Arquivo da tag: Gabriel Jesus

O campeão dos campeões

Palmeiras campeão @0312@    Palmeiras: primeira festa de campeão no Allianz Parque – Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Fernando Prass: campeão dos campeões da Copa do Brasil

Fernando Prass: campeão dos campeões da Copa do Brasil

No jogo, o santista Vanderlei foi mais decisivo do que ele, prova eloquente de que o Palmeiras mereceu folgadamente o título que acabou conquistando na cobrança de pênaltis ou, como reza a regra do futebol, na decisão por tiros diretos da marca penal.

Nos pênaltis, Fernando Prass garantiu caneco. Defendeu o chute de Gustavo Henrique, na segunda cobrança do Santos, e deu o primeiro título palmeirense no Allianz Parque ao  mandar para a rede de Vanderlei o pênalti decisivo.

Pode-se até lembrar que o Santos fez uma Copa do Brasil melhor do que o Palmeiras e poderia ter garantido o caneco no jogo da Vila, mas ninguém negará que o campeão é o time que dominou a finalíssima, vencendo por 2 a 1 nos 90 minutos, com gols de Dudu, e por 4 a 3 a disputa nos pênaltis.

O garoto Gabriel Jesus brilhou em campo até ter de sair ainda aos 40 minutos do primeiro tempo, novamente vítima da lesão no ombro; Lucas Barrios fez uma grande partida até ser substituído por Cristaldo na metade do segundo tempo; Dudu, além dos dois gols, multiplicou-se em campo; Matheus Sales mostrou o dom da onipresença; Robinho participou dos dois gols.

Marcelo Oliveira: campeão em sua quarta final da Copa do Brasil

Marcelo Oliveira: finalmente, campeão da Copa do Brasil

Nenhum deles teve a importância de Fernando Prass na noite da quarta que  o Palmeiras estendeu gloriosamente até a madrugada desta quinta-feira. O camisa 1 é o campeão dos campeões palmeirenses.

O comandante Marcelo Oliveira, campeão da Copa do Brasil pela primeira vez em sua quarta final, já não lhe pode cobrar o título que ele lhe roubou, com a camisa do Vasco, em 2011.

Mais do que todos, Marcelo Oliveira merecia este título que o Palmeiras acaba de conquistar pela terceira vez.

Mais do que ele, somente a torcida do palmeirense, que bateu duplo recorde no Allianz Parque – de público: 39.660 torcedores; e de renda: R$ 5.336.631,00.

Será a noite dos Gabrieis?

Gabriel Jesus x Gabigol: duelo de jovens estrelas na final da Copa do Brasil

Gabriel Jesus x Gabigol: duelo de jovens estrelas na finalíssima da Copa do Brasil

Palmeiras x Santos decidirá no Allianz Parque, a partir das 22 horas, o título da Copa do Brasil, que vale ao campeão uma vaga na Libertadores de 2016 e um prêmio em dinheiro, um tanto mixuruca, de R$ 4 milhões. É o que a CBF tem a oferecer.

Fique o caneco com o Palmeiras ou com o Santos, pode ser a noite dos Gabrieis.

Pelo Santos, jogarão Gabriel, o Gabigol, artilheiro da competição, e Marquinhos Gabriel, o meia que veio por empréstimo do Al-Nassr, assumiu a vaga que Geuvânio abriu ao se contundir e não mais quer voltar para a Arábia Saudita.

Pelo Palmeiras, deve jogar Gabriel de Jesus, tido quase unanimemente como a maior revelação do futebol brasileiro em 2015.

Obrigado a deixar o campo antes dos 15 minutos do primeiro jogo da final, sentindo fortes dores no ombro direito, o garoto de 18 anos ainda é tratado oficialmente pelo Palmeiras como dúvida para a finalíssima, mas deve ser uma das estrelas da noite no Allianz Parque.

O jogo é propício ao futebol dos três Gabrieis, que já tiveram atuações decisivas nesta Copa do Brasil.

O Palmeiras vai precisar muito da criatividade do seu Gabriel. O Santos espera que, obrigado a vencer em casa, o Palmeiras saia para o jogo e abra espaços para contra-ataques iniciados por Marquinhos Gabriel e finalizados por Gabigol.

