Arquivo da tag: Maracanã

Uns lutam pela sobrevivência, outros estão de brincadeira

Luís Fabiano @2811@Contra o Figueirense, despedida de Luís Fabiano: último jogo pelo São Paulo no Morumbi

São três jogos neste sábado, cada um num horário, todos valendo muito na reta final do Brasileirão, seja no topo da tabela de classificação, seja no fundão:

Às 17 horas, no Morumbi: São Paulo x Figueirense

Será o último jogo de Luís Fabiano diante da torcida tricolor e deveria ser a despedida oficial de Rogério Ceni em seu estádio. Ainda sentindo dores no pé direito, o goleiro não jogará, mas vai reforçar a torcida do São Paulo, que tem de vencer para se segurar no G-4. Dois pontos fora da zona de rebaixamento, o Figueirense precisa da vitória quase impossível ou, no mínimo, de um empate para continuar na trilha da salvação. Desde 2005, o time catarinense não vence o São Paulo.

Às 19h30, no Maracanã: Fluminense x Internacional

O time carioca já está fazendo hora extra no campeonato, sem receber adicional, é claro. Nem se concentrou para o jogo. Recém casado, o artilheiro Fred curte a lua-de-mel longe dos campos. Para os colorados, porém, vencer é a única chance de continuar brigando pela última vaga no G-4. Com 56 pontos, como o São Paulo, o Inter não pode desperdiçar a chance de vencer um adversário desligados de suas obrigações.

Às 21 horas, na Ressacada: Avaí x Ponte Preta

Primeiro dos quatro situados abaixo da linha de rebaixamento, o Avaí pode até cair para a Segundona nesta rodada se perder hoje em casa. A Ponte está em Santa Catarina a passeio.

Como todos os interessados nos jogos de hoje continuarão dependendo de resultados de amanhã, fica mais uma vez muito claro que a penúltima rodada do Brasileirão, como a última, deveria ser inteiramente disputada no mesmo horário.

Não é coisa que preocupe a CBF.

Também é óbvio que todos os times deveriam entrar em campo com a força máxima.

Não é coisa que preocupe os dirigentes dos clubes.

Bilheteria: jogos de maior público têm Coritiba ou Joinville

O lanterninha Joinville já está quase lá, o Coritiba corre sério risco de lhe fazer companhia na Segundona em 2016.

E não é que cada um deles participou de dois dos quatro jogos de maior público neste Brasileirão?

Veja só:

♦ 17 de setembro, no Mané Garrincha: Flamengo 0 x 2 Coritiba – 67.011 pagantes

♦ 12 de julho, no Morumbi: São Paulo 3 x 1 Coritiba – 59.482 pagantes

♦ 28 de junho, no Mineirão: Atlético Mineiro 1 x 0 Joinville – 55.987 pagantes

♦ 4 de outubro, no Maracanã: Flamengo 2 x 0 Joinville – 52.462 pagantes

A média de público deste Campeonato Brasileiro é de pouco mais de 17 mil pagantes por jogo.

Encontro de gerações começa a definir a Copa do Brasil

Dupla despedida: Rogerio Ceni deixa futebol e Gerson deixa o Flu após Copa do Brasil

Despedida: Rogério Ceni deixa futebol e Gerson sai do Flu após Copa do Brasil

Senhores respeitáveis e moleques promissores estrelam na noite desta quarta-feira dois espetáculos que vão começar a definir o rumo de seus times em 2016: Fluminense x Palmeiras, no Maracanã, e São Paulo x Santos, no Morumbi. Entrará em jogo, a partir das 22 horas, uma das vagas brasileiras na próxima Copa Libertadores da América.

As semifinais da Copa do Brasil começam com ligeiro favoritismo do Palmeiras e do Santos, justamente os visitantes nos embates de hoje. E é na casa alheia que ambos têm de colher um resultado minimamente confortável para a decisão em casa, daqui a uma semana, da vaga nas finais.

Ninguém há de negar a importância da experiência de Fred (32 anos) para o Fluminense, de Zé Roberto (41 anos) para o Palmeiras, de Rogério Ceni (42 anos) para o São Paulo e de Ricardo Oliveira (35 anos) para o Santos, mas as quatro equipes vão precisar igualmente da criatividade e da ousadia dos garotos Gérson (18 anos) e Gabriel Jesus (18 anos) no Maracanã, Rodrigo Caio (22 anos, quase um velhinho) e Gabigol (19 anos) no Morumbi.

