Arquivo da tag: Itaquerão

Como se fosse uma decisão

No Itaquerão, após Corinthians 6 x 1 São Paulo, Ralf recebe a taça de campeão brasileiro

Após Corinthians 6 x 1 São Paulo, Ralf recebe a taça de campeão brasileiro

Enganou-se quem acreditou, como este blogueiro, que a ausência do trio Gil-Elias-Renato Augusto e o clima de festa no Itaquerão favoreceriam o São Paulo em sua luta para continuar no G-4.

O Corinthians, ainda mais reserva do que se prenunciava, não perdoa. Joga sempre como se fosse decisão. Tite não permite poupança de energia em campo. E, sem perder a vibração, o Corinthians decide as paradas com a frieza de campeão.

Não tem Elias, Jadson nem Renato Augusto?

Bruno Henrique vai lá e faz Corinthians 1 x 0 São Paulo.

Malcom e Vagner Love não estão em campo?

Romero faz 2 a 0.

O primeiro tempo está acabando, Gil também não veio?

Pouco importa: Edu Dracena faz 3 a 0.

Vamos ao segundo tempo.

Danilo, o polivalente camisa 12, no exercício mais uma vez da titularidade, como diria Tite nos velhos tempos, se dá ao luxo de fazer uma assistência, de letra, para o talismã Lucca marcar o seu: 4 a 0.

E como o talismã estava esperando a bola cruzada por Romero, o tricolor Hudson achou melhor cortar o caminho e tocá-la logo para as redes de Denis: 5 a 0.

Será que o São Paulo não vai esboçar nenhuma reação? Não diziam por aí que Paulo Henrique Ganso e até Alexandre Pato eram os responsáveis pela apatia que tantas vezes o São Paulo de Milton Cruz, Juan Carlos Osorio e Doriva mostrou em campo? Nenhum deles está em Itaquera.

E o São Paulo reagiu muito de leve, com um gol de Carlinhos um pouco depois da metade do segundo tempo. Diminuiu o vexame: 5 a 1.

Teremos mais?

Sim, claro. O Corinthians não sossega. Pênalti de Reinaldo em Romero. Cristian bate e faz 6 a 1.

Acabou? Não. O São Paulo também tem um pênalti a seu favor. Alan Kardec cobra, Cássio defende.

Algum titular do Corinthians tinha de mostrar serviço.

Acabou a festa. É hora de o capitão Ralf receber a taça.

Festa no Itaquerão: do Corinthians ou do São Paulo?

Corinthians recebe São Paulo para  equilibrar as contas domésticas

Corinthians recebe São Paulo para zerar as contas domésticas

O dia é de festa corintiana, com certeza de recorde de público no Itaquerão, mas a maior alegria pode ser dos são-paulinos, que estão na luta com os santistas, ponto a ponto, pela última vaga disponível no G-4.

O jogo das 17 horas em nada altera a posição do campeão, mas é a chance de eliminar um raro déficit em sua quase irretocável campanha – os pífios 42,8% de aproveitamento no confronto direto com os outros times paulistas, com apenas duas vitórias em sete jogos, mais três empates e duas derrotas.

O Corinthians perdeu em casa para o Palmeiras e empatou no Allianz Parque; perdeu para o Santos na Vila Belmiro e venceu em Itaquera; venceu em casa a Ponte Preta e empatou no Moisés Lucarelli; empatou com o São Paulo no Morumbi.

Se derrotar o São Paulo na festa em que receberá o caneco e as faixas de campeão, o Corinthians terá feito 12 pontos em oito jogos contra os rivais paulistas. Serão 50% dos pontos disputados.

Não é muito para um time que tem 73,3% de aproveitamento no campeonato, mas pelo menos conseguiria zerar a conta doméstica e calar a boca dos vizinhos.

O problema é que os corintianos só querem saber de festa a esta altura do Brasileirão e não contarão com Gil, Elias e Renato Augusto, um favorecimento enorme às pretensões do São Paulo de se manter em quarto lugar, pelo menos um ponto à frente do Santos, que vai ao Paraná enfrentar o desesperado Coritiba.

É corintiana a casa da Seleção

O Brasil de Dunga começa a se reunir hoje num hotel em Guarulhos para o mais importante compromisso deste final de ano: o jogo contra a Argentina em Buenos Aires na quinta-feira, dia 12, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Além de convocar quatro corintianos, a comissão técnica decidiu também preparar do time na casa do campeão brasileiro: no final da tarde de amanhã, o primeiro treino será no Centro de Treinamento Joaquim Grava.