Espera-se o Palmeiras com Fernando Prass, João Pedro, Jackson, Vitor Hugo, Zé Roberto, Arouca, Matheus Sales, Robinho, Dudu, Gabriel Jesus e Lucas Barrios.

O Santos está escalado por Dorival Junior. É o mesmo time que venceu o jogo da Vila Belmiro por 1 a 0: Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique, Zeca, Renato, Thiago Maia, Lucas Lima, Marquinhos Gabriel, Gabriel e Ricardo Oliveira.

 

Noite trágica para o Palmeiras

André: gol, de pênalti, liquida Palmeiras

André: gol, de pênalti, liquida Palmeiras

Já era tarde quando Marcelo Oliveira resolveu por em campo Zé Roberto e Dudu e, mais tarde ainda, quando apelou para o garoto Gabriel Jesus na esperança de um milagre que revertesse no Pacaembu os 2 a 0 que André, em cobrança de pênalti, estabelecera poucos minutos antes.

Estava claro que, finalmente, o Sport conseguiria sua primeira vitória fora de casa no Campeonato Brasileiro.

O Palmeiras é um time instável, cheio de altos e baixos ao longo do Brasileirão,  quase sempre inseguro quando larga em desvantagem no placar. O gol de Marlone, aos 15 minutos do primeiro tempo, definiria todo o jogo desta noite, embora tenha sido do Palmeiras o maior volume de jogo e maior número de finalizações.

Quando entraram, na volta do intervalo, Zé Roberto e Dudu deram novo ânimo na torcida, mas não conseguiram convencer o time de que a reação era possível.

O gol de André, aos 13 minutos, liquidou qualquer pretensão palmeirense de uma reviravolta. O Sport às vezes tem dificuldade para chegar ao gol, mas é um time que sabe muito bem defender a vantagem no placar.

Decidida a parada no Pacaembu, o Palmeiras estaciona nos 48 pontos,  cai para o sétimo lugar, ultrapassado neste sábado por Inter e Sport, e vai torcer no domingo para não ficar também atrás de São Paulo e Ponte.

E, para evitar preocupações futuras, também torcerá para que o Flamengo não faça três pontos no Itaquerão e chegue aos 47. Ou seja: os palmeirenses terão de torcer pelo Corinthians.

O sábado foi uma tragédia.

Encontro de gerações começa a definir a Copa do Brasil

Dupla despedida: Rogerio Ceni deixa futebol e Gerson deixa o Flu após Copa do Brasil

Despedida: Rogério Ceni deixa futebol e Gerson sai do Flu após Copa do Brasil

Senhores respeitáveis e moleques promissores estrelam na noite desta quarta-feira dois espetáculos que vão começar a definir o rumo de seus times em 2016: Fluminense x Palmeiras, no Maracanã, e São Paulo x Santos, no Morumbi. Entrará em jogo, a partir das 22 horas, uma das vagas brasileiras na próxima Copa Libertadores da América.

As semifinais da Copa do Brasil começam com ligeiro favoritismo do Palmeiras e do Santos, justamente os visitantes nos embates de hoje. E é na casa alheia que ambos têm de colher um resultado minimamente confortável para a decisão em casa, daqui a uma semana, da vaga nas finais.

Ninguém há de negar a importância da experiência de Fred (32 anos) para o Fluminense, de Zé Roberto (41 anos) para o Palmeiras, de Rogério Ceni (42 anos) para o São Paulo e de Ricardo Oliveira (35 anos) para o Santos, mas as quatro equipes vão precisar igualmente da criatividade e da ousadia dos garotos Gérson (18 anos) e Gabriel Jesus (18 anos) no Maracanã, Rodrigo Caio (22 anos, quase um velhinho) e Gabigol (19 anos) no Morumbi.

Será um duplo encontro de gerações, retrato mais ou menos fiel do atual futebol brasileiro, que aposta na renovação e na experiência como solução viável para suas carências técnica e econômica. Os mais velhos, com exceção de Rogério, ganharam um bom dinheiro fora e aceitam contratos razoáveis por aqui. Os mais novos ainda vão ganhar muito dinheiro fora.

Estão todos a apenas quatro jogos do título que, mais do que uma compensação para quem já não pode sonhar em ser campeão brasileiro, vale sobretudo a garantia de disputar a Libertadores ao longo de 2016 e cultivar o sonho de chegar ao fim do ano lutando para ser campeão mundial.

