Arquivo da tag: Jadson

Corinthians ri no final e depois chora de felicidade

Corinthians quase campeão @0711@@@Festa para Lucca: gol a três  minutos do final – Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Os corintianos que andaram falando em antecipar as férias não estavam brincando. Nem todos compareceram ao trabalho hoje em Itaquera e, assim, o Corinthians penou para fazer os 2 a 1 sobre o  Coritiba que podem valer a festa de campeão brasileiro de 2015 já amanhã se o Atlético Mineiro não vencer o Figueirense no Orlando Scarpelli.

Abraçado a Cristian, Tite chora

Abraçado a Cristian, Tite chora no final

Para a felicidade de Tite, o lateral Edílson tem de brigar para continuar entre os titulares e Lucca e Danilo, mais ainda, para entrar neste time que se dá bem até quando joga mal, como hoje testemunharam os 43.688 pagantes que estabeleceram o novo recorde de público no Itaquerão e deixaram R$ 2.772.735,50 nas bilheterias.

Um gol de pênalti, sofrido por Edílson e cobrado por Jadson aos 15 minutos do primeiro tempo, e um de puro oportunismo de Lucca, tocando a para as redes a bola que lhe foi passada por Danilo já aos 42 minutos do segundo, fizeram a festa da torcida e levaram jogadores e Tite às lágrimas.

É o choro de campeão. De felicidade, portanto.

Jadson é o cara

Jadson é o cara @0211@

O Corinthans deve diretamente a Jadson 24 dos 61 gols que marcou até agora no Brasileirão.

Jadson fez 12 e deu o passe para outros 12, incluindo dois nos 3 a 0 de ontem sobre o Atlético Mineiro que valeram como comemoração pelo seu centésimo jogo com a camisa corintiana.

Ricardo Oliveira, artilheiro do campeonato com 20 dos 54 gols santistas, fez uma assistência.

Lucas Pratto marcou 12 e fez o passe para outros três do Atlético Mineiro, segundo melhor ataque do Brasileirão, com 56 gols.

Vágner Love, o companheiro corintiano que também marcou tantos gols quanto Jádson, contabiliza duas assistências no campeonato.

Aos 32 anos, completados 5 de outubro, Jadson Rodrigues da Silva, paranaense de Londrina que já foi chamado de Magic Jadson, é o cara deste Brasileirão.

Para felicidade de todos os corintianos e, em especial, do técnico Tite, que sempre confiou nele, Jadson está cumprindo a promessa que fez ao desembarcar em Itaquera no ano passado, trocado temporariamente com o São Paulo por Alexandre Pato:

– Fico feliz por vestir a 10 do Corinthians, uma camisa de grande peso. Grandes jogadores já usaram o número, como Neto e Rivellino. A torcida pode ter certeza de que darei o meu melhor.

Até ele, sempre discreto e humilde, acha que o Corinthians fez bom negócio, como deixou claro em diálogo com a repórter Camila Mattoso publicado na Folha de domingo:

– Quem acha que se deu melhor na troca entre você e o Pato?

– Com certeza, foi o Corinthians. É a minha opinião.

Autor de dez gols e cinco assistências no Brasileirão, Alexandre Pato talvez concorde.

Nem os corintianos esperavam tanto

Malcom: gol muda o jogo no Independência

Malcom: gol muda o jogo no Independência

Foi um jogão, sim, e decisivo: nem o mais desconfiado corintiano sai do Independência com um mínimo de dúvida sobre quem será o campeão brasileiro de 2015.

Como está escrito há algumas rodadas, o campeão é o Corinthians de Malcom, Vágner Love e Lucca, autores dos 3 a 0 sobre o Atlético Mineiro, e sobretudo de Jadson e Renato Augusto, que criaram todas as situações de gol hoje e sempre ao longo deste Brasileirão.

Levir Culpi vai ter trabalho para impedir que a derrota, surpreendente apenas pela amplidão do placar, desestabilize o Atlético nas próximas rodadas, deixando o Grêmio fechar o campeonato como vice-campeão. Durante a semana, ele já tinha avisado:

– Isso é um fato cultural no Brasil. Muitas vezes, um jogo modifica uma equipe.

