Arquivo da tag: Argel Fucks

Um Gre-Nal como não se vê há mais de um século

Argel Fucks ainda trabalhava no Figueirense, mas sete dos 11 colorados que ele deve mandar a campo para enfrentar o Grêmio às 17 horas no Beira-Rio estão entre as vítimas do massacre de 9 de agosto: Alisson; William, Ernando, Rodrigo Dourado, Anderson, Vitinho e Lisandro López.

Foi pela 17ª rodada deste Brasileirão, diante de 46.010 torcedores, na Arena Grêmio. O Inter ainda procurava um substituto para Diego Aguirre, o Grêmio tinha trocado Luiz Felipe Scolari por Roger Machado 13 rodadas antes.

Mal o jogo começou, o gremista Douglas perdeu um pênalti. Mal sinal? Não para os gremistas.

Dali em diante, o Grêmio massacrou o Inter, enfiando-lhe 5 a 0, sua mais escancarada vitória num Gre-Nal desde 1912, quando tinha vencido por 6 a 0. Foi um dos três maiores vexames colorados na história do Campeonato Brasileiro, igual às derrotas 5 a 0 para a Chapecoense em 2014 e para o São Caetano em 2003.

Além do comandante Roger Machado, oito dos algozes gremistas daquele 9 de agosto vão se reencontrar com as vítimas daqui a pouco. São Marcelo Grohe, Rafael Galhardo, Pedro Geromel, Erazo, Marcelo Oliveira, Giuliano, Douglas e Luan.

O jogo vale para os colorados a última chance de continuar sonhando com uma vaga na Libertadores em 2016. Para o Grêmio, a permanência no terceiro lugar do Brasileirão,  a três pontos, no máximo, do Atlético Mineiro, uma semana antes de recepciona-lo em Porto Alegre em confronto direto pela vice-liderança.

Na verdade, o Gre-Nal deste domingo se basta como revanche daquele 9 de agosto.

Anúncios

Enquanto o Corinthians espera, Inter e Ponte sonham

Poderia ser o sábado da grande festa corintiana, mas a definição matemática do título brasileiro de 2015 não se dará hoje nem que Tite e sua rapaziada trucidem o Coritiba em Itaquera às 19h30, e assim o jogo do dia é o Internacional x Ponte Preta das 17 horas.

Os dois ainda aspiram ao G-4 – ou, quem sabe, G-5 – e vão fazer no Beira-Rio um jogo em que o empate não vale. Ou vale a morte conjunta.

Três pontos atrás do São Paulo e do Santos na ordem de classificação, colorados e pontepretanos não têm opção: estão obrigados a vencer hoje para continuar sonhando.

Argel escala D'Alessandro: respeito

Argel escala D’Alessandro: respeito de adversários e árbitros

Embora esconda a escalação do time, confirmando apenas a volta do meia D’Alessandro, “que impõe respeito ao adversário e ao árbitro”, o técnico  Argel Fucks prometeu, durante a semana, um Inter será menos cauteloso do que tem sido até agora:

– É um confronto direto, um jogo decisivo para nós, de seis pontos. Vamos jogar em casa, precisamos fazer o dever de casa. Esse é o nosso pensamento.

Juninho:

Juninho: “vamos buscar três pontos”

Parece que a Ponte, depois de três vitórias e um empate nos cinco últimos jogos fora de casa, não pensa diferente. É que revela o volante Juninho, que ainda não sabe se vai jogar ou ficará no banco:

– O jogo vai decidir o que queremos no campeonato. Temos a possibilidade de entrar no G-4. Sempre falam nesse negócio de que tem de jogar retrancado contra times grandes, mas já demonstramos que não é bem assim. Vamos lá para jogar e buscar mais três pontos. Precisamos jogar da mesma maneira que estamos jogando.

Não parece papo furado.

Como vencer é obrigatório, Internacional e Ponte Preta devem fazer um jogão no sábado em que o Corinthians, mesmo alcançando sua 23ª vitória neste Brasileirão , ainda não poderá gritar que é campeão.

Alguns mais apressadinhos, como Vagner Love, até gostariam, mas a banda dos sensatos, puxada por Renato Augusto e abençoada por Tite, só quer saber de festa depois que o caneco estiver matematicamente garantido.

Paulistão sem troca-troca deveria inspirar CBF

O Campeonato Paulista de 2016 terá uma novidade que deveria ser adotada pela CBF, começando pelo Brasileirão: nenhum técnico poderá trocar de clube durante a competição.

Quem pedir demissão ou for demitido deve ir procurar emprego em outra freguesia.

