Arquivo da tag: Guarani

Uma noite que os corintianos jamais esquecerão

Corinthians 135 GuaraníNo Itaquerão, depois de um primeiro tempo com claro e infrutífero domínio corintiano, Fábio Santos fez bobagem logo no comecinho do segundo, foi expulso e levou embora as chances do Corinthians chegar pelo menos aos 2 a 0 e, assim, decidir nos pênaltis a sorte na Libertadores.

No meio do segundo tempo, Jadson também foi expulso por mais uma boba agressão a um adversário.

Não há fé que supere tanta imaturidade num time considerado por muita gente, após dois ou três bons jogos no começo da temporada, a mais atual expressão do melhor futebol brasileiro e agora obrigado a reconhecer: ludopédio é um esporte que se pratica também com a cabeça.

O 0 a 0 já era uma desgraça, mas Fernando Fernández entrou no jogo aos 42 minutos e marcou para o Guaraní aos 47.

O 1 a 0 foi a segunda derrota do Corinthians em seu estádio. Esta quarta-feira, 13 de maio, jamais será esquecida pelos corintianos.

Agora, a fiel torcida vai exercitar sua fé no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil.

Publicidade

É disso que o corintiano gosta

Apreensão corintiana 135Torcida corintiana promete lotar Itaquerão:  sofrimento é motor das grandes conquistas

É bem complicada a missão que cabe à rapaziada comandada por Tite no jogo das 22 horas desta quarta-feira, 13 de maio, no Itaquerão: vencer por três gols de diferença o organizado e aguerrido, embora tecnicamente medíocre time do Guaraní e, assim, continuar sonhando com o título da Libertadores.

Mais difícil fica a tarefa de Guerrero e companhia quando se olha a escalação e não se encontra o nome de Márcio Passos de Albuquerque, bem mais conhecido como Emerson Sheik ou simplesmente Emerson ou Sheik, cidadão que dá bom andamento à bola pelo lado esquerdo do ataque corintiano, mas, a menos de quatro meses de fazer 37 anos, nem sempre mostra juízo dentro de campo.

Esqueça-se, no entanto, o jogador eficiente e insano e lembre-se outra espécie de insanidade que move a massa corintiana, tão acostumada ao sofrimento como motor das grandes conquistas que, ontem, deu no Itaquerão mais uma mostra de que não acredita em missão impossível. Assim parece a tarefa desta noite aos milhares que ontem foram ver o treino e hoje estarão jogando com o time: difícil, sim; dificílima, talvez; impossível, jamais.

Quem sobreviver terá visto.

Tamanha demonstração de fé já ganhou as bênçãos dos céus, que ontem se fecharam por quase 12 horas ao voo do avião fretado pelo Guaraní para decolar de Assunção a tempo de permitir que o time treinasse às 18h30 em Itaquera.

O avião decolou tarde da noite e aterrissou em São Paulo já na madrugada, às 3h30. Os paraguaios esqueceram o treino, claro, e foram dormir.

Esperam os fiéis corintianos que não estejam acordados no jogo de logo mais.

Corinthians se complica na Libertadores

Parece que o Corinthians perdeu de vez a passada.

Nem Guerrero reanimou o time nem o time ajudou Guerrero em Assunção.

Resultado: 2 a 0 para o Guaraní, quarto jogo seguido do Corinthians sem conseguir uma a vitória.

O caminho aparentemente fácil da classificação para as quartas de final da Libertadores ficou bem complicado.

Vencer por diferença de três gols em Itaquera na próxima quarta-feira, dia 13, não é impossível, mas fácil também não é.

Guerrero reanima o Corinthians na Libertadores

Guerrero: ânimo novo em Assunção

Guerrero: ânimo novo em Assunção 

O único peso que o Corinthians leva para campo logo mais, às 19h45, é a obrigação de derrotar o Guaraní no Defensores del Chaco, tal é a disparidade técnica entre os dois times, como ficou demonstrado na fase de grupos desta Libertadores.

É certo que, na reta final da Libertadores e até mesmo do Paulistão, o Corinthians não foi aquele considerado por alguns como a reencarnação do melhor futebol brasileiro em andamento mais moderno e, portanto, mais veloz.

Pode-se tirar uma dúvida hoje no Paraguai: é o Corinthians armado por Tite um quando tem à frente dos seus muitos armadores e armandinhos o matador peruano José Paolo Guerrero Gonzales e outro, bem menos contundente, quando joga com o brasileiro Vágner Silva de Souza, o Vágner Love?

É claro que os 14 dias de intervalo entre a derrota para o São Paulo na última rodada da primeira fase e o compromisso de hoje em Assunção deram tempo à comissão técnica para recuperar pernas e pulmões depois de tantos jogos em pouquíssimo tempo e reensaiar as opções técnicas e táticas que encantaram torcedores e palpiteiros no começo da temporada.

O time parece animado, como deixa claro o meia Jadson, um dos destaques da temporada:

– Nossa equipe vai para cima deles. Não viemos para empatar.

É Guerrero, no entanto, quem dará a medida do desempenho corintiano diante do Guaraní, mesmo que não jogue todos os 90 minutos.

É o fim: caiu a casa de Careca e Neto

Penhorado há quase quatro anos como garantia em processo trabalhista, o Brinco de Ouro não será mais do Guarani se os tribunais confirmarem a decisão tomada hoje pela juíza Ana Claudia Torres Vianna, da 6ª Vara do Trabalho de Campinas, que aceitou a proposta de R$ 105 milhões da Maxion Empreendimentos Imobiliários para arrematar o estádio. A Maxion pertence ao grupo gaúcho Zaffari, quinta maior redes de supermercados do País.

Sem teto, o Guarani tem novo técnico. Para substituir Marcelo Veiga, demitido ontem, contratou hoje Ademir Fonseca.

Campeão brasileiro de 1978 e vice em 1986, duas vezes vice-campeão paulista, a última em 2012, o Guarani disputa atualmente a Segundona do Paulistão.

Triste fim de linha para um clube que deu ao futebol brasileiro craques como Careca e Neto.