Arquivo da tag: Jadson

Quem dá bola é o Jádson

Jadson 209@                         Jádson: dois gols no finalzinho do jogo dão vitória ao Corinthians

O Corinthians martelou, martelou, mandou no jogo desde o começo, andou muito perto da vitória já no primeiro tempo, mas só  garantiu os três pontos nos últimos minutos do segundo, sob  o intenso calor no Itaquerão – Jádson, cobrando pênalti, fez 1 a 0 aos 40, e, em complemento ao contra-ataque puxado por Lucca, 2 a 0 aos 43.

O Santos deu a impressão de sofrer ainda mais com o sol quente. Foi um mero arremedo do Santos dos últimos tempos.

No primeiro tempo, o Corinthians teve mais posse de bola e mais chances de gol.

Vanderlei impediu o gol corintiano em lances cara a cara com Vagner Love e Jádson. Cássio fez uma grande defesa no último minuto em chute cruzado de Lucas Lima.

No segundo, o Corinthians continuou melhor, mas o ritmo de jogo caiu e a torcida já parecia não mais acreditar na vitória quando o lateral Zeca cometeu um pênalti grotesco em Vagner Love que o juiz Flávio Rodrigues Guerra, em cima do lance, não viu. Foi salvo pelo bandeirinha, que viu e avisou ao árbitro desatento.

Tão desatento que expulsou David Braz pelo pênalti que Zeca cometeu. Vamos conferir na súmula a historinha que Flávio Rodrigues Guerra contará.

A vitória do Corinthians foi justíssima, deixou nervoso o sempre calmo Tite, enlouqueceu a galera no Itaquerão e mantém o time com merecida folga na dianteira do Brasileirão.

O Santos já esteve bem mais perto do G-4. Com 40 pontos, vai almoçar em oitavo lugar, mas pode jantar em nono se o Atlético Paranaense derrotar o Coritiba às 18h30.

Atualização

A historinha montada na súmula pelo Flávio Rodrigues Guerra sobre a expulsão de David Braz, transcrita aqui sem nenhuma correção:

Expulso com cartão vermelho direto por, após a marcação de um penalti contra sua equipe, vir em minha direção gesticulando de forma acintosa e ofensiva proferindo as seguintes palavras: “você está louco”, “contra o corinthians é assim mesmo”, “vai se foder, não foi penalti”, “você vai ver, vocês vão ser punidos”, sendo que em ato contínuo gesticulou de forma acintosa em direção ao assistente número 1, proferindo as seguintes palavras: “vocês estão loucos, não foi penalti”.após ser expulso, ao sair do campo de jogo, e passar em frente à área tecnica do corinthians, desentendeu-se com o tecnico do corinthians, sr. adenor leonardo bachi, sendo contidos por integrantes das duas equipes.

Quem conferir as imagens verá que o árbitro mentiu na súmula, tanto que nada faz quando o zagueiro santista fala com ele e só lhe mostra o cartão vermelho após conversar com o bandeirinha Rogerio Pablos Zanardo na linha de fundo.

Anúncios

Corinthians estreia na matinê com lotação esgotada

Jádson: “Começamos hoje a preparação” - Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Jádson: em preparação” – Foto: Daniel Augusto Jr/Corinthians

Não há mais ingressos à venda para Corinthians x Joinville na matinê do domingo.

A última vez que o Corinthians fez um jogo de manhã foi há mais de 12 anos, em 16 de fevereiro de 2003, pelo Campeonato Paulista, tendo derrotado o América em São José do Rio Preto por 3 a 2.

Para o jogo do próximo domingo, no Itaquerão, a comissão técnica tomou alguns cuidados, como lembrou há pouco, em entrevista coletiva, o meia Jádson, artilheiro corintiano no Brasileirão, com nove gols:

– Começamos hoje a preparação. Acordamos mais cedo para tomar café da manhã. Hoje vai ter concentração, para amanhã novamente acordar cedo, repousar bastante. É um jogo diferente, o primeiro nesse horário. A gente sabe da dificuldade, vamos ter de nos acostumar.