Era a última chance de o Atlético ainda alimentar a ilusão de brigar mais um pouco pelo título. O placar não fez justiça ao bom futebol do time em todo o primeiro tempo e em boa parte do segundo, quase sempre ligeiramente superior ao Corinthians, mas o gol do garoto Malcom, aos 22 minutos, mudou o jogo e desestabilizou o Atlético.

Aos 29, com assistência de Jadson, Vágner Love fez 2 a 0, e agora tem 12 gols no campeonato, como o parceiro corintiano e o atleticano Lucas Pratto. Dez minutos depois, Lucca, que substituíra Malcom, fez 3 a 0, tocando para as redes de Victor a bola rolada por Renato Augusto.

Jadson, que fez também a assistência para o gol de Malcom, comemorou no fim:

– Fico feliz porque a equipe saiu vitoriosa. Mostramos superioridade. Temos mais três jogos em casa, não acabou, mas estamos com as duas mãos na taça.

O atleticano Luan já se satisfaz com menos:

– Agora, temos de buscar os pontos para não deixar ninguém passar a gente.

Pois é: o Grêmio venceu o Flamengo por 2 a 0 e ficou a apenas três pontos do Atlético. Os dois se enfrentarão em Porto Alegre na penúltima rodada.

Atlético x Corinthians: não é o título que está em jogo

Levir Culpi: "Nossa última chance" - Foto: Bruno Cantini/Atlético MG

Levir Culpi: “Nossa última chance” – Foto: Bruno Cantini/Atlético MG

Vai ser um jogão, mas só será realmente decisivo em caso de vitória corintiana. Ou alguém acredita que, mesmo vencendo daqui a pouco, o Atlético Mineiro ainda possa recuperar nas cinco rodadas restantes do Brasileirão os cinco pontos que o separarão do inabalável líder?

Inabalável?

Não é o que pensa, ainda bem, o treinador Levir Culpi, que tem analisado inteligentemente o desempenho dos dois times no campeonato e acha que tanto o seu Atlético quanto o Corinthians de Tite podem sentir nas rodadas finais o peso de um mau resultado neste domingo:

– Na verdade, os dois podem se desestabilizar. Isso é um fato cultural no Brasil. Muitas vezes, um jogo modifica uma equipe.

Pode ser, mas, até agora, o Atlético tem se mostrado muito mais suscetível às circunstâncias do que o Corinthians, que andou titubeando nos dias anteriores e seguintes à perda de Emerson Sheik e Paolo Guerrero, mas ganhou solidez de lá para cá sob o comando sereno e firme de seu treinador e não dá pinta de se desestabilizar com pouca coisa.

Embora tenha oferecido ao longo deste Brasileirão alguns dos seus melhores espetáculos, o Atlético não é tão estável. Oscila de um jogo para outro, às vezes no mesmo jogo, e receberá o Corinthians no Independência com uma dose talvez excessiva de  responsabilidade. O próprio Levir reforça:

– Estou vendo a partida como nossa última chance de fazer algo para mudar o campeonato.

Em contrapartida, o Atlético é um time valente, capaz de grandes reviravoltas, que não se rende às dificuldades e alimenta a energia de sua torcida com muita disposição em campo. Levir relembra:

– Nós já passamos por situações mais complicadas e revertemos a situação. Isso está no DNA do nosso elenco. Espero poder escrever mais um capítulo desses.

Pode ser que, mesmo sem o ótimo Jemerson na zaga, consiga se impor ao Corinthians sem lhe dar muitas oportunidades de contra-atacar.

Elias também fará fata aos corintianos, mas sua ausência não basta para fazer do virtual campeão brasileiro de 2015 um time fácil de ser batido e, menos ainda, de perder a estabilidade se for derrotado na casa do vice-líder.

Vai ser um jogão, repita-se, mas vale mais pela briga entre os centroavantes Lucas Pratto e Vágner Love pelo segundo lugar na lista de artilheiros, se é que o meia Jadson deixará a disputa se limitar aos dois, do que pelo título do Brasileirão.

Por que o Corinthians é praticamente campeão

Não são apenas os cálculos dos matemáticos que dão ao Corinthians quase 100% de chances de conquista do título brasileiro de 2015.

