Arquivo da tag: James Rodríguez

Empate com Colômbia deixa o Chile atrás do Equador

Vidal fez 1 a 0, mas Chile deixou James Rodríguez empatar

Vidal fez 1 a 0, mas Chile deixou James Rodríguez empatar

Ninguém pega mais o Equador na terceira rodada das Eliminatórias Sul-Americanas que se completará com os jogos Argentina x Brasil, às 22 horas desta sexta-feira e, já na madrugada brasileiro do sábado, Peru x Paraguai.

Em Santiago, o Chile fez 1 a 0 no finalzinho do primeiro tempo, com uma forte cabeçada de Vidal, mas cedeu o empate à Colômbia na metade do segundo, num belo giro dentro da área do seu craque James Rodríguez.

Perdida a chance de manter os 100% de aproveitamento, o campeão da Copa América caiu para o segundo lugar, com sete pontos, um a mais do que o Uruguai, dois a menos do que o Equador.

Na terça-feira, dia 17, eles se enfrentam em Montevidéu. Os colombianos, que vão dormir hoje no quinto lugar, receberão a Argentina em Barranquilla.

As estrelas estão fora das Eliminatórias

Fora das Eliminatórias 610@@@Neymar só voltará na terceira rodada, contra a Argentina, mas não é só Brasil que jogará sem seu maior craque as duas primeiras partidas das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018.

A Argentina não terá Lionel Messi contra o Equador e o Paraguai.

O Uruguai não contará com Luis Suárez contra a Bolívia e a Colômbia.

E a Colômbia enfrentará Peru e Uruguai sem James Rodriguez.

Neymar e Suárez estão suspensos, Messi e James Rodriguez estão contundidos.

Argentina x Colômbia: as estrelas estão devendo

Messi x James Rodríguez: duelo por vaga nas semifinais da Copa América

Messi x James Rodríguez: duelo por vaga nas semifinais da Copa América

O 101º jogo de Lionel Messi com a camisa da Argentina marcará o seu reencontro, agora como adversário, com José Pekerman, o homem que lhe deu a primeira chance de vesti-la, já se vai uma década, num amistoso com a Hungria em Budapeste.

Foi uma estreia meteórica em 17 de agosto de 2005: menos de um minuto depois de entrar em campo, já quase na metade do segundo tempo, o garoto de 18 anos foi expulso do jogo que a Argentina venceu por 2 a 1.

Messi acabara de se sagrar campeão mundial Sub-20, tendo sido o artilheiro e o craque da competição, mas, dez anos depois, continua devendo aos argentinos um título com a seleção principal – jejum que atormenta nuestros hermanos desde 4 de julho de 1993, quando conquistaram a Copa América no Equador.

Às 20h30 desta sexta-feira, no Estádio Sausalito, em Viña del Mar, Messi tem a obrigação de liderar a favorita Argentina no confronto com a Colômbia comandada por seu compatriota Pekerman. A vitória vale uma das vagas nas semifinais desta Copa América.

Até agora, o talento do cracaço argentino só cintilou no frustrante 2 a 2 da estreia contra o Paraguai e em raríssimos momentos do 1 a 0 sobre o Uruguai, mas de Messi se deve esperar sempre que desequilibre o jogo e decida em campo a sorte da Argentina, como tantas e tantas vezes decide a do Barcelona.

Do lado colombiano, as esperanças estão nos pés de outro camisa 10, o jovem James Rodríguez, uma das principais estrelas da Copa do Mundo disputada no Brasil em 2014 e figurinha até agora apagada nos campos do Chile.

Muito mais do que Messi deve à Argentina, o craque do Real Madrid está devendo à Colômbia. E se não pagar hoje pelo menos parte da dívida, os colombianos voltarão para casa. Afinal, time por time, o de José Pekerman perde feio para o de Tata Martino.

Só a estrela colombiana pode compensar a diferença. Se Messi concordar, claro.