Se tal norma valesse no Brasileirão de 2015, Doriva não estaria no São Paulo nem teria treinado a Ponte Preta depois de sair do Vasco.

E mais: Marcelo Oliveira não teria assumido o comando do Palmeiras depois de ser demitido do Cruzeiro.

E muito mais:

♦ Vanderlei Luxemburgo não teria trabalhado no Flamengo e no Cruzeiro

♦ Oswaldo de Oliveira não teria ido para o Fla depois de perder o emprego no Palmeiras

♦ Cristóvão Borges não estaria trabalhando no Atlético Paranaense após ser despedido do Fla

♦ Guto Ferreira não estaria sofrendo na Chapecoense depois de ser dispensado pela Ponte Preta

♦ Argel Fucks não teria abandonado o Figueirense para comandar o Internacional

♦ Eduardo Baptista não teria trocado o Sport pelo Fluminense

Atlético volta a jogar muito bem e bota pressão em Tite

Marcos Rocha: gol dá vitória ao Atlético, que merecia mais do que os 2 a 1 sobre o Inter

Marcos Rocha: gol garante vitória e deixa o Atlético perto do Corinthians

Tite não quis nem ver. Guardou a pilha para se inquietar amanhã à beira do gramado do Itaquerão durante o Corinthians x Goiás. Perdeu mais uma bela atuação do Atlético Mineiro no Brasileirão, senhor absoluto de todas as ações nos 2 a 1 sobre o Internacional.

Quando joga realmente bem, o que vinha rareando nas últimas rodadas, o Atlético é um dos melhores times de se ver no futebol brasileiro dos nossos dias, ofensivo do começo ao fim, insistente, rápido e criativo na armação e nos contra-ataques, combativo em todo o campo, incisivo na linha de frente.

Tite vai conferir no teipe as qualidades do seu único adversário na luta pelo título brasileiro, já avisou antes de dizer que se desligaria do espetáculo ao vivo no começo da noite desta quarta-feira, e terá bons argumentos para motivar sua moçada a não deixar amanhã que se estreite a vantagem sobre este vice-líder inconstante, mas perigoso.

Se não fossem os bandeirinhas bastante ruins, que enxergam impedimento em sucessivos ataques absolutamente legais, o Atlético teria feito mais no Independência do que os gols de Lucas Pratto, em cobrança de pênalti, e de Marcos Rocha, muito pouco para traduzir o predomínio absoluto diante de um Internacional preocupado apenas em se defender.

Levir Culpi mereceu muito mais do que o 2 a 1 que Argel Fucks deve festejar. O Inter poderia ter levado mais uns dois ou três.

A esta altura do Brasileirão, no entanto, importa de verdade é a pilha que Levir conseguiu botar no Corinthians x Goiás da quinta-feira. Até lá, a diferença entre o líder Corinthians e o vice-líder Atlético é de apenas dois pontos.

Copa do Brasil define três semifinalistas nesta quarta

Argel e Marcelo 309@ Marcelo Oliveira e Argel Fucks: Palmeiras e Inter se enfrentam por vaga nas semifinais

Podemos dar de barato que o São Paulo, hoje no Maracanã, e o Santos, amanhã no Pacaembu, confirmarão com tranquilidade que será entre eles um dos confrontos das semifinais, garantindo antecipadamente um time paulista na decisão do título da Copa do Brasil de 2015.

Nem o Vasco, que foi abatido por 3 a 0 no Morumbi, nem o Figueirense, derrotado em casa por 1 a 0, têm energia suficiente para barrar o São Paulo e o Santos rumo às semifinais.

Difícil também, mas nem de longe impossível, é que o Internacional conquiste hoje, no Allianz Parque, a vaga que parece destinada ao Palmeiras.

O 1 a 1 do primeiro jogo das quartas de final, em Porto Alegre, dá aos palmeirenses a vantagem, que o técnico Marcelo Oliveira já dimensionou como “vantagenzinha”, de se garantir com um simples 0 a 0 em casa.

Por certo, o forte do Palmeiras não é a defesa, mas, em compensação, o ataque não marcou menos de dois gols em nenhum dos cinco jogos recentes no Parque. E, nos 15 jogos que fez fora de casa pela Copa do Brasil e pelo Brasileirão, o Inter marcou dois gols apenas contra o Ituano e o Joinville.

Mesmo assim, o colorado Argel Fucks aposta num jogo com gols:

– Não acredito em 0 a 0.

Por via das dúvidas, Marcelo Oliveira botou a moçada palmeirense para treinar a cobrança de pênaltis.

