Arquivo da tag: Semifinais

Remo é roubado em casa e não vai à final da Série D

Sete homens armados invadiram nesta segunda-feira a sede do Clube do Remo, em Belém,  e levaram R$ 423.632,00 que estavam reservados ao pagamento de funcionários e jogadores.

Pouco depois, no Mangueirão, o Remo empatou por 0 a 0 com o Botafogo de Ribeirão Preto e, como havia sido derrotado no primeiro jogo das semifinais por 1 a 0, perdeu a chance de se classificar para a final da Série D do Campeonato Brasileira.

Botafogo e River, do Piauí, disputarão o título.

Dorival Júnior é exceção

Dos quatro times que começam a disputar nesta noite as semifinais, somente o São Paulo nunca conquistou o título da Copa do Brasil.

Mesmo assim, tem dois campeões no elenco – Wesley e Ganso, ambos pelo Santos, em 2010.

O Santos atual não tem nenhum campeão.

Aliás, tem um fora do campo. Dorival Júnior é o único dos treinadores destas semifinais que já ganhou o título da Copa do Brasil – pelo próprio Santos, em 2010.

Encontro de gerações começa a definir a Copa do Brasil

Dupla despedida: Rogerio Ceni deixa futebol e Gerson deixa o Flu após Copa do Brasil

Despedida: Rogério Ceni deixa futebol e Gerson sai do Flu após Copa do Brasil

Senhores respeitáveis e moleques promissores estrelam na noite desta quarta-feira dois espetáculos que vão começar a definir o rumo de seus times em 2016: Fluminense x Palmeiras, no Maracanã, e São Paulo x Santos, no Morumbi. Entrará em jogo, a partir das 22 horas, uma das vagas brasileiras na próxima Copa Libertadores da América.

As semifinais da Copa do Brasil começam com ligeiro favoritismo do Palmeiras e do Santos, justamente os visitantes nos embates de hoje. E é na casa alheia que ambos têm de colher um resultado minimamente confortável para a decisão em casa, daqui a uma semana, da vaga nas finais.

Ninguém há de negar a importância da experiência de Fred (32 anos) para o Fluminense, de Zé Roberto (41 anos) para o Palmeiras, de Rogério Ceni (42 anos) para o São Paulo e de Ricardo Oliveira (35 anos) para o Santos, mas as quatro equipes vão precisar igualmente da criatividade e da ousadia dos garotos Gérson (18 anos) e Gabriel Jesus (18 anos) no Maracanã, Rodrigo Caio (22 anos, quase um velhinho) e Gabigol (19 anos) no Morumbi.

Será um duplo encontro de gerações, retrato mais ou menos fiel do atual futebol brasileiro, que aposta na renovação e na experiência como solução viável para suas carências técnica e econômica. Os mais velhos, com exceção de Rogério, ganharam um bom dinheiro fora e aceitam contratos razoáveis por aqui. Os mais novos ainda vão ganhar muito dinheiro fora.

Estão todos a apenas quatro jogos do título que, mais do que uma compensação para quem já não pode sonhar em ser campeão brasileiro, vale sobretudo a garantia de disputar a Libertadores ao longo de 2016 e cultivar o sonho de chegar ao fim do ano lutando para ser campeão mundial.

Se tal acontecer com seu time, dois dos astros desta noite não estarão no Japão em dezembro do próximo ano: o veteraníssimo Rogério Mücke Ceni e o adolescente Gerson Santos da Silva. O goleiro do São Paulo deixará o futebol em dezembro. O meia do Fluminense vai jogar pela Roma a partir de 2016. Portanto, nem sequer disputarão a Libertadores.

O título da Copa do Brasil é a festa de despedida que os dois merecem. Talvez nenhum leve.

Copa do Brasil ou Torneio Rio-São Paulo?

Gabigol brilha na noite dos Gabrieis

Gabigol brilha no Pacaembu:  noite dos Gabrieis

É quase um Torneio Rio-São Paulo em dose concentrada: uma semifinal paulista, entre São Paulo e Santos, outra mista, entre Palmeiras e Fluminense.

É assim que a Copa do Brasil caminha para a final, depois que o Santos confirmou a classificação para a semi ao derrotar os reservas do Figueirense no Pacaembu por apenas 3 a 2 na noite desta quinta-feira.

