Arquivo da tag: Guerrero

Flamengo garante reforço para a próxima temporada

Guerrero: reforço para 2016

Guerrero: esperando 2016 chegar

O Flamengo ainda vai escolher o presidente, talvez mude de técnico, mas já conta com um grande reforço para a próxima temporada.

Há quem garanta que José Paolo Guerrero Gonzales, aquele que era ídolo do Corinthians e divide com Teófilo Cubillas a honra de maior artilheiro da seleção peruana em todos os tempos, voltará ao futebol em 2016 com a camisa do Fla.

É possível, até mesmo provável, pois não se pode acreditar que, aos 31 anos, que serão 32 no primeiro dia de 2016, Guerrero tenha desaprendido a jogar futebol e já não reconheça em campo os caminhos que levam ao gol.

Neste 2015, depois de marcar pelo Corinthians seis gols no Paulistão e quatro na Libertadores, o artilheiro peruano foi para o Flamengo, estreou no dia 8 de julho com um gol nos 2 a 1 sobre o Internacional, pela 12ª rodada do Brasileirão, e de lá para cá marcou apenas mais três vezes, uma delas na Copa do Brasil.

Pelo Peru, fez quatro gols na Copa América, dividindo com o chileno Eduardo Vargas a posição de artilheiro da competição. Em quatro jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo, no entanto, marcou um golzinho só – na derrota para o Chile por 4 a 3, no dia 13 de outubro.

O último gol de Guerrero pelo Fla já tem mais de três meses, foi em 23 de agosto – nos 2 a 1 sobre o São Paulo pela 20ª rodada do Brasileirão.

A escassez de gols é contrabalançada pela abundância de cartões amarelos, oito em 15 jogos, aos quais se deve acrescentar um vermelho.

O Flamengo não fez bem a Guerrero, que não fez bem ao Flamengo. No domingo, punido mais uma vez pelo acúmulo de cartões, ele não jogará contra o Atlético Paranaense. Não jogará mesmo. Ou seja: nem entrará em campo.

Melhor assim, Guerrero tem de se guardar para quando 2016 chegar. O Flamengo será outro quando Guerrero voltar ao futebol.

O Corinthians bota o Atlético para correr

Vágner Love: gol da vitória sobre o Flamengo

Vágner Love: gol da vitória sobre o Flamengo de Guerrero

Lá vai o Atlético Mineiro correr em vão contra Ponte Preta no Independência pois o Corinthians de Vágner Love, mesmo sem jogar bem, derrotou o Flamengo de Paolo Guerrero no Itaquerão por 1 a 0 e chegou a 70 pontos.

Parece que Vágner Love se reencontrou com o gol. Foi ele que garantiu o 1 a 0 aos 47 minutos do primeiro tempo.

Se vencer daqui a pouco, o vice-líder se manterá a oito pontos do Corinthians, distância que não lhe dá muita esperança de ainda brigar pelo título brasileiro, mas pelo menos salvará a bilheteria do jogo entre ambos, domingo que vem, lá no Independência.

Ficou mais animada a briga pela última vaga no G-4 do Brasileirão: Santos, em quarto lugar, São Paulo, em quinto após vencer o Coritiba por 2 a 1, e Internacional, em sexto, todos com 50 pontos, ainda podem ter a companhia da Ponte, que se igualará a eles na pontuação se vencer o Atlético agora às 19h30.

Com 56 pontos, depois de empatar com o Vasco no Rio por 0 a 0, o Grêmio se mantém folgadamente em terceiro e, como ainda pegará o Atlético Mineiro em Porto Alegre na 37ª rodada, até pode sonhar com o vice-campeonato, principalmente se a Ponte aprontar hoje em Belô.

Melhor seria deixar Guerrero em sossego

Guerrero contra o CorinthiansGuerrero, ameaçado por torcedores do corintianos: e se ele resolver estrear hoje no Fla?

Estava o peruano Paolo Guerrero posto em sossego no Ninho do Urubu, acostumado a perder um jogo depois do outro, tanto que foram cinco derrotas nas últimas seis rodadas do Brasileirão, e desacostumado a marcar gols, que antes saíam com facilidade, quando uma ou duas torcidas uniformizadas do Corinthians começaram a espalhar a informação de que vão recebê-lo com hostilidades no jogo deste domingo no Itaquerão.