Será um duplo encontro de gerações, retrato mais ou menos fiel do atual futebol brasileiro, que aposta na renovação e na experiência como solução viável para suas carências técnica e econômica. Os mais velhos, com exceção de Rogério, ganharam um bom dinheiro fora e aceitam contratos razoáveis por aqui. Os mais novos ainda vão ganhar muito dinheiro fora.

Estão todos a apenas quatro jogos do título que, mais do que uma compensação para quem já não pode sonhar em ser campeão brasileiro, vale sobretudo a garantia de disputar a Libertadores ao longo de 2016 e cultivar o sonho de chegar ao fim do ano lutando para ser campeão mundial.

Se tal acontecer com seu time, dois dos astros desta noite não estarão no Japão em dezembro do próximo ano: o veteraníssimo Rogério Mücke Ceni e o adolescente Gerson Santos da Silva. O goleiro do São Paulo deixará o futebol em dezembro. O meia do Fluminense vai jogar pela Roma a partir de 2016. Portanto, nem sequer disputarão a Libertadores.

O título da Copa do Brasil é a festa de despedida que os dois merecem. Talvez nenhum leve.

Fim de semana decisivo para o quinteto que briga pelo G-4

Pode até vir a ser uma luta vã, pois o quarto colocado no campeonato só terá direito a uma vaga na Libertadores de 2016 se o campeão da Copa Sul-Americana não for um time brasileiro, Atlético Paranaense ou Chapecoense, mas cinco jogos deste fim de semana serão fundamentais para a definição do G-4 do Brasileirão:

♦ Internacional x Sport, hoje, às 18h30, no Beira-Rio

♦ São Paulo x Atlético Paranaense, hoje, às 21h, no Morumbi

♦ Flamengo x Joinville, amanhã, às 11h, no Maracanã

♦ Santos x Fluminense, amanhã, às 16h, no Maracanã

♦ Chapecoense x Palmeiras, amanhã, às 18h30, na Arena Condá

O Palmeiras, com 45 pontos, lidera o bloco dos pretendentes ao G-4, seguido pelo Santos e pelo São Paulo, ambos com 43, e, mais atrás, pelo Flamengo e pelo Internacional, que têm 41 pontos e podem sair da briga se forem derrotados nesta 29ª rodada.

Em vantagem na disputa, o trio paulista precisa vencer seus jogos antes da parada de 11 dias que lhes dará algum fôlego para, da 31ª rodada em diante, se dividirem entre o Brasileirão e as semifinais da Copa do Brasil.

De 17 de outubro a 1º de novembro, a vida será puxada para o Palmeiras, o Santos e o São Paulo, com dois jogos por semana, no mínimo. E os times que chegarem à final da Copa do Brasil ainda terão dois jogos pela frente até 8 de novembro.

Continuar na Copa do Brasil tem sua recompensa, que não é pequena – o campeão disputará a Libertadores no ano que vem.

O acúmulo de jogos, no entanto, é um grande risco para os times que precisarão garantir, pelo menos, o quarto lugar no Brasileirão e torcer para que Atlético Paranaense e Chapecoense se deem mal na Copa Sul-Americana.

Futebol bom de ouvir

Os torcedores com deficiência visual que frequentam o Maracanã terão, a partir de outubro, uma boa ajuda para acompanhar as idas e vindas de seu time em campo: a narração dos jogos por especialistas treinados pela Urece Esporte e Cultura para Cegos, uma ONG carioca que já fez este trabalho nos estádios brasileiros durante a Copa do Mundo de 2014 e conta com financiamento da Fifa para repeti-lo agora no Brasileirão.

A experiência deve ser estendida depois para outros estádios do Brasil.

Bem que a Urece poderia também distribuir alguns aparelhos receptores entre ceguetas escalados pela CBF para apitar alguns jogos do Brasileirão.

Flu espera que Ronaldinho finalmente estreie

Ele já entrou em campo algumas vezes desde que foi apesentado nas Laranjeiras em 19 de julho, mas a torcida continua esperando que Ronaldinho Gaúcho estreie de verdade com a camisa do Fluminense. Pode ser hoje, no Maracanã, contra o Goiás, aposta o técnico Eduardo Baptista:

– Gostei de como ele entrou contra o Grêmio. Ele pode ser titular sim. É um jogador que conduz bem a bola, tem o drible.

Pode não ser:

– Não tomamos a decisão ainda, mas é uma opção muito forte.

Por que o novo treinador do Flu está em dúvida?

– O Marcos Junior me dá mais velocidade, mais penetração, e o Ronaldo me dá mais jogo. A dúvida é entre eles dois.