Se tal acontecer com seu time, dois dos astros desta noite não estarão no Japão em dezembro do próximo ano: o veteraníssimo Rogério Mücke Ceni e o adolescente Gerson Santos da Silva. O goleiro do São Paulo deixará o futebol em dezembro. O meia do Fluminense vai jogar pela Roma a partir de 2016. Portanto, nem sequer disputarão a Libertadores.

O título da Copa do Brasil é a festa de despedida que os dois merecem. Talvez nenhum leve.

Seleção olímpica precisa pegar adversários mais fortes

Gabriel: dois gols nos 5 a 1 sobre o Haiti

Gabriel: dois gols nos 5 a 1 sobre o Haiti

A molecadinha olímpica do Brasil fez festa no Dia das Crianças em Manaus: com dois gols do santista Gabriel, que não por acaso é chamado de Gabigol, goleou por 5 a 1 a seleção principal do Haiti, 77ª colocada no ranking da Fifa divulgado no começo do mês.

Maicon, lateral do Livorno, o cruzeirense Vinicius Araújo e o palmeirense Gabriel Jesus marcaram os outros gols brasileiros.

Sem forçar muito o ritmo, mas sempre dominando o jogo e procurando rolar a bola de pé em pé, a seleção da garotada fez mais um bom ensaio rumo à Rio-2016. Maicon, Vinicius Araújo e o palmeirense Gabriel Jesus marcaram os outros gols brasileiros.

Está na hora de nossa seleção olímpica encarar adversários tecnicamente mais fortes.

Fique de olho na molecada

Sub20 Promessas 910@@@               Kenedy, Luan, Gabriel Jesus, Valdívia e Gabigol: na luta pelo ouro olímpico

A molecadinha do Brasil, basicamente o time sub-20, vai pegar gente grande pela frente, hoje à noite, na Arena Amazônia, em Manaus.

Gente grande, de futebol pequeno, porém: o adversário da garotada brasileira que se prepara para brigar pelo inédito ouro olímpico em 2016 será a seleção principal da República Dominicana, 119ª colocada na última edição do ranking da Fifa.

O amistoso das 21 horas será uma chance de ver em ação jogadores como Kenedy, que o Fluminense deixou ir para o Chelsea no meio do ano; Luan, destaque do Grêmio; e Gabriel Jesus, o mais novo de todos, com apenas 18 anos, em fase de ascensão no Palmeiras.

É provável que Rogério Micale, dublê de Dunga, escale os três como titulares, mas pelo menos mais dois jogadores podem sair do banco para fazer a alegria dos torcedores: o colorado Valdívia, meia de muita movimentação e criatividade que gosta de fazer gols, e o santista Gabigol, que está finalmente aprendendo também a se movimentar por todos os setores do ataque.

Podem sair deste quinteto, além do ouro na Rio-2016, mais um ou dois parceiros para Neymar nos campos da Rússia em 2018.

Vale a pena ficar de olho nesta molecada.

Atualização

Molecadinha do Brasil 6 x 0 República Dominicana, com gols de Gabriel Jesus, Maicon, Luan, Valdívia, Fred e Gabigol.

É difícil acreditar que, como registra o ranking da Fifa em outubro, existam 89 seleções piores do que a dominicana no mundo da bola.

Palmeiras se salva no fim, Corinthians dispara na frente

Robinho festeja Prass com Prass gol que mantém Palmeiras no G-4

Robinho festeja com Prass golaço que mantém Palmeiras no G-4

O São Paulo mandou no primeiro tempo, o Palmeiras equilibrou o jogo o segundo, mas nenhum dos dois mostrava força bastante para vencer o forte calor do Morumbi e beliscar os três pontos que valiam a vaga no G-4.

Aos 15 minutos, porém, o garoto Gabriel Jesus marcou bobeira lá na frente e acabou permitindo que Thiago Mendes armasse rápido contra-ataque que passou pelos pés de Ganso e se encerrou com um belo gol de Carlinhos.

O 1 a 0 coincidiu com a diminuição do calor, mas não chegou a despertar o Palmeiras, que continua a sina de não vencer um jogo no Morumbi desde 2002. Nem por isso saiu triste do jogo: no último minuto, Robinho ganhou um presentaço do tricolor Rogério Ceni e empatou com um toque precioso por cobertura.