Vantagem ainda menor, pois não saiu do 0 a 0 no Maracanã, terá o Grêmio diante do Fluminense. Bastará um gol do Flu na Arena Grêmio para complicar a vida do anfitrião.

Nesta Copa do Brasil, o Grêmio fez três jogos em casa, levou gol em dois. Nos últimos cinco jogos do Brasileirão em sua Arena, só não levou gol do Coritiba.

O Flu tem, pois, alguma chance de tirar o Grêmio da parada e se classificar para as semifinais. Será difícil, porém. Basta conferir o retrospecto dos dois no Brasileirão para enxergar o óbvio favoritismo do Grêmio neste confronto entre tricolores.

Certeza, apenas uma: a noite desta quarta-feira, com previsão de chuva no Rio e em São Paulo e céu claro em Porto Alegre, definirá três semifinalistas da Copa do Brasil – provavelmente, o São Paulo, o Palmeiras e o Grêmio.

Zebra cearense pasta no gramado do Morumbi

A primeira rodada das oitavas de final da Copa do Brasil fechou com uma vistosa zebra no Morumbi: São Paulo 1 x 2 Ceará.

Rafael Costa fez 1 a 0 logo aos 17 minutos. Bem que o time de Juan Carlos Osorio tentou reagir, foi para o ataque, dominou o jogo, martelou, martelou, mas o goleiro Luis Carlos fechou o gol e só foi vazado por Alexandre Pato aos 22 do segundo tempo, depois que Rafael Costa já tinha feito 2 a 0.

A surpreendente vitória permitirá ao time cearense, lanterninha absoluto da Série B do Brasileirão, classificar-se em casa para as quartas de final da Copa do Brasil mesmo perdendo por 1 a 0 o jogo da próxima quarta-feira.

Os jogos das 19 horas tiveram resultados mais previsíveis, embora o Fluminense tenha sofrido para vencer no Maracanã.

O calendário do futebol brasileiro não é muito propício aos velhinhos. E o Flu andou perto de se dar mal: perdeu os trintões Fred e Ronaldinho Gaúcho, machucados, e já estava quase conformado com o empate por 1 a 1 com o Paysandu, mas foi salvo pelo quase lateral Renato, que fez 2 a 1 aos 48 do segundo tempo.

O quase quarentão Magno Alves, que substituiu Fred, tinha feito o primeiro gol do Flu. Em Belém, na próxima quarta, o Flu joga por um empate, mas ao Paysandu basta uma vitória por 1 a 0 para ir em frente. E o retrospecto no Brasileirão mostra que o Flu dos velhinhos é uma visitante frágil: perdeu cinco dos nove jogos que fez fora de casa.

Com gols de Vitinho e Valdívia, no Beira-Rio, o Internacional derrotou o Ituano por 2 a 0 e ficou muito próximo das quartas de final da Copa do Brasil. Na semana que vem, em Itu, corre um único e pequeno risco: excesso de confiança.

Não é problema que possa afetar uma equipe comandada por Argel Fucks, acostumado a trabalhar permanentemente em alta tensão. Será sempre mais fácil se ver em campo um Inter excessivamente pilhado do que acomodado.

Botafogo apanha e cartolas se vingam nos técnicos

Renê Simões: demitido após sai da Copa do Brasil

Renê Simões: demitido após sair da Copa do Brasil

O Botafogo, você já sabe, perdeu ontem para o Cricíúma a vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Pelo que se entende do comportamento dos diretores do clube, a culpa foi dos técnicos.

Em primeiro lugar, de Argel Fucks, que ousou armar o seu Criciúma para vencer no Engenhão. Encerrado o jogo, que teve de acompanhar da tribuna pois está suspenso, Argel só não foi agredido pelo dirigente Antonio Carlos Mantuano porque os seguranças do Botafogo contiveram o valentão.

Nem 24 horas se passaram e o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, também resolveu entrar em ação, demitindo o próprio treinador, Renê Simões, como se ele fosse o culpado pela derrota. A demissão foi acompanhada por uma curiosa justificativa:

O clube agradece pelos serviços prestados desde o início do ano, como a formação da equipe, o título da Taça Guanabara e a liderança do Campeonato Brasileiro da Série B, mas entende que o momento é de mudança visando alcançar os objetivos na temporada.

Renê Simões comandou o Botafogo em 38 jogos – 22 vitórias, oito empates e oito derrotas, ou seja, 65% de aproveitamento.

É um índice que deixaria o Bota em quinto lugar no Brasileirão de 2015 e, na edição de 2014, o teria feito vice-campeão e não vice-lanterna, como acabou sendo, com apenas 29% de aproveitamento.