A torcida santista, em menor número do que se esperava após a boa venda antecipada de ingressos, não ficou satisfeita com o que viu no Pacaembu, mas ao menos conseguiu vibrar com a afinada parceria entre seus Gabrieis.

Aos 20 minutos do primeiro tempo, Marquinhos Gabriel fez um lançamento preciso do campo de defesa do Santos  para Gabigol fazer 1 a 0.

Oito minutos depois, Gabigol retribuiu com um cruzamento de trivela para Marquinhos Gabriel fazer 2 a 0.

Era o suficiente, mas o Figueirense diminuiu aos 36, com um gol esperto de Bruno Alves aproveitando uma bola vinda de escanteio.

Logo aos dois minutos do segundo tempo, Neto Berola, que substituiu Rafael Longuine, fez 3 a 1 para o Santos, que se desinteressou do jogo.

No finzinho, aos 42, Carlos Alberto diminuiu para 3 a 2.

Os 25.939 torcedores que pagaram ingresso e pegaram longas filas para entrar no Pacaembu saíram frustrados.  Os 3.499 que entraram de graça não têm do que reclamar.

Dorival Júnior vai voltar para Santos dizendo que bom mesmo é jogar na Vila Belmiro.

Palmeiras, Flu e São Paulo chegam às semifinais

Andrei Girotto @309@             Alegria verde, desespero colorado: Andrei Girotto faz 3 a 2 no Allianz Parque

Ajudado pela arbitragem muito simpática do goiano Wilton Pereira Sampaio, o Palmeiras bateu o Internacional por 3 a 2 no Allianz Parque e vai fazer uma das semifinais da Copa do Brasil contra o Fluminense, que empatou por 1 a 1 com o Grêmio em Porto Alegre.

No intervalo, Marcelo Oliveira definiu bem o que foi o primeiro tempo, vencido pelo Palmeiras por 2 a 0, com um gol de Vitor Hugo, aproveitando cruzamento de Zé Roberto, aos sete minutos, e outro do próprio Zé Roberto em cobrança de pênalti presenteado pelo árbitro, que viu uma falta inexistente de Alex em Lucas::

– Valeu pelos gols, mas precisamos jogar mais.

Não foi o que se viu até os 28 minutos do segundo tempo, quando o Inter, depois de muito forçar, chegou ao empate. Anderson fizera o primeiro gol colorado aos 11, Lisandro López fez aos 28 o gol de empate. O 2 a 2 classificava o Inter.

A alegria colorada não demorou mais de um minuto. O gaúcho Andrei Girotto, que substituiu Amaral no segundo tempo, desempatou, de cabeça, aos 29.

O Palmeiras tinha, finalmente, acordado, tanto que nos minutos finais criou mais chances de chegar ao quarto gol do que o Inter de novamente empatar.

No Rio, o Vasco B fez mais do que se esperava. Empatou por 1 a 1 com o São Paulo, que podia perder por até dois gols de diferença. Assim, o São Paulo espera a definição de seu adversário nesta quinta-feira – muito provavelmente, o Santos, que já venceu o Figueirense em Florianópolis e, mesmo sem Lucas Lima, deve confirmar a classificação no Pacaembu.

Vale lembrar, no entanto, que era menos provável a classificação do Fluminense na Arena Grêmio depois do 0 a 0 no jogo do Maracanã, mas o 1 a 1 – com gol de Fred, ainda no primeiro tempo – bastou para tirar o Grêmio da competição. Foi a primeira façanha do treinador Eduardo Baptista em seu novo emprego.

Copa do Brasil define três semifinalistas nesta quarta

Argel e Marcelo 309@ Marcelo Oliveira e Argel Fucks: Palmeiras e Inter se enfrentam por vaga nas semifinais

Podemos dar de barato que o São Paulo, hoje no Maracanã, e o Santos, amanhã no Pacaembu, confirmarão com tranquilidade que será entre eles um dos confrontos das semifinais, garantindo antecipadamente um time paulista na decisão do título da Copa do Brasil de 2015.

Nem o Vasco, que foi abatido por 3 a 0 no Morumbi, nem o Figueirense, derrotado em casa por 1 a 0, têm energia suficiente para barrar o São Paulo e o Santos rumo às semifinais.

Difícil também, mas nem de longe impossível, é que o Internacional conquiste hoje, no Allianz Parque, a vaga que parece destinada ao Palmeiras.