O 1 a 1 construído por erros do jovem Gabriel e do veteraníssimo Rogério empurra o São Paulo para o sexto lugar, atrás do Santos, e mantém o Palmeiras no G-4, agora a seis pontos do Grêmio, que foi também beneficiado pelo 2 a 2 entre Joinville e Atlético Mineiro e sai desta 28ª rodada apenas dois pontos atrás do vice-líder.

O que foi bom para o Grêmio foi igualmente bom para o Corinthians, que venceu o Figueirense no Orlando Scarpelli por 3 a 1 com gols do trio chamado por Dunga para a Seleção – Elias, Gil e Renato Augusto – e se isolou mais ainda na liderança do campeonato, com sete pontos de vantagem.

O maior trabalho de Tite nos próximos tempos vai ser segurar a euforia dos corintianos.

Levir Culpi tem de se preocupar é com o Grêmio de Roger Machado.

Juan Carlos Osorio deve agradecer aos vascaínos os 2 a 1, de virada, que prenderam o Flamengo em sétimo lugar, dois pontos atrás do seu São Paulo.

Dorival Junior e o seu Santos, que mais cedo venceu o Internacional por 3 a 1, também saíram ganhando com a derrota rubro-negra no Maracanã.

Todos torcem pelo Palmeiras de Gabriel Jesus

O Palmeiras vai receber o Corinthians às 16 horas com o óbvio apoio de seus torcedores, que lotarão o Allianz Parque, e de todas as outras 18 torcidas envolvidas com o Brasileirão.

O país do futebol torcerá contra o Corinthians e não será por este papo furado de que o time deve à ajuda da arbitragem a liderança folgada do Campeonato Brasileiro.

Ninguém quer que o campeonato se encerre antes da hora e, vencendo hoje, o Corinthians ficará sete pontos à frente do vice-líder Atlético Mineiro e cada vez mais perto do caneco.

Os números recentes, no entanto, são bem mais favoráveis ao Corinthians, que venceu seus últimos cinco jogos e está invicto há 14 rodadas. O Palmeiras perdeu três de seus cinco jogos mais recentes, retrato fiel de uma campanha muito inconstante, ponteada por altos e baixos.

Nem por isso os corintianos devem se animar muito.

Fora de casa, porém, o Corinthians não mete muito medo: em 11 jogos, venceu o Cruzeiro, logo na rodada de abertura do Brasileirão, o Flamengo e, com direito a requisitar o título catarinense, o Joinville, o Avaí e a Chapecoense.

E o Palmeiras é difícil de ser batido no Allianz Parque. Perdeu para Atlético Paranaense (2 de agosto) e Goiás (24 de maio), e empatou com Internacional (4 de junho) e Atlético Mineiro (9 de maio). Venceu os outros sete jogos. Portanto, sob o comando de Marcelo Oliveira, só perdeu ponto em casa para o Atlético Paranaense.

Vagner Love e Gabriel Jesus que tratem de resolver o impasse estatístico.

Corinthians e Atlético isolam-se na linha de frente

Rildo e Jadson festejam 3 a 1 sobre a Chapecoense

Rildo e Jadson: 3 a 1 sobre a Chapecoense mantém folga do Corinthians

É de novo em preto e branco que se desenha a briga pelo título brasileiro de 2015: visitantes ilustres e destemidos, o líder Corinthians venceu a Chapecoense por 3 a 1 e o vice-líder Atlético Mineiro venceu o Fluminense por 2 a 1.

O Grêmio, que tinha empatado  de manhã com o Coritiba por 0 a 0, fica um pouco mais distante da briga pelo caneco, com 38 pontos, quatro atrás do Atlético, quatro à frente do Palmeiras, que em casa derrotou o Joinville por 3 a 2, com dois gols do garoto Gabriel Jesus, e tomou a vaga do Fluminense no G-4.

No topo, também quatro pontos à frente do Atlético, o Corinthians, com 46. Desde que foi derrotado na oitava rodada pelo Santos, em 20 de junho, o time comandado por Tite não sabe o que é perder no Brasileirão.

Já são 13 jogos de invencibilidade – com três empates e dez vitórias, a de hoje, em Chapecó, com gols de Elias, Vágner Love e Jadson, cobrando pênalti em Rildo já aos 44 minutos do segundo tempo.