Fustigar o ídolo de outras e recentes temporadas alvinegras é tudo que os corintianos não deveriam fazer a esta altura do Brasileirão.

Melhor teria sido deixá-lo adormecido, tão profundamente adormecido ele estava que os corintianos mais sábios apenas se divertiam com a fase de muitas derrotas e apenas três gols no Brasileirão desde que se transferiu para o Flamengo, como se via, em variadas versões, nas redes sociais:

Guerrero prometeu que não jogaria por outro time no Brasil e cumpriu a promessa. Não está jogando no Flamengo.

O diabo é ele resolver estrear hoje com a camisa rubro-negra em pleno Itaquerão, onde o Corinthians fará um jogo fundamental em suas pretensões de desembarcar em Belo Horizonte no próximo domingo, para a parada contra o Atlético Mineiro, levando na bagagem pelo menos os oito pontos de vantagem que, antes dos jogos desta tarde, ainda separam o líder do vice-líder do Brasileirão.

Sábio conhecedor dos caminhos e descaminhos da bola, mestre Armando Nogueira ensinou há muitos e muitos anos: “Deus castiga quem o craque fustiga”.

Pode-se até considerar que Guerrero não seja verdadeiramente craque, mas com certeza é um grande goleador que não deveria ser fustigado nem antes nem durante um jogo tão importante.

E se o barulho dos torcedores, amplificado pela mídia durante a semana, acordar o goleador que estava adormecido depois de ter marcado gol em seus três primeiros jogos pelo Fla (leia a nota Nasce mais um ídolo rubro-negro, de 18 de julho)?

Roberto de Andrade, o presidente que não conseguiu segurar Guerrero no Corinthians, demonstra como é tênue a linha que separa a cartolagem das torcidas ditas organizadas:

– Se fosse me colocar no lugar do torcedor e me sentar na arquibancada, vaiaria também.

Tite, o técnico que queria manter o goleador no Corinthians, é de outra cepa:

– Guerrero tem toda uma história muito linda no Corinthians e merece todo o meu respeito. Tem uma história a ser respeitada e eu o respeito Se eu fosse torcedor, não vaiaria. Eu apoiaria todos os jogadores do Corinthians.

Tite mira o gol:

– Eu estou focado, muito focado, na preparação da equipe para o jogo.

É de foco que o Corinthians precisa. Desviá-lo para o ressentimento com o ídolo que se foi é bom para o Flamengo – e, mais ainda, para o Atlético Mineiro!

Corinthians terá casa cheia na reta final do Brasileirão

Pode parecer que os corintianos estão querendo reencontrar Paolo Guerrero e Emerson Sheik, e não será para aplaudi-los, ou simplesmente querem fazer uma exibição de força diante dos rubro-negros, os grandes rivais na briga pela condição de maior torcida do Brasil.

O fato é que já estão vendidos os 39 mil ingressos à disposição da torcida do Corinthians para o jogo contra o Flamengo no dia 25, pela 32ª rodada do Brasileirão.

Pode ser também mera demonstração de amor e de confiança no time que está cada vez mais perto de conquistar o título brasileiro de 2015.

Afinal, já foram também vendidos 33 mil ingressos para o Corinthians x Goiás da próxima rodada, dia 15, mesmo levando em conta que Gil, Elias e Renato Augusto só terão voltado da Seleção na véspera e, portanto, podem não jogar os 90 minutos no Itaquerão.

Apoio não faltará a Tite e sua gente na reta final do Brasileirão.

O novo homem-gol do Corinthians

Artilheiro do Corinthians no Brasileirão, com 11 gols, o meia Jádson tem 11 jogos pela frente para superar a marca do centroavante Guerrero, que marcou 12 em 2014.

No Brasileirão de 2015, em dois jogos pelo Corinthians e sete pelo Flamengo, Guerrero marcou apenas três gols.

E agora, Tite?

Tite: como montar o Corinthians sem Luciano?

Tite: como montar o Corinthians sem Luciano?

