Arquivo da tag: Bruno Henrique

Como se fosse uma decisão

No Itaquerão, após Corinthians 6 x 1 São Paulo, Ralf recebe a taça de campeão brasileiro

Após Corinthians 6 x 1 São Paulo, Ralf recebe a taça de campeão brasileiro

Enganou-se quem acreditou, como este blogueiro, que a ausência do trio Gil-Elias-Renato Augusto e o clima de festa no Itaquerão favoreceriam o São Paulo em sua luta para continuar no G-4.

O Corinthians, ainda mais reserva do que se prenunciava, não perdoa. Joga sempre como se fosse decisão. Tite não permite poupança de energia em campo. E, sem perder a vibração, o Corinthians decide as paradas com a frieza de campeão.

Não tem Elias, Jadson nem Renato Augusto?

Bruno Henrique vai lá e faz Corinthians 1 x 0 São Paulo.

Malcom e Vagner Love não estão em campo?

Romero faz 2 a 0.

O primeiro tempo está acabando, Gil também não veio?

Pouco importa: Edu Dracena faz 3 a 0.

Vamos ao segundo tempo.

Danilo, o polivalente camisa 12, no exercício mais uma vez da titularidade, como diria Tite nos velhos tempos, se dá ao luxo de fazer uma assistência, de letra, para o talismã Lucca marcar o seu: 4 a 0.

E como o talismã estava esperando a bola cruzada por Romero, o tricolor Hudson achou melhor cortar o caminho e tocá-la logo para as redes de Denis: 5 a 0.

Será que o São Paulo não vai esboçar nenhuma reação? Não diziam por aí que Paulo Henrique Ganso e até Alexandre Pato eram os responsáveis pela apatia que tantas vezes o São Paulo de Milton Cruz, Juan Carlos Osorio e Doriva mostrou em campo? Nenhum deles está em Itaquera.

E o São Paulo reagiu muito de leve, com um gol de Carlinhos um pouco depois da metade do segundo tempo. Diminuiu o vexame: 5 a 1.

Teremos mais?

Sim, claro. O Corinthians não sossega. Pênalti de Reinaldo em Romero. Cristian bate e faz 6 a 1.

Acabou? Não. O São Paulo também tem um pênalti a seu favor. Alan Kardec cobra, Cássio defende.

Algum titular do Corinthians tinha de mostrar serviço.

Acabou a festa. É hora de o capitão Ralf receber a taça.

Festa verde no Allianz Parque

Pequena torcida do Goiás faz festa no Allianz Parque

Pequena torcida do Goiás faz festa no Allianz Parque

Bem que a torcida do Palmeiras se preparou para fazer a festa na matinê do Allianz Parque.

No maltratado gramado, porém, o time não colaborou.  Depois de muito toque e pouca ofensividade, acabou sendo derrotado pelo Goiás por 1 a 0, gol contra de Victor Ramos, mandando para as redes uma bola cruzada por Bruno Henrique após driblar meio Palmeiras.

O árbitro erradamente atribuiu o gol a Péricles e acertadamente deu o segundo cartão amarelo a Bruno Henrique, tirando-o do jogo a 10 minutos do final, porque ele foi comemorar junto com a torcida a jogada que deu a vitória ao Goiás.

A primeira derrota palmeirense no campeonato, em seguida a dois empates, foi vista por 37.337 torcedores, que deixaram quase R$ 2,5 milhões nas bilheterias.

É muita gente e muito dinheiro para o futebol não tão rico mostrado até agora pelo time de Oswaldo de Oliveira.

Comparando: o público total dos três jogos de ontem – São Paulo 3 x 0 Joinville, Vasco 1 x 1 Internacional e Grêmio 1 x 0 Figueirense – foi de 27.740 torcedores. A renda somada dos três foi de exatos R$ 905.778,00.

Do jeito que o Palmeiras está levando o campeonato dentro do campo, daqui a pouco a torcida desaparece. Mesmo assim, houve festa verde na matinê deste domingo – de uns poucos gatos pingados que torceram pelo Goiás no Allianz Parque.

Atualização

Na súmula, que você já pode ler no site da CBF, o árbitro atribuiu acertamente o gol do Goiás ao palmeirense Victor Ramos.