O 1 a 1 do primeiro jogo das quartas de final, em Porto Alegre, dá aos palmeirenses a vantagem, que o técnico Marcelo Oliveira já dimensionou como “vantagenzinha”, de se garantir com um simples 0 a 0 em casa.

Por certo, o forte do Palmeiras não é a defesa, mas, em compensação, o ataque não marcou menos de dois gols em nenhum dos cinco jogos recentes no Parque. E, nos 15 jogos que fez fora de casa pela Copa do Brasil e pelo Brasileirão, o Inter marcou dois gols apenas contra o Ituano e o Joinville.

Mesmo assim, o colorado Argel Fucks aposta num jogo com gols:

– Não acredito em 0 a 0.

Por via das dúvidas, Marcelo Oliveira botou a moçada palmeirense para treinar a cobrança de pênaltis.

Vantagem ainda menor, pois não saiu do 0 a 0 no Maracanã, terá o Grêmio diante do Fluminense. Bastará um gol do Flu na Arena Grêmio para complicar a vida do anfitrião.

Nesta Copa do Brasil, o Grêmio fez três jogos em casa, levou gol em dois. Nos últimos cinco jogos do Brasileirão em sua Arena, só não levou gol do Coritiba.

O Flu tem, pois, alguma chance de tirar o Grêmio da parada e se classificar para as semifinais. Será difícil, porém. Basta conferir o retrospecto dos dois no Brasileirão para enxergar o óbvio favoritismo do Grêmio neste confronto entre tricolores.

Certeza, apenas uma: a noite desta quarta-feira, com previsão de chuva no Rio e em São Paulo e céu claro em Porto Alegre, definirá três semifinalistas da Copa do Brasil – provavelmente, o São Paulo, o Palmeiras e o Grêmio.

River reabre Libertadores cheio de velhinhos

O River Plate, que tirou o Boca Juniors e o Cruzeiro da Libertadores, joga hoje, no Monumental de Núñez, em Buenos Aires, uma cartada decisiva para chegar à final. O adversário é o paraguaio Guaraní, que eliminou o Corinthians e o Racing e tem sido a grande surpresa da competição.

Não falta quem aposte em uma nova surpresa paraguaia nestas semifinais. O River volta à Libertadores sem Teo Gutiérrez, que negocia a transferência para o Sporting de Portugal, e ‘reforçado’ por trio muito, muito experiente: o atacante Javier Saviola e os meias Pablo Aimar e Lucho González.

Saviola tem 33 anos e, em seus melhores dias, jogou no Barça e no Real. Estava no Verona.

Aimar, 35 anos, já defendeu Valencia e Benfica, mas estava sem jogar havia mais de um ano, desde que foi dispensado pelo Johor Darul Tunku, clube da Malásia.

Lucho González, 34 anos, jogou no Porto e no Olympique de Marselha, e estava no  Al-Rayyan, do Qatar, antes de retornar ao River.

Serão mais de 100 anos de experiência à disposição do treinador Marcelo Gallardo, embora o mais provável é que somente Saviola comece jogando, hoje, contra o Guaraní.

Argentina x Colômbia: as estrelas estão devendo

Messi x James Rodríguez: duelo por vaga nas semifinais da Copa América

Messi x James Rodríguez: duelo por vaga nas semifinais da Copa América

O 101º jogo de Lionel Messi com a camisa da Argentina marcará o seu reencontro, agora como adversário, com José Pekerman, o homem que lhe deu a primeira chance de vesti-la, já se vai uma década, num amistoso com a Hungria em Budapeste.

Foi uma estreia meteórica em 17 de agosto de 2005: menos de um minuto depois de entrar em campo, já quase na metade do segundo tempo, o garoto de 18 anos foi expulso do jogo que a Argentina venceu por 2 a 1.

Messi acabara de se sagrar campeão mundial Sub-20, tendo sido o artilheiro e o craque da competição, mas, dez anos depois, continua devendo aos argentinos um título com a seleção principal – jejum que atormenta nuestros hermanos desde 4 de julho de 1993, quando conquistaram a Copa América no Equador.

Às 20h30 desta sexta-feira, no Estádio Sausalito, em Viña del Mar, Messi tem a obrigação de liderar a favorita Argentina no confronto com a Colômbia comandada por seu compatriota Pekerman. A vitória vale uma das vagas nas semifinais desta Copa América.

