Arquivo da tag: Philippe Coutinho

Mourinho diz que não foi seu último jogo pelo Chelsea

Muitos torcedores foram embora pouco depois que Benteke fez 3 a 1 para o Liverpool a menos de dez minutos do final do jogo, consolidando  a virada que o brasileiro Philippe Coutinho construíra com um gol aos 47 do primeiro tempo e outro aos 28 do segundo.

Outros cantaram que Mourinho já não é mais “especial”.

O treinador do Chelsea mal falou com os jornalistas, repetindo exaustivamente:

– Não tenho nada a dizer.

Mais tarde, respondeu secamente à dúvida de um repórter:

– Se eu acho que este foi o meu último jogo no Chelsea? Não, não acho e não foi.

Com 11 pontos ganhos em 11 jogos, o Chelsea está em 15º lugar no Campeonato Inglês, 14 pontos atrás do líder Manchester City e do vice-líder Arsenal, apenas cinco à frente do Sunderland, que abre a zona de rebaixamento e amanhã visitará o Everton.

Anúncios

Brasil quis pouco e ficou sem nada na Copa América

González: decisivo para o Paraguai

González: decisivo para a classificação do Paraguai

Não chegava a ser um domínio claro, até porque a bola ficava mais tempo em pés brasileiros, mas o Paraguai parecia mais disposto a ganhar o jogo até que, aos 14 minutos, Robinho fez 1 a 0 para o Brasil e ficou a impressão de que a maré ia mudar.

Foi um gol desenhado com as tintas que os brasileiros esperam quando a Seleção entra em campo. Robinho recebeu na intermediária paraguaia a bola passada por Felipe Luís, limpou o lance com um belo toque em torno do marcador, fez o passe para Elias, que encontrou Daniel Alves aberto na direita, de onde partiu o cruzamento na medida para Robinho fazer o gol.

É assim que se joga, mas não foi assim que o Brasil continuou jogando.

É verdade que, até o fim do primeiro tempo, o time manteve a superioridade que o 1 a 0 lhe assegurara, mas sem levar muito perigo ao gol de Villar. Mesmo assim, se tinha a impressão de que a qualquer momento o Brasil reencontraria o caminho do gol e decidiria de vez a classificação para a semifinal.

O Paraguai, porém, não se entrega facilmente. Já se tinha visto tal filme nesta Copa América. Contra a Argentina e contra o Uruguai, os paraguaios saíram perdendo e foram buscar o empate.

Foi o que fizeram novamente neste sábado em Concepción.

O Brasil de Dunga voltou para o segundo tempo menos disposto a atacar. Cedeu a iniciativa do jogo, esqueceu o toque de bola e a troca de passes, apelou insistentemente para os chutões e foi abrindo espaço para as manobras ofensivos dos paraguaios.

Este Brasil se satisfaz com pouco.

Um pênalti bobo de Thiago Silva, erguendo demasiadamente o braço numa disputa de bola pelo alto, deu a González a chance de empatar o jogo e transformar em pó o pouco que já satisfazia os brasileiros.

Ainda restavam 25 minutos e até que o Brasil se reanimou um pouco, mas Robinho já não tinha o dinamismo do primeiro tempo e nem o meio de campo nem o ataque, com exceção de Philippe Coutinho, se acertavam no trato com a bola.

O jogo chegou ao fim com os paraguaios festejando o 1 a 1 que levou a decisão da vaga na semifinal para os pênaltis. Eles tinham razão. Resultado: Brasil 3 x 4 Paraguai.

Na terça, Concepción vai ver a reprise do jogo que La Serena viu na primeira rodada do Grupo B desta Copa América. Agora, Argentina x Paraguai valerá vaga na final. González fechou a série.

E por querer pouco, a Seleção perdeu muito: além de cair fora da Copa América,  não disputará a próxima Copa das Confederações nem contará com Neymar nos dois primeiros jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Hoje tem espetáculo em Concepción. Será?

Willian: Paraguai na mira, Argentina no horizonte – Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Willian: Paraguai na mira, Argentina no horizonte – Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Está pronto o palco para o espetáculo desta noite.

Espetáculo?

É o que se espera de artistas acostumados a brilhar nos melhores palcos da Europa.