Encerrada a 31ª rodada do Brasileirão, os números dos campos são evidentes: o Corinthians é o time que soma mais pontos (67), mais vitórias (20), menos derrotas (4), marcou mais gols (57), sofreu menos gols (25), venceu mais vezes em casa (13, como o Santos) e fora de casa (7, como o Atlético Mineiro e o Flamengo), tem dois dos cinco maiores goleadores do campeonato (Jadson, empatado com Lucas Pratto em segundo lugar, com 12 gols; e Vágner Love, empatado com André em quarto, com 10 gols).

O Atlético Mineiro não pode reclamar

Jádson: 12º gol pelo Corinthians no Brasileirão

Jádson abre o placar contra a Ponte Preta: 12º gol pelo Corinthians no Brasileirão

O Corinthians foi melhor no primeiro tempo, fez 1 a 0 aos 42 minutos, com o 12º gol de Jádson no Brasileirão, mas se aquietou no segundo e permitiu que a anfitriã Ponte Preta virasse o jogo em apenas três  minutos, com gols de Elton aos 15 e de Felipe Azevedo aos 18.

Aos 21, Tite trocou Elias por Rodriguinho e boa parte da torcida corintiana estrilou no Moisés Lucarelli. Aos 39, Rodriguinho empatou e Tite armou a concha nos ouvidos para escutar melhor os aplausos dos corintianos.

O 2 a 2 está aquém das pretensões do Corinthians, que queria manter a folga de sete pontos na liderança do Brasileirão, e dos desejos do Atlético Mineiro, que torcia por uma vitória da Ponte para ficar a apenas quatro pontos do líder.

Tendo vencido ontem o Coritiba por 3 a 0, o Atlético não pode reclamar da rodada, pois, além de chegar mais perto do Corinthians, ampliou a vantagem sobre o Grêmio, que apenas empatou com o Cruzeiro por 0 a 0 no Mineirão e continua em terceiro lugar, agora com 52 pontos, a quatro do vice-líder.

O Santos também se deu bem neste domingo, batendo na Vila Belmiro o Fluminense por 3 a 1, o que lhe dá o quarto lugar até que se inicie Chapecoense x Palmeiras às 18h30.

Ao Palmeiras bastará um empate na Arena Condá para voltar ao G-4.

O novo homem-gol do Corinthians

Artilheiro do Corinthians no Brasileirão, com 11 gols, o meia Jádson tem 11 jogos pela frente para superar a marca do centroavante Guerrero, que marcou 12 em 2014.

No Brasileirão de 2015, em dois jogos pelo Corinthians e sete pelo Flamengo, Guerrero marcou apenas três gols.

Quem dá bola é o Jádson

Jadson 209@                         Jádson: dois gols no finalzinho do jogo dão vitória ao Corinthians

O Corinthians martelou, martelou, mandou no jogo desde o começo, andou muito perto da vitória já no primeiro tempo, mas só  garantiu os três pontos nos últimos minutos do segundo, sob  o intenso calor no Itaquerão – Jádson, cobrando pênalti, fez 1 a 0 aos 40, e, em complemento ao contra-ataque puxado por Lucca, 2 a 0 aos 43.

O Santos deu a impressão de sofrer ainda mais com o sol quente. Foi um mero arremedo do Santos dos últimos tempos.

No primeiro tempo, o Corinthians teve mais posse de bola e mais chances de gol.

Vanderlei impediu o gol corintiano em lances cara a cara com Vagner Love e Jádson. Cássio fez uma grande defesa no último minuto em chute cruzado de Lucas Lima.

No segundo, o Corinthians continuou melhor, mas o ritmo de jogo caiu e a torcida já parecia não mais acreditar na vitória quando o lateral Zeca cometeu um pênalti grotesco em Vagner Love que o juiz Flávio Rodrigues Guerra, em cima do lance, não viu. Foi salvo pelo bandeirinha, que viu e avisou ao árbitro desatento.

Tão desatento que expulsou David Braz pelo pênalti que Zeca cometeu. Vamos conferir na súmula a historinha que Flávio Rodrigues Guerra contará.

A vitória do Corinthians foi justíssima, deixou nervoso o sempre calmo Tite, enlouqueceu a galera no Itaquerão e mantém o time com merecida folga na dianteira do Brasileirão.

O Santos já esteve bem mais perto do G-4. Com 40 pontos, vai almoçar em oitavo lugar, mas pode jantar em nono se o Atlético Paranaense derrotar o Coritiba às 18h30.

