Arquivo da tag: Ressacada

Uns lutam pela sobrevivência, outros estão de brincadeira

Luís Fabiano @2811@Contra o Figueirense, despedida de Luís Fabiano: último jogo pelo São Paulo no Morumbi

São três jogos neste sábado, cada um num horário, todos valendo muito na reta final do Brasileirão, seja no topo da tabela de classificação, seja no fundão:

Às 17 horas, no Morumbi: São Paulo x Figueirense

Será o último jogo de Luís Fabiano diante da torcida tricolor e deveria ser a despedida oficial de Rogério Ceni em seu estádio. Ainda sentindo dores no pé direito, o goleiro não jogará, mas vai reforçar a torcida do São Paulo, que tem de vencer para se segurar no G-4. Dois pontos fora da zona de rebaixamento, o Figueirense precisa da vitória quase impossível ou, no mínimo, de um empate para continuar na trilha da salvação. Desde 2005, o time catarinense não vence o São Paulo.

Às 19h30, no Maracanã: Fluminense x Internacional

O time carioca já está fazendo hora extra no campeonato, sem receber adicional, é claro. Nem se concentrou para o jogo. Recém casado, o artilheiro Fred curte a lua-de-mel longe dos campos. Para os colorados, porém, vencer é a única chance de continuar brigando pela última vaga no G-4. Com 56 pontos, como o São Paulo, o Inter não pode desperdiçar a chance de vencer um adversário desligados de suas obrigações.

Às 21 horas, na Ressacada: Avaí x Ponte Preta

Primeiro dos quatro situados abaixo da linha de rebaixamento, o Avaí pode até cair para a Segundona nesta rodada se perder hoje em casa. A Ponte está em Santa Catarina a passeio.

Como todos os interessados nos jogos de hoje continuarão dependendo de resultados de amanhã, fica mais uma vez muito claro que a penúltima rodada do Brasileirão, como a última, deveria ser inteiramente disputada no mesmo horário.

Não é coisa que preocupe a CBF.

Também é óbvio que todos os times deveriam entrar em campo com a força máxima.

Não é coisa que preocupe os dirigentes dos clubes.

O Palmeiras precisa cada vez mais de sua torcida

Marcelo Oliveira: quatro meses de Palmeiras

Marcelo Oliveira: quatro meses de Palmeiras

Em outubro do ano passado, o torcedor do Palmeiras vivia o temor de cair mais uma vez para a Segundona – e por muito pouco isso não aconteceu em dezembro.  Tendo empatado em casa com o Atlético Paranaense na última rodada, o Palmeiras foi salvo pelo Santos, que, em lvador, venceu o Vitória.

Um ano e dois técnicos depois, com um elenco quase inteiramente renovado, o Palmeiras entra na segunda metade de outubro batalhando por uma vaga no G-4 do Brasileirão e, em duplo confronto com o Fluminense, pela classificação às finais da Copa do Brasil.

Nada mal para um time que Marcelo Oliveira vem modelando ao longo das duas campanhas, com apenas quatro meses de trabalho. Não é o que acha boa parte da torcida palmeirense, traumatizada com os insucessos acumulados nas últimas temporadas e cada vez mais impaciente com a inconstância do time atual.

É claro que o palmeirense tem todo o direito de sonhar com a volta aos tempos de glórias, mas é cedo demais para cobrar resultados grandiosos de um time que evidentemente ainda está em formação e precisa se reforçar para ser de novo um aspirante inequívoco aos grandes títulos.

O Palmeiras tem de pensar em 2016, em segurar o promissor Gabriel Jesus, em contratar um ou dois craques e em melhorar o nível médio do elenco de forma que Marcelo Oliveira possa sempre colocar em campo um time que não se descaracteriza quando perde dois ou três titulares.

As coisas estão bem encaminhadas fora do campo, com ampla ajuda da torcida nas bilheterias e apoio financeiro de patrocinadores e fornecedores do clube, e serão facilitadas, é claro, se o Palmeiras garantir em 2015 a classificação para a Libertadores de 2016.

Para tal, o time tem de continuar contando com a vibração de sua gente, pelo menos quando joga em casa, pois hoje vai ter de encarar na Ressacada uma torcida mobilizada para tirar o Avaí da vizinhança do Z-4. Era o que estavam fazendo os palmeirenses há um ano.