Até agora, o talento do cracaço argentino só cintilou no frustrante 2 a 2 da estreia contra o Paraguai e em raríssimos momentos do 1 a 0 sobre o Uruguai, mas de Messi se deve esperar sempre que desequilibre o jogo e decida em campo a sorte da Argentina, como tantas e tantas vezes decide a do Barcelona.

Do lado colombiano, as esperanças estão nos pés de outro camisa 10, o jovem James Rodríguez, uma das principais estrelas da Copa do Mundo disputada no Brasil em 2014 e figurinha até agora apagada nos campos do Chile.

Muito mais do que Messi deve à Argentina, o craque do Real Madrid está devendo à Colômbia. E se não pagar hoje pelo menos parte da dívida, os colombianos voltarão para casa. Afinal, time por time, o de José Pekerman perde feio para o de Tata Martino.

Só a estrela colombiana pode compensar a diferença. Se Messi concordar, claro.

Para alegria e tristeza do Fla, o jogo foi Guerrero 3 x 1 Bolívia

Guerrero: três gols para levar Peru à semifinal

Guerrero: três gols para levar Peru à semifinal

Boa notícia para a torcida do Flamengo: Paolo Guerrero desencantou, fez todos os gols do Peru nos 3 a 1 sobre a Bolívia e já divide com o chileno Arturo Vidal a artilharia da Copa América.

A boa notícia tem um porém: Guerrero vai para a semifinal, contra o Chile, na segunda-feira, dia 29, no Estádio Nacional de Santiago e, portanto, esticará a temporada em campos chilenos no mínimo até o dia 3 de julho, sexta-feira da semana que vem, quando estará em disputa o terceiro lugar da competição.

O Fla, instalado no Z-4 do Brasileirão, vai ter de esperar pelo reforço do artilheiro dos gols decisivos

Outro velho conhecido dos brasileiros, Marcelo Moreno, em cobrança de pênalti, fez o gol da Bolívia, um prêmio de consolação para um time que correu muito, mas mostrou pouco, e já perdia por 3 a 0 quando, aos 39 minutos do segundo tempo. Advíncula derrubou Lízio na área e lhe deu a chance de diminuir o tamanho do vexame.

Guerrero decidiu o jogo logo no começo, com um gol aos 20 minutos e outro aos 22.

O Peru mostrou mereceu amplamente a vitória, mostrou que pode incomodar o Chile, mas precisaria de mais dois ou três Guerreros para sonhar em ir à final.

O Inter dos velhinhos está nas semifinais

Rafael Moura: aos 42 do segundo tempo, o gol da classificação

Rafael Moura: aos 42 do segundo tempo, o gol da classificação

Um gol aos 2 minutos e jogo, outro a três de se completarem os 90 regulamentares, e assim o Beira-Rio tomado por 44.665 torcedores festejou a classificação do Internacional para as semifinais da Libertadores.

O Independiente Santa Fe, que havia vencido na Colômbia por 1 a 0, não teve tempo para curtir a vantagem, mas nem por isso se acanhou nos domínios colorados. Levou algum sufoco nos primeiros minutos, é verdade, mas conseguiu reagir aos poucos e jogou de igual para igual toda a segunda metade do primeiro tempo .

Para isso, contou com alguma sorte. Por volta dos 15 minutos, Eduardo Sasha se contundiu e foi substituído por Valdívia, mais afoito e menos compenetrado, o que desorganizou um pouco o Inter. O Santa Fe aproveitou para se impor em campo.

No segundo tempo, o Inter voltou melhor, com renovada disposição para chegar ao segundo gol, e os colombianos passaram a marcar com extrema dureza, muitas vezes até com deslealdade, que acabou lhes custando uma dupla e fatal punição: a expulsão de Mosquera aos 22, e de Anchico, aos 37.

Aos 38, de longe, pois também fora expulso do campo de jogo, Diego Aguirre mandou Rafael Moura substituir o lateral Geferson e, quatro minutos depois, foi premiado com o gol que garantiu o Inter nas semifinais. D’Alessandro, um dos destaques do jogo, bateu o escanteio, Rafael Moura cabeceou para as redes.

O outro grande destaque do Inter foi o zagueiro Juan, não só pelo gol que abriu o placar e o caminho para a classificação, mas também pela onipresença na defesa.

Foi a noite dos velhinhos do Inter.