Corinthians e Atlético isolam-se na linha de frente

Rildo e Jadson festejam 3 a 1 sobre a Chapecoense

Rildo e Jadson: 3 a 1 sobre a Chapecoense mantém folga do Corinthians

É de novo em preto e branco que se desenha a briga pelo título brasileiro de 2015: visitantes ilustres e destemidos, o líder Corinthians venceu a Chapecoense por 3 a 1 e o vice-líder Atlético Mineiro venceu o Fluminense por 2 a 1.

O Grêmio, que tinha empatado  de manhã com o Coritiba por 0 a 0, fica um pouco mais distante da briga pelo caneco, com 38 pontos, quatro atrás do Atlético, quatro à frente do Palmeiras, que em casa derrotou o Joinville por 3 a 2, com dois gols do garoto Gabriel Jesus, e tomou a vaga do Fluminense no G-4.

No topo, também quatro pontos à frente do Atlético, o Corinthians, com 46. Desde que foi derrotado na oitava rodada pelo Santos, em 20 de junho, o time comandado por Tite não sabe o que é perder no Brasileirão.

Já são 13 jogos de invencibilidade – com três empates e dez vitórias, a de hoje, em Chapecó, com gols de Elias, Vágner Love e Jadson, cobrando pênalti em Rildo já aos 44 minutos do segundo tempo.

Jádson é o artilheiro do time no Brasileirão, com nove gols, apenas dois a menos do que o santista Ricardo Oliveira, que ainda vai jogar daqui a pouco, contra o Cruzeiro, no encerramento desta 21ª rodada.

A rodada, decepcionante para o Fluminense e desastrosa para o Vasco, fez a alegria de outro carioca: o Flamengo  venceu o Sport no Recife por 1 a 0, gol de Everton logo aos 4 minutos de jogo, e subiu para o nono lugar, a cinco pontos do G-4, embora ainda possa ser ultrapassado pelo Santos.

 Foi a primeira derrota em casa do Sport, que atuou com dez jogadores desde os 23 minutos do primeiro tempo, quando o lateral Samuel Xavier foi expulso após uma entrada violenta em Alan Patrick.

Agora, o único invicto em casa é o Grêmio, que vai passar a semana lamentando o empate com o Coritiba na matinê em sua Arena.

Por enquanto, o Corinthians lidera o Brasileirão

Jadson Corinthians 4 x 3 Sport 128Pelo menos até a noite desta quinta-feira, os corintianos viverão o gostinho de liderar o Brasileirão.

Os burocratas que infestam o futebol dos nossos dias deram uma mãozinha nos 4 a 3 sobre o Sport ao impor à arbitragem a estúpida orientação para que seja marcado pênalti quando a bola bate no braço esticado de um defensor.

Foi o que aconteceu aos 39 minutos do segundo tempo: Guilherme Arana cruzou a bola que bateu no braço de Rithely. Pênalti, decretou Luiz Flávio de Oliveira. Jadson bateu e fechou o placar no Itaquerão.

O jogo foi surpreendente do começo ao fim. O garoto Luciano fez 1 a 0 para o Corinthians logo aos 12 minutos, mas André empatou para o Sport aos 16. Daí em diante, o time pernambucano assumiu o domínio das ações, teve mais posse de bola, atacou muito mais, poderia ter fechado o primeiro tempo em vantagem no placar.

Que nada! Aos 46, Luciano fez 2 a 1 para o Corinthians.

No segundo tempo, mudou tudo. O Corinthians passou a mandar no jogo, fez 3 a 1 aos 14 minutos, com um gol que ia ser de Malcom, mas acabou sendo de Samuel Xavier, contra. O Sport não parecia ter gás para reagir e o Corinthians continuou dominando o jogo.

Aos 22, no entanto, Hernane, o Brocador, substituiu André e, quatro minutos depois, fez o segundo gol do Sport. Nem por isso o Corinthians diminuiu o ritmo.

Mais cinco minutos, porém, e veio o choque: Hernane empatou o jogo.  O 3 a 3 fazia justiça ao que o Sport fez no primeiro tempo, embora tenha sido derrotado, e o Corinthians fez no segundo, embora tenha cedido a vantagem inicial.

Mas nem sempre é de justiça que se fazem os bons jogos como este da noite de quarta-feira, 12 de julho, em Itaquera. Um pênalti marcado em lance claro de bola na mão – o que contraria a regra, mas obedece às orientações da cúpula da arbitragem – decidiu o jogo.