Jádson é o artilheiro do time no Brasileirão, com nove gols, apenas dois a menos do que o santista Ricardo Oliveira, que ainda vai jogar daqui a pouco, contra o Cruzeiro, no encerramento desta 21ª rodada.

A rodada, decepcionante para o Fluminense e desastrosa para o Vasco, fez a alegria de outro carioca: o Flamengo  venceu o Sport no Recife por 1 a 0, gol de Everton logo aos 4 minutos de jogo, e subiu para o nono lugar, a cinco pontos do G-4, embora ainda possa ser ultrapassado pelo Santos.

 Foi a primeira derrota em casa do Sport, que atuou com dez jogadores desde os 23 minutos do primeiro tempo, quando o lateral Samuel Xavier foi expulso após uma entrada violenta em Alan Patrick.

Agora, o único invicto em casa é o Grêmio, que vai passar a semana lamentando o empate com o Coritiba na matinê em sua Arena.

Gabriel Jesus contra o complexo de vira-latas

Gabriel Jesus: revelação do Palmeiras

Gabriel Jesus, 18 anos: revelação do Palmeiras enfrenta hoje o Joinville

Dizem por aí que o futebol brasileiro acabou. Não revela mais ninguém. É Neymar e nada mais.

Os palmeirenses não concordam e invocam o santo nome de Gabriel Jesus.

Poderiam invocar igualmente o tricolor Nelson Rodrigues, que escreveu em 1958, pensando na desacreditada Seleção Brasileira que ganharia a Copa do Mundo:

A pura, a santa verdade é a seguinte: qualquer jogador brasileiro, quando se desamarra de suas inibições e se põe em estado de graça, é algo de único em matéria de fantasia, de improvisação, de invenção. Em suma:  temos dons em excesso. E só uma coisa nos atrapalha e, por vezes, invalida as nossas qualidades. Quero aludir ao que eu poderia chamar de “complexo de vira-latas”. Estou a imaginar o espanto do leitor: “O que vem a ser isso?”

Eu explico. 

Por “complexo de vira-latas” entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo. Isto em todos os setores e, sobretudo, no futebol. Dizer que nós nos julgamos “os maiores” é uma cínica inverdade.

Os acometidos pelo mal diagnosticado há mais de meio século pelo profeta Nelson Rodrigues não precisam de tratamento. Podem se curar com uma visita ao Allianz Parque às 16 horas deste domingo ou até mesmo em casa, diante de um aparelho de tevê, com os olhos postados no futebol sinuoso, tanto quanto incisivo, do garoto de 18 anos com nome de anjo e divindade.

Há muito tempo, a torcida do Palmeiras pede Gabriel Jesus no time. Em vão. No máximo, o implacável goleador das divisões de base ganhava uns poucos minutos em campo no final de alguns jogos já decididos. A história mudou com a chegada de Marcelo Oliveira, como revela Cosme Rímoli em seu blog  no R7.com:

Os empresários do garoto, Fabio Caran e Cristiano Simões, não se conformavam em ver Maikon Leite, Rafael Marques, Cristaldo e Leandro Pereira no ataque. Quando Alecsandro e Lucas Barrios foram contratados, chegaram à conclusão de que era melhor negociá-lo. Mas um homem evitou o desperdício.

 Marcelo Oliveira chamou Gabriel Jesus para uma longa conversa. O técnico trabalhou por anos na base do Atlético Mineiro. E sabe valorizar jovens talentos. Apesar de não estar no DNA do Palmeiras apostar nos seus garotos, o treinador deixou claro que, com ele, iria jogar. Desde que continuasse treinando tão bem, com tanta dedicação. Pouco importaria o dinheiro gasto por Paulo Nobre para buscar outros atacantes rodados.

E tudo indica que Gabriel Jesus entrou no time titular para não mais sair. Depois de estraçalhar o Cruzeiro nos 3 a 2 que garantiram o Palmeiras nas quartas de final da Copa do Brasil, com dois gols e uma assistência, enfrenta hoje o Joinville no jogo que pode até valer vaga no G-4 do Brasileirão.

Com certeza, vale a pena conferir.

Se você acredita que o futebol brasileiro continuará revelando craques por muitas e muitas temporadas, vai curtir. Se você acha que o futebol brasileiro já era, talvez comece a se curar do complexo de vira-latas.