Noite feliz para Santos e Avaí no Brasileirão

O Santos cumpriu a obrigação na Vila Belmiro, derrotando o lanterninha Coritiba por 3 a 0, e foi do 15º para o 12º lugar, posição que ainda estará em xeque até a conclusão da rodada neste domingo, mas com folga suficiente para afastar os temores imediatos de  queda para o Z-4.

Foi o quinto jogo do time sob o comando de Dorival Júnior, com três vitórias, um empate e uma derrota, aproveitamento de 66,6% dos pontos em jogo, índice inferior apenas ao que têm o líder Atlético Mineiro e o vice-líder Corinthians ao longo deste Brasileirão.

O placar não foi o único motivo de festa para os 12.657 torcedores que pagaram ingresso na Vila. O meia Lucas Lima e o atacante Geuvânio se destacaram novamente em campo como artífices da vitória.

Geuvânio fez o primeiro gol, participou ativamente do segundo, forçando o lateral Ivan a enviar para a rede de Wilson a bola cruzada por Lucas Lima e fez a assistência para Ricardo Oliveira marcar o terceiro.

Lucas Lima desfilou pelo gramado como regente de todas as jogas ofensivas, determinando o ritmo da festa santista.  Na saída, avisou à concorrência:

  • Ainda estamos muito longe de onde queremos chegar.

Na Ressacada, abrindo a noitada da bola, Ronaldinho Gaúcho bem que tentou, mas não conseguiu vencer a marcação firme e organizada do Avaí para ajudar o Flu. Resultado: 1 a 0 para o Avaí.

A vitória deu ao time catarinense o fôlego que faltou ao veterano craque do Flu. O Avaí dorme neste sábado em 13º, logo atrás do Santos, ambos com 20 pontos, seis além do limite que define o rebaixamento a esta altura do campeonato.

Se amanhã Sport x Atlético Paranaense tiver um vencedor, o Palmeiras vencer o Cruzeiro no Mineirão, o São Paulo vencer o Corinthians no Morumbi e o Grêmio vencer em sua Arena o Internacional, terá custado muito caro a derrota para o Avaí na noite deste sábado: o Fluminense despencará do terceiro para o sétimo lugar no Brasileirão.

Mesmo que tantos resultados adversos não se concretizem, o risco de sair do G-4 é grande. Basta que ocorram dois deles no domingo.

Os embalos de sábado à noite na Vila e na Ressacada

Ronaldinho: primeira viagem pelo Flu - Foto: Alexandre Vidal/Ronaldinho10.net

Ronaldinho: primeira viagem – Foto: Alexandre Vidal/Ronaldinho10.net

Avaí x Fluminense e Santos x Coritiba, na noite deste sábado, são jogos decisivos para as pretensões e a sobrevivência dos quatro times no Brasileirão.

Pretensão, de verdade, tem o Flu, que, no mínimo, se manterá na terceira posição se vencer a partida das 18h30 na Ressacada. Pela segunda vez, a equipe terá Ronaldinho Gaúcho, mas não terá Fred nem Gerson, o garoto de 18 anos que vai jogar pela Roma em 2016 e está às voltas com problemas estomacais.

Os outros três times, começando pelo Avaí, lutarão à noite apenas para continuar sobrevivendo fora do Z-4.

Ao Avaí, bastará um empate para sair desta 17ª rodada à frente do quarteto que ocupa a zona de rebaixamento. O que lhe basta, porém, não tem sido fácil de conseguir: em oito jogos em casa, o time venceu dois, perdeu três e empatou três – e uma vitória e um empate foram contra times catarinenses (2 a 1 na Chapecoense e 1 a 1 com o Figueirense).

O mais provável é que, na primeira viagem de Ronaldinho neste Brasileirão, o Flu vença em Florianópolis, se consolide no G-4 e até possa encostar no Corinthians desde que dê São Paulo no clássico de amanhã no Morumbi. Se bobear, o Fluminense pode despedir-se do pelotão de frente, correndo o risco de não mais voltar.

Às 21 horas, na Vila Belmiro, o Santos também tentará fugir à vizinhança do Z-4, com a vantagem de enfrentar um adversário bem mais fraco – o lanterninha Coritiba, que perdeu dois e empatou cinco dos seus últimos jogos.

Uma vitória, obrigação santista, garantirá uma boa noite de sono ao técnico Dorival Júnior, pois o time saltará do 15º para o 19º lugar pelo menos até que se encerrem os jogos das 16 horas do domingo. Bastará um empate, porém, para que o Santos chegue à 18ª rodada fora do Z-4.

O Coritiba dificilmente dará a Ney Franco um sono tranquilo na noite deste sábado.