O daqui demorou um pouco para ficar pronto.

A reforma acabou sendo mais longa e mais cara do que o previsto, mas, a dois dias do espetáculo deste sábado, o palco foi reinaugurado com discurso festivo da presidenta e muitas manifestações iradas do lado de fora contra os U$ 50 milhões gastos nas obras.

Diferentemente do que você pode estar imaginando, falamos do Chile, especificamente do Estádio Ester Roa Rebolledo, em Concepción, onde se definirá, a partir das 18h30, o último semifinalista da Copa América – Brasil ou Paraguai.

O vencedor do jogo desta noite vai enfrentar na terça-feira, de novo na casa reinaugurada por Michelle Bachelet, a Argentina que ontem venceu a Colômbia nos pênaltis depois do 0 a 0 nos 90 minutos.

A gente quer espetáculo, mas a Seleção não quer falar em show. Na entrevista coletiva de ontem, o lateral Filipe Luís já tratou de avisar sobre os paraguaios:

– Eles se fecham bem na defesa e buscam o contra-ataque para ganhar os jogos. Precisamos estar atentos em todos os momentos para não sermos pegos em desvantagem na defesa.

Esperemos, então, um Brasil mais cuidadoso do que disposto a mostrar enfim um futebol minimamente empolgante nesta Copa América. O time está em formação e precisa se cuidar, parece querer dizer o técnico Dunga ao reclamar:

– Acho injustas a cobrança e a pressão que estão colocando sobre a atual Seleção Brasileira. Nossos jogadores merecem respeito, estão empenhados, treinando, trabalhando, em busca de um objetivo que é ganhar uma competição das mais difíceis, que é a Copa América.

O técnico brasileiro recorreu até à história para defender o time atual:

– O Brasil ficou 40 anos sem ser campeão e tinha seleções tidas como espetaculares, com grandes jogadores, craques indiscutíveis. E não ganhou. Então, não entendo por que esta Seleção, que tem muitos jogadores que nunca disputaram uma Copa América, tem de sofrer tanta cobrança.

Dunga tem alguma razão, mas o Brasil não pode se acanhar diante do Paraguai de Roque Santa Cruz e Lucas Barrios, uma seleção muito batalhadora e pouco criativa que joga a salvação na Copa América depois de ter ficado de fora da última Copa do Mundo.

O Brasil joga no Estádio Ester Roa para resgatar o prestígio do futebol cinco vezes campeão do mundo antes de sofrer em casa o vexame histórico de 2014.

O Brasil de Robinho, Willian, Philippe Coutinho e Firmino tem de entrar em campo com o Paraguai na mira, e a Argentina no horizonte. Não é hora ainda de voltar para casa.

Imagem do dia: conjunto afinado

Seleção colagem 2Seleção colagem 1

Além da bola, o que é mesmo que une (ou separa) esta rapaziada convocada pelo regente Dunga para tocar em conjunto a banda brasileira na Copa América?

Willian, Elias, Daniel Alves, Robinho, Thiago Silva e Philippe Coutinho não são os únicos que raramente se separam dos fones de ouvido nas andanças da Seleção.

Fotos: Rafael Ribeiro/CBF

Agora é oficial: Firmino no Liverpool

Firmino no Liverpool - Foto: LFC/Divulgação

Firmino no Liverpool – Foto: LFC/Divulgação

O brasileiro Roberto Firmino, uma das boas novidades de Dunga na Seleção, vai jogar com Philippe Coutinho no Liverpool.

O clube inglês confirmou hoje, oficialmente, a contratação do brasileiro e até colocou em seu site a foto dele com a camisa do time.

Segundo a imprensa britânica, o  Hoffenheim recebeu  29 milhões de libras (um pouco mas de 40 milhões de euros ou cerca de 140 milhões de reais) para liberar o jogador, que vai gahar 400 mil libras por mês.

Leia mais sobre Firmino neste Benebol:

 Firmino precisa jogarem 29 de março

 Dunga já tem o time para pegar a França – em 24 de março

 

Brasil x Colômbia ou Neymar x James Rodríguez?

Neymar e James Rodriguez: desforra em Santiago?

