Arquivo da tag: Matinê

Corinthians estreia na matinê com lotação esgotada

Jádson: “Começamos hoje a preparação” - Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Jádson: em preparação” – Foto: Daniel Augusto Jr/Corinthians

Não há mais ingressos à venda para Corinthians x Joinville na matinê do domingo.

A última vez que o Corinthians fez um jogo de manhã foi há mais de 12 anos, em 16 de fevereiro de 2003, pelo Campeonato Paulista, tendo derrotado o América em São José do Rio Preto por 3 a 2.

Para o jogo do próximo domingo, no Itaquerão, a comissão técnica tomou alguns cuidados, como lembrou há pouco, em entrevista coletiva, o meia Jádson, artilheiro corintiano no Brasileirão, com nove gols:

– Começamos hoje a preparação. Acordamos mais cedo para tomar café da manhã. Hoje vai ter concentração, para amanhã novamente acordar cedo, repousar bastante. É um jogo diferente, o primeiro nesse horário. A gente sabe da dificuldade, vamos ter de nos acostumar.

Pato dá vitória ao São Paulo e anima Brasileirão

Pato brilha na matinê: dois gols e uma assistência

Pato brilha na matinê: dois gols e uma assistência

O jogo das 16 horas na Arena da Baixada ganhou ainda mais importância depois da vitória do São Paulo sobre o Coritiba por 3 a 1 na matinê do Morumbi. Cada vez mais disposto a mostrar serviço, desmentindo a longa fase de apatia com a camisa tricolor, Alexandre Pato garantiu os três pontos com dois gols e uma assistência.

Por ora, o São Paulo está de volta ao G-4. Os jogos da tarde e da noite deste domingo, dia 12, vão definir se o retorno é alegria passageira ou valerá pelo menos até a próxima rodada do Brasileirão.

Em Curitiba, o Fluminense precisará bater o Atlético Paranaense para continuar na vice-liderança. O anfitrião, que venceu apenas uma vez nas seis últimas rodadas, tem de se reencontrar com a vitória para resgatar minimamente a esperança de voltar à briga por uma vaga no G-4. O problema é que o Flu não perde há cinco rodadas, tendo vencido seus compromissos em quatro.

Também às 16 horas, o Maracanã reserva muitas aflições para Sheik e Guerrero, que saíram há pouco do Corinthians e ainda estão engatinhando no Flamengo. Os corintianos entram em campo de olho no G-4 e os rubro-negros, sem poder contar com a dupla ilustre, precisam desesperadamente da vitória para não correr o risco de retrocesso aos limites do Z-4.

Se der Flu no Paraná e Corinthians no Rio, a permanência do São Paulo no G-4 não resistirá ao cair da tarde.

E ainda tem o jogo da noite no Recife: Sport x Palmeiras. Se Flu ou Corinthians não tiverem vencido à tarde, os pernambucanos voltarão ao G-4 caso ganhem os três pontos em casa. E até o Palmeiras, vencendo o jogo das 18h30 na Arena Pernambuco, tem chances de dormir no G-4.

Mais um domingo animado neste Brasileirão de futebol apenas mediano, mas bastante equilibrado.

Vale a pena ver

Confira no Globo.tv o vídeo que mostra a excessiva irritação de Paulo Henrique Ganso ao ser substituído por Boschilia aos 31 minutos do segundo tempo de São Paulo 3 x 1 Coritiba. Juan Carlos Osorio não deve ter gostado. A torcida não gostou de Ganso em campo, tanto que o vaiou na saída.

Brasileirão terá dois jogos nas manhãs do domingo

Disputadas oito rodadas do Brasileirão, a média de público é de 14.683 pagantes por jogo, ainda inferior aos 16.555 pagantes por jogo da edição de 2014.

A grande novidade em 2015 é a expressiva média de 21.926 pagantes nos sete jogos disputados às 11 horas do domingo, experiência que não é bem aceita por alguns treinadores, mas faz sucesso entre os torcedores.

O público dos domingos de manhã é muito próximo da média de 22.105 pagantes do último Campeonato Francês, bem inferior, no entanto, à média dos três mais importantes campeonatos nacionais da Europa – 43.532 na Alemanha, 36.176 na Inglaterra e 26.719 na Espanha.

A CBF resolveu, então, dobrar as matinês e, da décima rodada em diante, o Brasileirão terá dois jogos nas manhãs do domingo.

O diretor de competições da CBF, Manoel Flores, justifica:

– Após um período de testes, os torcedores mostraram que a aprovação é grande, e os clubes aderiram a essa novidade. Por isso, aumentamos a quantidade de partidas.

Talvez fosse mais sensato esperar por uma amostragem maior do que sete jogos e ouvir os treinadores, pois o futebol brasileiro precisa mais de planejamento do que de medidas apressadas para sair do atoleiro.