Atualização

A historinha montada na súmula pelo Flávio Rodrigues Guerra sobre a expulsão de David Braz, transcrita aqui sem nenhuma correção:

Expulso com cartão vermelho direto por, após a marcação de um penalti contra sua equipe, vir em minha direção gesticulando de forma acintosa e ofensiva proferindo as seguintes palavras: “você está louco”, “contra o corinthians é assim mesmo”, “vai se foder, não foi penalti”, “você vai ver, vocês vão ser punidos”, sendo que em ato contínuo gesticulou de forma acintosa em direção ao assistente número 1, proferindo as seguintes palavras: “vocês estão loucos, não foi penalti”.após ser expulso, ao sair do campo de jogo, e passar em frente à área tecnica do corinthians, desentendeu-se com o tecnico do corinthians, sr. adenor leonardo bachi, sendo contidos por integrantes das duas equipes.

Quem conferir as imagens verá que o árbitro mentiu na súmula, tanto que nada faz quando o zagueiro santista fala com ele e só lhe mostra o cartão vermelho após conversar com o bandeirinha Rogerio Pablos Zanardo na linha de fundo.

Corinthians estreia na matinê com lotação esgotada

Jádson: “Começamos hoje a preparação” - Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Jádson: em preparação” – Foto: Daniel Augusto Jr/Corinthians

Não há mais ingressos à venda para Corinthians x Joinville na matinê do domingo.

A última vez que o Corinthians fez um jogo de manhã foi há mais de 12 anos, em 16 de fevereiro de 2003, pelo Campeonato Paulista, tendo derrotado o América em São José do Rio Preto por 3 a 2.

Para o jogo do próximo domingo, no Itaquerão, a comissão técnica tomou alguns cuidados, como lembrou há pouco, em entrevista coletiva, o meia Jádson, artilheiro corintiano no Brasileirão, com nove gols:

– Começamos hoje a preparação. Acordamos mais cedo para tomar café da manhã. Hoje vai ter concentração, para amanhã novamente acordar cedo, repousar bastante. É um jogo diferente, o primeiro nesse horário. A gente sabe da dificuldade, vamos ter de nos acostumar.

Corinthians e Atlético isolam-se na linha de frente

Rildo e Jadson festejam 3 a 1 sobre a Chapecoense

Rildo e Jadson: 3 a 1 sobre a Chapecoense mantém folga do Corinthians

É de novo em preto e branco que se desenha a briga pelo título brasileiro de 2015: visitantes ilustres e destemidos, o líder Corinthians venceu a Chapecoense por 3 a 1 e o vice-líder Atlético Mineiro venceu o Fluminense por 2 a 1.

O Grêmio, que tinha empatado  de manhã com o Coritiba por 0 a 0, fica um pouco mais distante da briga pelo caneco, com 38 pontos, quatro atrás do Atlético, quatro à frente do Palmeiras, que em casa derrotou o Joinville por 3 a 2, com dois gols do garoto Gabriel Jesus, e tomou a vaga do Fluminense no G-4.

No topo, também quatro pontos à frente do Atlético, o Corinthians, com 46. Desde que foi derrotado na oitava rodada pelo Santos, em 20 de junho, o time comandado por Tite não sabe o que é perder no Brasileirão.

Já são 13 jogos de invencibilidade – com três empates e dez vitórias, a de hoje, em Chapecó, com gols de Elias, Vágner Love e Jadson, cobrando pênalti em Rildo já aos 44 minutos do segundo tempo.

Jádson é o artilheiro do time no Brasileirão, com nove gols, apenas dois a menos do que o santista Ricardo Oliveira, que ainda vai jogar daqui a pouco, contra o Cruzeiro, no encerramento desta 21ª rodada.

A rodada, decepcionante para o Fluminense e desastrosa para o Vasco, fez a alegria de outro carioca: o Flamengo  venceu o Sport no Recife por 1 a 0, gol de Everton logo aos 4 minutos de jogo, e subiu para o nono lugar, a cinco pontos do G-4, embora ainda possa ser ultrapassado pelo Santos.

 Foi a primeira derrota em casa do Sport, que atuou com dez jogadores desde os 23 minutos do primeiro tempo, quando o lateral Samuel Xavier foi expulso após uma entrada violenta em Alan Patrick.

Agora, o único invicto em casa é o Grêmio, que vai passar a semana lamentando o empate com o Coritiba na matinê em sua Arena.