Arquivo da tag: Venezuela

Não há seleção como a brasileira na história das Copas

Vão começar daqui a pouco, com o jogo Bolívia x Uruguai, as Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018 que muita gente considera as mais equilibradas da história.

Alguns pitacos sobre o que aconteceu nas Eliminatórias com as dez seleções sul-americanas desde 1994, quando o Brasil conquistou o tetracampeonato mundial:

♦ A Argentina é a única seleção que participou de todas as Eliminatórias. Duas vezes campeões do mundo, a última em 1986, os argentinos voltaram a disputar o título nas sete edições seguintes sem nunca mais conquistá-lo. Foram à Copa de 1994 após vencer a Austrália na repescagem.

♦ Tetracampeão, o Brasil estava garantido em 1998. Pentacampeão em 2002, teve de passar pelas Eliminatórias de 2006. Anfitrião em 2014, não precisou disputar a vaga.

♦ Duas vezes campeão do mundo, o Uruguai não conseguiu se classificar para três das últimas Copas– as 1994, 1998 e 2006 – e, nas outras três, só garantiu a vaga na repescagem – contra a Austrália em 2002, a Costa Rica em 2010, e a Jordânia em 2014.

♦ O Chile não conseguiu passar das Eliminatórias nas edições de 1994, 2002 e 2006.

♦ A Colômbia não chegou às Copas de 2002, 2006 e 2010.

♦ O Paraguai ficou fora de 1994 e 2014.

♦ O Equador não conseguiu vaga em 1994, 1998 e 2010.

♦ A Bolívia foi à Copa de 1994 e nunca mais voltou.

♦ A última Copa disputada pelo Peru foi a de 1982.

♦ A Venezuela nunca foi a uma Copa do Mundo.

Recordação histórica: dos 209 países filiados à Fifa, o Brasil é o único que participou de todas as edições da Copa do Mundo, desde quando nem havia Eliminatórias.

Será muito, muito difícil que a Seleção não vá à Rússia.

Anúncios

Por incrível que pareça, é do nosso interesse

Hoje seria dia de tirar folga da Copa América. Afinal, que graça pode ter Peru x Venezuela?

Graça talvez não tenha, mas o jogo das 20h30 será importante para a caminhada do Brasil na Copa América.

A Seleção pode dormir em primeiro lugar no Grupo C se o Peru vencer a Venezuela por 1 a 0.

Ficariam, então, os quatro times do grupo empatados em pontos (três) e saldo de gols (zero), mas a ordem de classificação, pela combinação dos gols marcados com o resultado do confronto direto, seria:

·         1. Brasil

·         2. Peru

·         3. Venezuela

·         4. Colômbia

A que ponto chegamos, né?

Neymar 176aaa

O juiz espanhol José de la Mata conseguiu o que os marcadores não conseguem: parar Neymar em campo.

Visivelmente desligado do jogo, como se ecoasse em sua cachola a decisão do magistrado de abrir um processo na Espanha para investigar os valores  de sua transferência do Santos para o Barcelona, Neymar teve uma atuação decepcionante no Estádio Monumental de Santiago.

Consequência: sem Neymar, o Brasil não jogou nada e, 24 anos após ter pedido pela última vez para a Colômbia, lá mesmo no Chile, igualmente em jogo da Copa América, voltou a ser derrotado, agora por 1 a 0, gol do zagueiro Murillo em jogada de bate-rebate dentro da área de Jefferson, bem característica das peladas.

A Colômbia, superior em boa parte do primeiro tempo, não exigiu do goleiro brasileiro nenhuma outra defesa durante todo o jogo. O Brasil só deu trabalho a Ospina numa bola que ele teve de dividir atabalhoadamente com Elias e sobrou para Firmino, com o gol escancarado, chutar para fora.

Muito pouco para dois times que desembarcaram no Chile como candidatos ao título.

O Brasil teve mais posse de bola e, portanto, mais terreno para exibir a própria incompetência e ficou em segundo lugar no Grupo C (com três pontos, saldo zero e dois gols marcados), à frente da Colômbia (que tem a mesma pontuação, saldo igualmente zerado e só fez até agora o gol desta noite) e atrás da Venezuela, que amanhã enfrentará o Peru, mas já tem pelo menos um golzinho de saldo.

O grupo se define no domingo com os confrontos Colômbia x Peru e Brasil x Venezuela.

Neymar estará fora de combate e não por responsabilidade do juiz José de la Mata, mas do árbitro chileno Enrique Osses, que lhe mostrou com algum rigor o segundo cartão amarelo da competição durante a partida e, com inteira justiça, o cartão vermelho ao final.

Neymar e Murillo: desentendimento durante o jogo

Neymar e Murillo: desentendimento durante o jogo

Depois de nada jogar e de já se ter desentendido com Murillo, Neymar queria mais briga e acabou encontrando no colombiano Bacca um contendor à altura. Enrique Osses puniu os dois.

Foi, então, que James Rodríguez finalmente apareceu no gramado do Estádio Monumental de Santiago. Elegantemente, tirou Neymar da confusão. Não era mesmo a noite dos craques.