Arquivo da tag: Mané Garrincha

Bota é campeão e vai fazer festa com Maitê

Num campinho ruim de doer, vinte anos depois de ter sido verdadeiramente campeão brasileiro, o Botafogo acaba de se sagrar antecipadamente campeão da Série B de 2015 ao derrotar o ABC por 2 a 1.

Foi no Mané Garrincha, em Brasília. A festa será sábado que vem no Nilton Santos, o Engenhão,  na partida contra o América Mineiro.

Maitê Proença estará lá – ainda não se sabe com que traje.

Bilheteria: jogos de maior público têm Coritiba ou Joinville

O lanterninha Joinville já está quase lá, o Coritiba corre sério risco de lhe fazer companhia na Segundona em 2016.

E não é que cada um deles participou de dois dos quatro jogos de maior público neste Brasileirão?

Veja só:

♦ 17 de setembro, no Mané Garrincha: Flamengo 0 x 2 Coritiba – 67.011 pagantes

♦ 12 de julho, no Morumbi: São Paulo 3 x 1 Coritiba – 59.482 pagantes

♦ 28 de junho, no Mineirão: Atlético Mineiro 1 x 0 Joinville – 55.987 pagantes

♦ 4 de outubro, no Maracanã: Flamengo 2 x 0 Joinville – 52.462 pagantes

A média de público deste Campeonato Brasileiro é de pouco mais de 17 mil pagantes por jogo.

Fla perde vaga no G-4 para o São Paulo

Henrique festeja gol do Coritiba em ambiente rubro-negro

Henrique festeja gol do Coritiba em ambiente rubro-negro

Deu tudo errado para o Flamengo no Mané Garrincha.

Logo aos oito minutos, num desses muitos lances de bola na mão que os juízes brasileiros estão punindo com a marcação de pênalti, Kleber fez 1 a 0 para o Coritiba.

Ali pela metade do primeiro tempo, Henrique fez 2 a 0.

Tomado por 67.011, quase todos rubro-negros que deixaram R$ 3.995.500,00 nas bilheterias e fizeram a alegria dos atravessadores, o Mané Garrincha fechou-se em silêncio logo transformado nas primeiras vaias.

No gramado, o time procurou reagir, correu, batalhou, recuperou o apoio da torcida, teve 63% de posse de bola, mas foi para o vestiário sem ter saído do zero.

No segundo tempo, mais batalha, esforço e suor, tudo novamente em vão. Nos últimos minutos, o time parecia entregue. Voltaram as vaias.

Placar final em Brasília: Flamengo 0 x 2 Coritiba.

Durou pouco a passagem do Fla pelo G-4 do Brasileirão. Mais cedo, no Morumbi, o São Paulo também dera vexame, não saindo do 0 a 0 com a Chapecoense.

Quem diria que o pontinho tão lamentado devolveria o Tricolor ao G-4, de lá tirando o Fla?

Jogos no Mané Garrincha e no Morumbi valem vaga no G-4

Um pouquinho mais de dois terços do caminho rumo ao título brasileiro de 2015 terão sido percorridos quando se encerrar em Brasília o Flamengo x Coritiba da noite desta quinta-feira, em que a vitória vale a permanência no G-4 ao anfitrião ou a fuga ao Z-4 ao visitante.

Tomado pela torcida rubro-negra, o Mané Garrincha vai registrar o recorde de público deste Brasileirão, com 67 mil ingressos vendidos antecipadamente, o que reforça o favoritismo do Flamengo, embora o lateral Pará faça questão de lembrar:

– O Coritiba está na zona de rebaixamento, mas perdeu apenas um dos últimos oito jogos.

E poderia detalhar: nas últimas três vezes que jogou fora de casa, o time de Ney Franco venceu duas e empatou uma.

Números não são problema para o Flamengo desde a chegada de Oswaldo de Oliveira, que venceu os seis jogos que disputou e tirou o time da vizinhança da zona de rebaixamento para levá-lo ao G-4, a 13 pontos do líder Corinthians, distância que pode encurtar para dez pontos no jogo das 21 horas.

Mesmo perdendo para o Coritiba, o Fla pode se manter em quarto lugar, dependendo do resultado de São Paulo x Chapecoense, mais cedo, no Morumbi.

Flamengo e São Paulo estão com 41 pontos, mas os rubro-negros têm 13 vitórias e os são-paulinos, 12.