Neymar e James Rodriguez: em jogo, vaga nas quartas e sobrevivência na Copa

Ele vai fazer 24 anos oito dias depois da decisão da Copa América, competição que a sua Colômbia venceu uma única vez, em 2001, derrotando o México na final em Bogotá.

James David Rodríguez Rubio era uma criança de dez anos e batia sua bolinha no Envigado FC, cuja camisa viria a vestir em 2006 ao estrear como profissional na Segunda Divisão da Colômbia.

Cinco anos depois, já reconhecido como um dos maiores talentos do futebol colombiano, viu das arquibancadas – ou terá sido das tribunas? – o Brasil de Fernandinho, Casemiro, Willian e Philippe Coutinho, que podem ser seus adversários hoje em Santiago, ganhar o Mundial Sub-20 lá na Colômbia ao vencer Portugal por 3 a 2.

A Colômbia e seu camisa 10 tinham caído fora da disputa nas quartas de final ao perder para o México, que seria derrotado pelo Brasil nas semifinais.

No ano passado, o craque colombiano viveu em campo a tristeza de perder para o Brasil de David Luiz, Fernandinho e Neymar a classificação para as semifinais da Copa do Mundo. Até fez gol, em cobrança de pênalti, mas o Brasil venceu o jogo por 2 a 1, com gols dos zagueiros Thiago Silva e David Luiz.

Será o jogo desta noite, que pode classificar antecipadamente o Brasil para as quartas de final da Copa América e colocar em risco a sobrevivência da Colômbia na competição, uma oportunidade para o artilheiro da Copa do Mundo de 2014 acertar as contas com o Brasil de Neymar, meio ano mais novo do que ele?

É o que o colombiano mais quer, mesmo consciente das dificuldades:

– Não vai ser fácil. Neymar está em um nível incrível. Para ganhar do Brasil, precisamos estar atentos a tudo e atuar em nosso nível máximo.

A última vez que a seleção colombiana derrotou a brasileira foi numa Copa América disputada no Chile, a de 1991, no dia seguinte ao nascimento de James Rodríguez.

Em Viña del Mar, a Colômbia de Higuita, Valderrama e Rincón venceu por 2 a 0, gols de De Ávila e Iguarán, o Brasil que estava sendo remontado por Paulo Roberto Falcão e tinha Taffarel, Mazinho, Ricardo Rocha, Branco, Mauro Silva e Raí, todos tetracampeões do mundo em 1994.

E para ganhar nvamente da Colômbia, Neymar?

James é um grande jogador, inteligente, vamos tomar todas as precauções com ele para vencer.

A Seleção precisa mostrar mais na Copa América

Brasil 2 x 0 México 76Brasil 2 x 0 México, no Allianz Parque: gols de Philippe Coutinho e Diego Tardelli

Deu pro gasto, mas o garoto Fred ficou devendo. Com Neymar, seria até covardia bater neste México fraquinho, fraquinho.

Foi uma oportunidade para Dunga conferir como se comporta o seu time sem o craque do Barça.

Viu-se no gramado bem ruinzinho do Allianz Parque um time um tanto burocrático, quase acomodado, até os 27 minutos, quando Philippe Coutinho abusou da categoria para fazer 1 a 0.

Nove minutos depois, na conclusão de uma bela jogada iniciada por Willian e burilada por Elias, Diego Tardelli fez 2 a 0.

O segundo tempo foi mais difícil de suportar, tal a lerdeza dos dois times em campo. Nada mais natural do que os 2 a 0 do primeiro fossem tenham sido o placar do jogo.

Não chegou a ser um teste para a Seleção que vai disputar a Copa América, mas foi um razoável treino diante de 34.659 pagantes, confirmação do que falou Dunga na véspera desta primeira apresentação no Brasil após o vexame nos dois últimos jogos da Copa do Mundo de 2014:

– O que aconteceu na Copa do Mundo ficará marcado para sempre. Não tem como mudar. Mas lembro que o Brasil ficou 24 anos sem ser campeão mundial,  e nem por isso a amor pela Seleção Brasileira diminuiu. O torcedor brasileiro jamais vai abandonar a Seleção.

Dunga tem razão, mas a Seleção também não pode abandonar o torcedor. Precisa mostrar mais.