Como a situação tricolor é aflitiva, pois está em 12º lugar, a apenas três pontos da Z-4, Eduardo Baptista tende a apostar na experiência de Ronaldinho para o jogo das 18h30 contra um adversário também desesperado, pois é o 16º colocado, com os mesmos 31 pontos da Chapecoense, que abre o quarteto ameaçado pelo rebaixamento.

Ronaldinho, que hoje dribla mais os repórteres do que os marcadores dentro de campo, promete vagamente:

– Estou tentando chegar ao meu melhor.

O Flu está precisando de algo mais concreto: vencer, algo que não consegue há não vence há oito rodadas do Brasileirão. E, para finalmente vencer, o Flu precisa que Ronaldinho Gaúcho estreie.

CBF burla regulamento e muda local de Vasco x São Paulo

Embora o seu Regulamento Geral de Competições proíba a mudança com menos de dez dias de antecedência, a CBF autorizou há pouco que o Vasco leve de São Januário para o Maracanã o jogo com o São Paulo da quarta-feira, 30,  pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Palmeiras e Vasco enfrentam tabus históricos

Depois de perder para o Inter, o Goiás, o Atlético Mineiro, o Coritiba e o Cruzeiro os últimos cinco jogos que disputou fora de casa, o Palmeiras visita hoje o Fluminense no Maracanã, às 19h30, obrigado a vencer para não sair da vizinhança do G-4.

A história do confronto também não favorece as pretensões palmeirenses. Na última vez que venceu o Fluminense pelo Brasileirão no Rio, o Palmeiras ainda tinha Edmundo no ataque. Foi em 2007.

É verdade, em compensação, que o retrospecto recente do Flu encoraja qualquer adversário: são cinco derrotas, duas em casa, e um empate.

Tem um cheirinho de empate no ar.

No Mineirão, depois de vencer os dois últimos jogos, o Vasco tentará um feito inédito a partir das 22 horas: emplacar a terceira vitória consecutiva neste Brasileirão.

O adversário é o Cruzeiro, que também faz uma campanha ruim e, se for derrotado hoje, pode até fechar a 26ª rodada no Z-4, dependendo dos resultados de Goiás, Figueirense e Coritiba. A esperança do atual bicampeão brasileiro é reeditar os bons momentos vividos em alguns jogos recentes, já sob o comando de Mano Menezes.

A história também joga contra o Vasco. A última vitória vascaína sobre o Cruzeiro no Mineirão aconteceu no Campeonato Brasileiro de 2000 – 3 a 1, com direito a gol do atual senador Romário de Souza Faria.

O jogo foi pelas semifinais do Brasileirão, pois ainda não tinha sido adotada a fórmula dos pontos corridos; Jorginho, o técnico atual, era o lateral direito e o Vasco encerrou a temporada como campeão brasileiro.

Eram outros tempos.

A Libertadores já não é apenas um sonho para o Flamengo

Allan Patrick: gol abre para o Fla o caminho do G-4

Allan Patrick: gol abre para o Fla o caminho do G-4

O Sport tratou mais cedo de facilitar as coisas, perdendo para o Goiás por 1 a 0 no Serra Dourada, e assim o Flamengo teve tranquilidade no Maracanã para ir cozinhando o Cruzeiro até fazer 1 a 0, no finzinho do primeiro tempo, com um belo gol de Allan Patrick.

Na metade do segundo tempo, logo depois que Sheik teve de sair, outro golaço: Luiz Antonio fez 2 a 0 num sem-pulo de fora da área.

Estava liquidada a fatura.

A quinta vitória consecutiva, todas sob o comando de Oswaldo de Oliveira, coloca o Flamengo no G-4, com 38 pontos, como o São Paulo e o Atlético Paranaense. O Fla chegou à 12ª vitória no Brasileirão, uma a mais do que os dois.

O bicampeão Cruzeiro estacionou nos 28 pontos, um além da zona de rebaixamento.

Há na Gávea quem ainda sonhe com o título brasileiro, mas já é querer demais. O Flamengo está sete pontos atrás do Grêmio, dez do Atlético Mineiro e 13 do Corinthians.

É melhor se preocupar com os times que o seguem na briga por uma vaga na Libertadores de 2016 e não são poucos. Todos estão mais perto da vaga do que o Fla do Grêmio, terceiro colocado no campeonato.

Estão nesta briga o Sport, que desaprendeu a vencer, mas tem 33 pontos, e mais  o Inter, o Flu, o Palmeiras e o Santos, além, é claro, de Atlético Paranaense e São Paulo.