleador colombiano trocar de emprego em pleno Brasileirão.

Está nascendo mais um ídolo rubro-negro.

É só encontrar a maneira de jogar…

Celso Roth: "O Vasco ainda procura a sua maneira de jogar"

Celso Roth: “O Vasco ainda procura sua maneira de jogar”

O Vasco está mal, muito mal, mal demais no Brasileirão?

Em 13 rodadas, venceu apenas dois jogos, perdeu oito, marcou cinco gols, levou 21?

Foi derrotado nos três últimos jogos, é vice-lanterna e vai enfrentar o vice-líder Fluminense no domingo, depois de receber amanhã o América de Natal em São Januário pela Copa do Brasil?

Não se preocupe, vascaíno.

O técnico Celso Roth sabe muito bem o que está acontecendo:

– A verdade é que o Vasco ainda procura a sua maneira de jogar. Ainda não conseguimos colocar tudo o que gostaríamos em campo.

É, pois, só uma questão de encontrar a maneira de jogar.

Quando?

 A gente fala disso depois.

Copa do Brasil: restam 18 vagas na segunda fase

Encerrados os jogos desta semana pela primeira fase da Copa do Brasil, já estão definidos quatro dos 20 confrontos da segunda:

  • Sampaio Corrêa x Palmeiras
  • Salgueiro x Flamengo
  • Independente-PA x Goiás
  • Paysandu x ABC

Outros 14 times também já estão classificados, mas ainda aguardam a definição dos adversários que enfrentarão na segunda fase:

  • ASA
  • Capivariano
  • Figueirense
  • Chapecoense
  • Portuguesa
  • Coritiba
  • Ponte Preta
  • Cuiabá
  • América-RN
  • Tupi-MG
  • América-MG
  • CRB
  • Criciúma
  • Luverdense

Vitória, Anapolina, Botafogo, Botafogo-PB, Avaí, Ceov, Madureira, Maringá, Santos, Londrina, Sport, Cene, Paraná, Jacupiense, Náutico, Brasília, Joinville, Ituano, Fortaleza, River, Boa, Moto Club, Vasco, Rio Branco, Atlético-GO, Coruripe, Remo, Atlético Paranaense, Ceará, Confiança, Grêmio, Campinense, Bragantino, Lajeadense, Bahia e Nacional continuarão a briga pelas 18 vagas restantes na segunda fase da competição que valerá ao campeão a presença na Libertadores de 2016.

Quem dá bola para a Copa do Brasil?

A Copa do Brasil é a segunda mais importante competição de clubes do País, reúne num imenso caldeirão times de A a Z, de Norte a Sul, vale uma vaga na Libertadores e veste o figurino do mata-mata que tanto agrada a executivos globais e cartolas de variadas espécies.

Mesmo assim, a Copa do Brasil toca cada vez menos a alma do torcedor, tão mal promovida que é no dia a dia.

Hoje serão disputados 16 jogos, nem todos com forte apelo para o distinto público, mas estarão em campo equipes capazes de mobilizar a torcida pelo Brasil afora – como o Vasco, o Botafogo, o Grêmio, o Bahia – e muitas outras com grande torcida regional.

Pouca gente, porém, vai dar atenção a tantos jogos, numa noite em que o Corinthians e o São Paulo entram em campo pela Libertadores, a mais importante competição de clubes das Américas.