Arquivo da tag: Shakhtar Donetsk

Vasco sofre aqui, Alex Teixeira multiplica gols por lá

Invicto há oito rodadas, o Vasco de Jorginho e seu auxiliar Zinho pode voltar a respirar sem a ajuda de aparelhos no Brasileirão se vencer o Grêmio às 17 horas no Maracanã e for ajudado por tropeços do Goiás, que recebe o Cruzeiro; do Coritiba, que recebe o São Paulo; e do Avaí, que visita a Chapecoense.

Não é tarefa fácil.

Terceiro colocado, o Grêmio precisa da vitória para se manter a uma distância segura do quarto e não perder de vista o vice-líder Atlético Mineiro. Fora de casa, o time de Roger Machado já empatou com o líder Corinthians e derrotou o Atlético, mas, em compensação, perdeu no Maracanã os jogos contra a dupla Fla-Flu.

A tarefa vascaína fica mais complicada quando se confere o baixo poder de fogo do seu ataque. O time fez 13 gols nos oito jogos sem derrota, mas nenhum atacante marcou nas cinco rodadas mais recentes.

Os gols do Vasco são de meias e zagueiros. Rafael Silva, autor dos dois no empate com o Cruzeiro em 16 de setembro, foi o último atacante vascaíno a marcar gol neste Brasileirão. O centroavante Leandrão passa em branco há seis rodadas.

Ironicamente, um atacante nascido e criado nas divisões de base do Vasco disputa gol a gol com o polonês Robert Lewandowski, do Bayern de Munique, e o gabonense Pierre do Borussia Dortmund, a Chuteira de Ouro de 2015.  Somente dois brasileiros conquistaram até hoje o prêmio ao mais destacado artilheiro do futebol europeu – Ronaldo, o Fenômeno, e Jardel.

Pois o ex-vascaíno Alex Teixeira, do Shakhtar Donetsk, com 16 gols em 2015, está brigando com Lewandowski e Aubameyang, que chegaram ao 13º  neste fim de semana e levam vantagem pois cada gol na liga alemã tem maior peso (2)  do que na liga ucraniana (1.5).

Como nem todas as lembranças são boas, no ano em que foi embora, 2009, Alex Teixeira disputou e foi campeão da Segundona pelo Vasco. Tinha 19 anos.

A nova esperança de alemães e brasileiros

Douglas Costa: aposta de Guardiola e Dunga - Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Douglas Costa: aposta de Guardiola e Dunga – Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Ele alegrou a torcida ao marcar, aos 46 minutos do segundo tempo, o gol da vitória brasileira por 2 a 1 sobre o Peru na estreia da Copa América. Tinha entrado aos 20, substituindo Tardelli.

Passou em branco na derrota para a Colômbia por 1 a 0. Jogou então, meio tempo, tempo substituído Willian.

Nas quartas de final, entrou aos 15 do segundo tempo, novamente substituindo Willian, viu de perto o Paraguai empatar o jogo aos 25 e, depois do 1 a 1 no tempo normal, perdeu um dos pênaltis que custaram a eliminação do Brasil.

Depois da Copa América, o gaúcho Douglas Costa de Souza, que vai fazer 25 anos daqui a um mês, trocou o Shakhtar Donetsk pelo Bayern de Munique numa transação de 30 milhões de euros, sinal claro de que os alemães viram nele algo além do que mostrou nos campos do Chile.

A torcida do Bayern o recebeu com certa desconfiança, a mesma que o cerca por aqui desde que foi chamado pela primeira vez para a Seleção por Mano Menezes em 2010, mas Pep Guardiola apostou nele para substituir Ribéry, ainda às voltas com as renitentes lesões dos últimos tempos, e abrir pelos lados os caminhos para os gols do tricampeão alemão.

Douglas Costa tem correspondido tão bem à confiança do técnico que, há poucos dias, Guardiola chegou a dizer que ele será em pouco tempo um dos melhores jogadores do mundo.

É tudo que Dunga espera, tanto que ontem o convocou novamente, desta vez para os ensaios que a Seleção fará nos Estados Unidos visando os primeiros jogos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

E hoje Douglas Costa mostrou mais uma vez que Guardiola pode estar certo: na abertura do Campeonato Alemão, foi um dos destaques do Bayern nos 5 a 0 sobre o Hamburgo, com direito a um gol e uma assistência.

O Brasil já tem o seu Robben?

Douglas Costa: elogios - Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Douglas Costa: elogios – Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Nós não vimos nada disso em sua participação na Copa América, mas o brasileiro Douglas Costa, que está trocando o Shakhtar Donetsk pelo Bayern comandado por Pep Guardiola, leva na bagagem uma referência ultra elogiosa de Mircea Lucescu.

Veja só o que disse seu ex-treinador a  Philip Röber, do site da Uefa:

– O Douglas já não tem mais como evoluir aqui. Vejo-o ocupando a posição do Robben. Ele tem apenas 24 anos e pode atingir o nível do Robben nas próximas temporadas. É um jogador muito forte, um canhoto que também pode atuar pela direita. Além disso, é implacável e imarcável quando fecha para o meio. Está no mesmo nível de James Rodríguez.

É de pelo menos um jogador assim que a Seleção Brasileira está urgentemente precisando!

Fred, surpresa de Dunga, quer surpreender a torcida

Fred: na vaga de Neymar

Fred: na vaga de Neymar

O meia Fred, de 22 anos, é a grande novidade da Seleção que enfrentará o México no primeiro amistoso de preparação para a Copa América.

Mineiro de Belo Horizonte, o canhoto Frederico Rodrigues Santos começou nas divisões de base do Atlético como lateral, mas aos 16 anos já estava no Internacional, tendo estreado entre os titulares, com 19, no Gauchão de 2012.

O garoto Fred passou pelas seleções brasileiras de base e joga desde 2013 no Shakhtar Donetsk. Foi convocado pela primeira vez para a Seleção no fim do ano passado na vaga aberta pela contusão do volante Rômulo  e vai para a Copa América na vaga do volante Luiz Gustavo, também cortado por lesão.

Neste domingo, no Allianz Parque, entra no time na vaga de Neymar, que só amanhã se apresentará à Seleção. Já sabe, portanto, que o jogo contra o México é experiência passageira, pois a Seleção atual tem escalação mais do que conhecida: Neymar e mais dez.

Fred é uma aposta de Dunga para a seleção olímpica que vai tentar a inédita conquista do ouro na Rio-16. É um jogador que alia força e habilidade e chuta bem, principalmente de canhota.

Hoje, no meio de campo, à frente de Fernandinho e Elias e ao lado de Willian, deve dar mais liberdade a Philippe Coutinho para que ele trabalhe no ataque com Diego Tardelli.

Não deixa de ser uma surpresa sua escalação entre os titulares, mas, quem sabe, Fred nos surpreenda logo mais contra os mexicanos.