Neymar 176aaa

O juiz espanhol José de la Mata conseguiu o que os marcadores não conseguem: parar Neymar em campo.

Visivelmente desligado do jogo, como se ecoasse em sua cachola a decisão do magistrado de abrir um processo na Espanha para investigar os valores  de sua transferência do Santos para o Barcelona, Neymar teve uma atuação decepcionante no Estádio Monumental de Santiago.

Consequência: sem Neymar, o Brasil não jogou nada e, 24 anos após ter pedido pela última vez para a Colômbia, lá mesmo no Chile, igualmente em jogo da Copa América, voltou a ser derrotado, agora por 1 a 0, gol do zagueiro Murillo em jogada de bate-rebate dentro da área de Jefferson, bem característica das peladas.

A Colômbia, superior em boa parte do primeiro tempo, não exigiu do goleiro brasileiro nenhuma outra defesa durante todo o jogo. O Brasil só deu trabalho a Ospina numa bola que ele teve de dividir atabalhoadamente com Elias e sobrou para Firmino, com o gol escancarado, chutar para fora.

Muito pouco para dois times que desembarcaram no Chile como candidatos ao título.

O Brasil teve mais posse de bola e, portanto, mais terreno para exibir a própria incompetência e ficou em segundo lugar no Grupo C (com três pontos, saldo zero e dois gols marcados), à frente da Colômbia (que tem a mesma pontuação, saldo igualmente zerado e só fez até agora o gol desta noite) e atrás da Venezuela, que amanhã enfrentará o Peru, mas já tem pelo menos um golzinho de saldo.

O grupo se define no domingo com os confrontos Colômbia x Peru e Brasil x Venezuela.

Neymar estará fora de combate e não por responsabilidade do juiz José de la Mata, mas do árbitro chileno Enrique Osses, que lhe mostrou com algum rigor o segundo cartão amarelo da competição durante a partida e, com inteira justiça, o cartão vermelho ao final.

Neymar e Murillo: desentendimento durante o jogo

Neymar e Murillo: desentendimento durante o jogo

Depois de nada jogar e de já se ter desentendido com Murillo, Neymar queria mais briga e acabou encontrando no colombiano Bacca um contendor à altura. Enrique Osses puniu os dois.

Foi, então, que James Rodríguez finalmente apareceu no gramado do Estádio Monumental de Santiago. Elegantemente, tirou Neymar da confusão. Não era mesmo a noite dos craques.

Brasil x Colômbia ou Neymar x James Rodríguez?

Neymar e James Rodriguez: desforra em Santiago?

Neymar e James Rodriguez: em jogo, vaga nas quartas e sobrevivência na Copa

Ele vai fazer 24 anos oito dias depois da decisão da Copa América, competição que a sua Colômbia venceu uma única vez, em 2001, derrotando o México na final em Bogotá.

James David Rodríguez Rubio era uma criança de dez anos e batia sua bolinha no Envigado FC, cuja camisa viria a vestir em 2006 ao estrear como profissional na Segunda Divisão da Colômbia.

Cinco anos depois, já reconhecido como um dos maiores talentos do futebol colombiano, viu das arquibancadas – ou terá sido das tribunas? – o Brasil de Fernandinho, Casemiro, Willian e Philippe Coutinho, que podem ser seus adversários hoje em Santiago, ganhar o Mundial Sub-20 lá na Colômbia ao vencer Portugal por 3 a 2.

A Colômbia e seu camisa 10 tinham caído fora da disputa nas quartas de final ao perder para o México, que seria derrotado pelo Brasil nas semifinais.

No ano passado, o craque colombiano viveu em campo a tristeza de perder para o Brasil de David Luiz, Fernandinho e Neymar a classificação para as semifinais da Copa do Mundo. Até fez gol, em cobrança de pênalti, mas o Brasil venceu o jogo por 2 a 1, com gols dos zagueiros Thiago Silva e David Luiz.