Na terça, a Seleção volta a treinar lá. Na quarta, antes de embarcar para Buenos Aires, treinará no Itaquerão.

Quem dá bola é o Jádson

Jadson 209@                         Jádson: dois gols no finalzinho do jogo dão vitória ao Corinthians

O Corinthians martelou, martelou, mandou no jogo desde o começo, andou muito perto da vitória já no primeiro tempo, mas só  garantiu os três pontos nos últimos minutos do segundo, sob  o intenso calor no Itaquerão – Jádson, cobrando pênalti, fez 1 a 0 aos 40, e, em complemento ao contra-ataque puxado por Lucca, 2 a 0 aos 43.

O Santos deu a impressão de sofrer ainda mais com o sol quente. Foi um mero arremedo do Santos dos últimos tempos.

No primeiro tempo, o Corinthians teve mais posse de bola e mais chances de gol.

Vanderlei impediu o gol corintiano em lances cara a cara com Vagner Love e Jádson. Cássio fez uma grande defesa no último minuto em chute cruzado de Lucas Lima.

No segundo, o Corinthians continuou melhor, mas o ritmo de jogo caiu e a torcida já parecia não mais acreditar na vitória quando o lateral Zeca cometeu um pênalti grotesco em Vagner Love que o juiz Flávio Rodrigues Guerra, em cima do lance, não viu. Foi salvo pelo bandeirinha, que viu e avisou ao árbitro desatento.

Tão desatento que expulsou David Braz pelo pênalti que Zeca cometeu. Vamos conferir na súmula a historinha que Flávio Rodrigues Guerra contará.

A vitória do Corinthians foi justíssima, deixou nervoso o sempre calmo Tite, enlouqueceu a galera no Itaquerão e mantém o time com merecida folga na dianteira do Brasileirão.

O Santos já esteve bem mais perto do G-4. Com 40 pontos, vai almoçar em oitavo lugar, mas pode jantar em nono se o Atlético Paranaense derrotar o Coritiba às 18h30.

Atualização

A historinha montada na súmula pelo Flávio Rodrigues Guerra sobre a expulsão de David Braz, transcrita aqui sem nenhuma correção:

Expulso com cartão vermelho direto por, após a marcação de um penalti contra sua equipe, vir em minha direção gesticulando de forma acintosa e ofensiva proferindo as seguintes palavras: “você está louco”, “contra o corinthians é assim mesmo”, “vai se foder, não foi penalti”, “você vai ver, vocês vão ser punidos”, sendo que em ato contínuo gesticulou de forma acintosa em direção ao assistente número 1, proferindo as seguintes palavras: “vocês estão loucos, não foi penalti”.após ser expulso, ao sair do campo de jogo, e passar em frente à área tecnica do corinthians, desentendeu-se com o tecnico do corinthians, sr. adenor leonardo bachi, sendo contidos por integrantes das duas equipes.

Quem conferir as imagens verá que o árbitro mentiu na súmula, tanto que nada faz quando o zagueiro santista fala com ele e só lhe mostra o cartão vermelho após conversar com o bandeirinha Rogerio Pablos Zanardo na linha de fundo.

Em face dos últimos desacontecimentos

No Fluminense, ninguém sabe quando Ronaldinho Gaúcho voltará ao time.

Tudo indica, porém, que será antes de o Corinthians vender os naming rights de seu estádio em Itaquera.

Pode ser que, antes disso, Eurico Miranda esteja morando na Sibéria. Pelo menos, a passagem de ida, gentileza do humorista Bruno Mazzeo, já está à sua disposição.

Flu se reforça para encarar o Corinthians

Sem poder contar com Elias e Bruno Henrique, o Corinthians vai receber às 22 horas, no Itaquerão, um Fluminense reforçado.

O Flu vinha jogando com dez, tanto que foi derrotado em quatro das cinco últimas rodadas. Hoje, para preocupação corintiana, voltará a ter 11 em campo, pois Gerson ocupará a vaga desocupada por Ronaldinho Gaúcho.

O garoto de 18 anos, que já é jogador da Roma, mas ficará no Flu até o final do ano, está com a corda toda:

Estamos completamente motivados para este jogo. Aqui é Fluminense, time de guerreiros. A gente tem que dividir a primeira, a segunda, todas as bolas.