A notícia não poderia ser pior para o Corinthians a esta altura do Brasileirão, se a gente lembrar que a Copa do Brasil tem tudo para acabar na quarta-feira: o garoto Luciano só voltará aos campos em 2016.

E agora, Tite?

O que será deste Corinthians que lidera o Brasileirão, mas tem enorme dificuldade para marcar gols, e foi competentemente rearrumado por você após se ter esfarelado o sonho da Libertadores e, pior ainda, terem ido embora os atacantes Sheik e Guerrero?

Insistir com Vágner Love, que fazia o time empacar diante de quase todas as defesas e forçou você, após alguma relutância, a escalar Luciano, como já tinha feito com outro garoto, Malcom, para fazer o ataque funcionar?

Para quem olha de fora, outra saída não há, mas será solução?

Este Corinthians que estava retomando com o garoto de 22 anos o gosto por fazer gols e assim apeou da liderança o favorito Atlético Mineiro, para nela se instalar com jeito de mais forte candidato ao título, mostrará mais uma vez capacidade de reação diante da adversidade?

Em março, não eram poucos os que apressadamente listavam o seu time entre os melhores da história do futebol, capaz de jogar como igual contra o Barça de Messi, o Real de Cristiano Ronaldo ou o Bayern de Thomas Muller.

Veio um Guaraní lá do Paraguai para desfazer os devaneios que, aliás, você jamais alimentou. Em seguida, os dirigentes começaram o desmonte do time e apressadamente muitos decretaram o fim de todos os sonhos nesta temporada. Aqui mesmo, em 4 de junho, este blog decretou (para reler a nota, clique aqui):

A torcida corintiana pode guardar seu dinheirinho para comprar ingressos no ano que vem. O Corinthians desistiu de 2015.

Até você andava um pouco descrente, tanto que chegou a dizer algo parecido:

O presidente deu um passo para trás agora para dar dois à frente no ano que vem.

Continuou, porém, trabalhando duro e refez o time, rejuvenescendo-o na linha de frente, apostando novamente na força da marcação forte em todas as partes do campo,  pregando sempre que o saldo é muito mais importante do que o úmero de gols, exigindo “concentração alta dos atletas o tempo todo”, lição que confessou ter trazido do convívio com Carlo Ancelotti no ano passado.

Deu certo, tanto que o seu Corinthians foi o campeão simbólico do primeiro turno do Brasileirão. Deu certo, mas com a decisiva ajuda do goleador Luciano.

E agora, Tite?

Luciano não há mais.

Nasce mais um ídolo rubro-negro

Guerrero 187 aGuerrero se encontra finalmente com a torcida no Maracanã e dá mais uma vitória ao Fla

Três vezes ele vestiu a camisa do Flamengo, três vezes ele fez gol.

 A primeira, há 10 dias, quase escondido no Beira-Rio, diante de apenas 10.931 torcedores, ao estrear fora de casa, nos 2 a 1 sobre o Internacional pela 12ª rodada do Brasileirão. Ele abriu o placar logo aos 10 minutos e, aos 20 do segundo tempo, ainda fez a assistência para Everton marcar o segundo gol rubro-negro.

A segunda, na quarta-feira, diante de 16.744 torcedores na Arena Pernambuco. Ele fechou em 2 a 0 a vitória sobre o Náutico que garantiu o Flamengo nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Na terceira, finalmente Paolo Guerrero se encontrou com a massa rubro-negra no Maracanã e, diante de 51.055 torcedores (dos quais, apenas 44.318 pagaram ingresso), manteve a escrita: aos 40 minutos, como se fosse o Flamengo que mandasse no jogo e não o Grêmio, fez 1 a 0.

Foi o bastante para afastar qualquer possibilidade de o Fla terminar a rodada na zona de rebaixamento do Brasileirão.

E mais: a vitória do Fla sobre o Grêmio dá um certo fôlego ao Corinthians, que ainda lhe paga o salário de julho e só correrá o risco de deixar o G-4 nesta rodada se, daqui a pouco, perder para o Atlético Mineiro por diferença de mais de um gol.

Isso é que é um trabalhador de dupla jornada. O Corinthians sabe bem o que perdeu ao deixar o goleador colombiano trocar de emprego em pleno Brasileirão.

Está nascendo mais um ídolo rubro-negro.