Será o jogo desta noite, que pode classificar antecipadamente o Brasil para as quartas de final da Copa América e colocar em risco a sobrevivência da Colômbia na competição, uma oportunidade para o artilheiro da Copa do Mundo de 2014 acertar as contas com o Brasil de Neymar, meio ano mais novo do que ele?

É o que o colombiano mais quer, mesmo consciente das dificuldades:

– Não vai ser fácil. Neymar está em um nível incrível. Para ganhar do Brasil, precisamos estar atentos a tudo e atuar em nosso nível máximo.

A última vez que a seleção colombiana derrotou a brasileira foi numa Copa América disputada no Chile, a de 1991, no dia seguinte ao nascimento de James Rodríguez.

Em Viña del Mar, a Colômbia de Higuita, Valderrama e Rincón venceu por 2 a 0, gols de De Ávila e Iguarán, o Brasil que estava sendo remontado por Paulo Roberto Falcão e tinha Taffarel, Mazinho, Ricardo Rocha, Branco, Mauro Silva e Raí, todos tetracampeões do mundo em 1994.

E para ganhar nvamente da Colômbia, Neymar?

James é um grande jogador, inteligente, vamos tomar todas as precauções com ele para vencer.

É uma ironia que Suárez não dispute a Copa América

Suárez e Chiellini 136Um ano depois de morder Chiellini na Copa do Mundo, Suárez não pode jogar a Copa América

O Uruguai fez quatro jogos na Copa do Mundo de 2014: perdeu para a Costa Rica, venceu a Inglaterra e a Itália na primeira fase, e perdeu para a Colômbia nas oitavas de final.

Terá sido mera coincidência que tenha contado com Luis Suárez nas duas vitórias e jogando sem o maior craque uruguaio das últimas décadas nas duas derrotas?

O Uruguai é o atual campeão da Copa América, tendo conquistado o título de 2011 na Argentina, que Suárez e companhia trataram de tirar da competição logo nas quartas de final.

Vice-artilheiro e melhor jogador em 2011 da mais antiga competição entre seleções de futebol em todo o mundo, o uruguaio Luis Alberto Suárez Díaz tem 28 anos, idade que costuma marcar o apogeu técnico dos grandes craques.

Seria certamente candidato ao troféu de craque da Copa América de 2015, apesar da concorrência nada desprezível do argentino Messi, do brasileiro Neymar, seus parceiros no Barcelona, e do colombiano James Rodríguez, seu rival do Real Madrid.

Acontece que Luisito Suárez, o extraordinário atacante que tanto faz gols como os oferece em precisas assistências aos companheiros de time, não vai disputar a Copa América no Chile.

Suárez está proibido pela Fifa de jogar com a camisa uruguaia, para alegria dos jamaicanos, que daqui a pouco enfrentarão atuais campeões, e em seguida de argentinos e paraguaios, sem contar os adversários que possam vir a partir das oitavas de final.

Lembra-se?

Na Copa de 2014, já no final do 1 a 0 sobre a Itália, num entrevero com o zagueiro Chiellini, Suárez mordeu o seu ombro e, como não era a primeira fez que cometia gesto tão primitivo em campo, foi julgado pelo comitê disciplinar da FIFA, embora o juiz da partida não tenha sequer visto o lance, e suspenso por nove jogos da seleção em competições internacionais, entre outras penas igualmente exageradas.

E assim Suárez pode ser campeão europeu pelo Barcelona, mas não pode defender o título americano de seleções pelo Uruguai.

Sai perdendo não somente a seleção uruguaia, mas a Copa América.

Não deixa de ser uma ironia histórica que uma mordida num adversário tire dos campos um dos maiores craques da atualidade nesses dias em que o FBI escancarou para o mundo que a grossa flor da cartolagem também vivia de morder. Em sentido figurado, claro.