E, assim, o Sport cai mais um degrau no Brasileirão, fechando a 18ª rodada no sexto lugar, e o Corinthians pode até segurar a liderança, por enquanto provisória, se o Atlético Mineiro perder para o Gêmio na noite desta quinta em Belo Horizonte.

Espera-se um jogão em Itaquera

Vagner Love x Lucas Pratto: empatados na artilharia

Vagner Love x Lucas Pratto: empatados na artilharia, cada um com três gols

É ataque contra defesa?

Talvez não de todo, mas o que melhor define o Corinthians x Atlético Mineiro deste sábado, no Itaquerão, é o confronto entre a melhor defesa e o melhor ataque do Campeonato Brasileiro.

Por isso, embora esteja a apenas três pontos e a uma vitória da liderança, o Corinthians não chegará lá nem que vença o jogo das 21 horas. É muito grande a diferença no saldo de gols: 16 a 7.

O Corinthians fez 15 gols e levou oito até agora. O Atlético fez 28, levou 12.

Os mineiros não perdem há sete rodadas; os paulistas, há cinco.

O jogo entre o líder e o terceiro colocado pode ser visto também como um acerto nas contas da artilharia entre o atleticano Lucas Pratto e o corintiano Vágner Love, ambos com três gols no Brasileirão.

Os números são os mesmos, mas o rendimento… quanta diferença!

Vágner Love ainda não se garantiu como substituto de Guerrero. Alterna atuações razoáveis, raras, e bisonhas, frequentes, e é cobrado em tom cada vez mais crítico pelos corintianos.

O argentino Pratto, ao contrário, virou xodó dos atleticanos e, embora não viva seu melhor momento no time, continua sendo tratado com respeito e até carinho.

Se Pratto der chabu no Itaquerão, o Atlético tem Thiago Ribeiro, seu artilheiro no campeonato, com seis gols.

Se Vágner Love também passar em branco, o Corinthians não poderá se socorrer de Jádson, que também já fez seis gols e é um de seus destaques na temporada, mas está suspenso.

E, no jogo de ataque contra defesa, o Corinthians tem outro importante desfalque: o goleiro Cássio, contundido, será substituído por Walter.

Qualquer que seja o resultado, o Atlético continuará no G-4. Perdendo, o Corinthians pode cair para o quinto lugar.

Espera-se um jogão em Itaquera.

Love faz a alegria dos corintianos

Depois de sofrer com o Brasil nos telões da Arena Corinthians, a torcida corintiana espichou o sofrimento por mais 45 minutos com o que viu em campo: um time apagado e incapaz de se impor ao Figueirense.

No segundo tempo, finalmente alegria em dose dupla para os 24.786 pagantes: Vagner Love voltou a mostrar que conhece o ofício de atacante, fez 1 a 0 aos 9 minutos e, aos 18, sofreu o pênalti cobrado por Jadson para fazer 2 a 0.

O Figueirense ainda diminuiu, com um gol de Thiago Santana dez minutos depois, mas já era tarde para pretender reagir.

Os 2 a 1 deixam o o Corinthians coladinho no G-4, pelo menos até amanhã.

Uma noite que os corintianos jamais esquecerão

Corinthians 135 GuaraníNo Itaquerão, depois de um primeiro tempo com claro e infrutífero domínio corintiano, Fábio Santos fez bobagem logo no comecinho do segundo, foi expulso e levou embora as chances do Corinthians chegar pelo menos aos 2 a 0 e, assim, decidir nos pênaltis a sorte na Libertadores.

No meio do segundo tempo, Jadson também foi expulso por mais uma boba agressão a um adversário.

Não há fé que supere tanta imaturidade num time considerado por muita gente, após dois ou três bons jogos no começo da temporada, a mais atual expressão do melhor futebol brasileiro e agora obrigado a reconhecer: ludopédio é um esporte que se pratica também com a cabeça.

O 0 a 0 já era uma desgraça, mas Fernando Fernández entrou no jogo aos 42 minutos e marcou para o Guaraní aos 47.

O 1 a 0 foi a segunda derrota do Corinthians em seu estádio. Esta quarta-feira, 13 de maio, jamais será esquecida pelos corintianos.

Agora, a fiel torcida vai exercitar sua fé no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil.