Arquivo da tag: Brasileirão

Ricardo Oliveira faz a diferença

Do dia 13 até ontem, 28 de outubro, Ricardo Oliveira participou de cinco jogos: Brasil 3 x 1 Venezuela, pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo; Santos 3 x 1 Goiás e Figueirense 0 x 0 Santos, pelo Brasileirão; São Paulo 1 x 3 Santos e Santos 3 x 1 São Paulo, pela Copa do Brasil.

Marcou seis gols.

E dê-se ao artilheiro santista um duplo desconto: contra o Figueirense, o único dos cinco jogos em que passou em branco, entrou em campo aos 25 minutos do segundo tempo; contra a Venezuela, foi substituído por Hulk aos 35 do segundo tempo.

No mesmo período, o São Paulo de Luis Fabiano, Alan Kardec e Alexandre Pato também jogou cinco vezes: perdeu por 2 a 0 para o Fluminense, empatou por 2 a 2 com o Vasco e venceu o Coritiba por 2 a 1, pelo Brasileirão; e perdeu duas vezes para o Santos por 3 a 1 na Copa do Brasil.

Marcou seis gols, portanto.

Isso talvez explique alguma coisa sobre a eliminação do Tricolor nas semifinais da Copa do Brasil e o quinto lugar no Brasileirão, uma posição atrás do Santos.

Anúncios

Palmeiras e Fluminense acertam contas com o futuro

Zé Roberto @2810@@@

Os dois já frequentaram o Clube dos 4 do Brasileirão, um ainda perambula pela vizinhança, o outro anda mais perto do Z-4 do que dos velhos parceiros de elite,  ambos jogarão no maltratado gramado do Allianz Parque, a partir das 22 horas desta quarta-feira, boa parte das esperanças de que sejam melhores seus dias em 2016.

O Fluminense, visitante que precisa de apenas um empate para seguir em frente na Copa do Brasil e fazer a final com o Santos, é dos dois o mais agoniado nesta noite. Se perder a classificação, nada mais terá a fazer em 2015 do que ir se preparando para quando o Campeonato Carioca e, se tal acontecer, a Primeira Liga chegarem.

Perdendo em casa a chance de continuar na Copa, o Palmeiras poderia reconcentrar as forças no Brasileirão, mas, na verdade, pode perder o rumo, pois é um time que não tem mostrado cabeça para segurar as ondas da torcida movida por frustrações no passado recente e esperanças fantasiosas no presente.

O time se acha melhor do que é e a torcida acreditou nisso.

Uma eventual frustração nas semifinais da Copa do Brasil dificilmente será assimilada pelos palmeirenses a tempo de se recompor para continuar a brigar por uma vaga no G-4 do Brasileirão.

E, no entanto, pelo que o time atual mostrou em seus melhores momentos, a comissão técnica liderada por Marcelo Oliveira vem mostrando desde junho, a diretoria tem se esforçado para mostrar ao longo da temporada e a torcida mostra em quase todos os jogos ao lotar o Allianz Parque, bem que o Palmeiras merece disputar a Libertadores em 2016.

Seria uma boa oportunidade para reforçar o elenco e dar sequência ao trabalho iniciado em 2015. O Palmeiras tem de voltar em definitivo à linha de frente do futebol brasileiro.

E, em especial, um jogador merece demais chegar à final desta Copa do Brasil – o polivalente Zé Roberto, o quarentão mais jovem em atividades nos nossos campos, que faz questão de lembrar:

– É a chance de eu ganhar meu primeiro título nacional jogando no Brasil.

O problema é que, instável como tem sido durante todo o ano, este Palmeiras não merece confiança.

E o Flu, é bom que não se esqueça, já eliminou o favorito Grêmio nas quartas de final.

O terceiro emprego de Doriva neste Brasileirão

Doriva no São Paulo: carreira promissora em risco

Doriva no São Paulo: carreira promissora em risco

Ele era um dos oito técnicos em seu segundo emprego apenas neste Brasileirão, como você pode conferir na nota  Troca-troca é a diversão dos cartolas, postada há dois.

Começou no Vasco, depois de ter conquistado o título carioca, pediu demissão quando viu que o time não decolaria no Brasileirão e depois foi para a Ponte Preta.

Estava fazendo um belo trabalho, que resolveu interromper para substituir o colombiano Juan Carlos Osorio no São Paulo.

Será a terceira camisa que ele veste no Campeonato Brasileiro de 2015.

Doriva é um homem de coragem. Vai para o Tricolor na hora em que boa parte de quem lá está de lá quer ir embora. Está pondo em risco uma carreira até aqui promissora.

É possível, porém, que dure mais no Morumbi e na Barra Funda do que o atual presidente.

Com a palavra, o Sobrenatural de Almeida Rodrigues

Argel Fucks: "1 a 0 já é um grande resultado" - Foto: Internacional

Argel Fucks: “1 a 0 já é um grande resultado” – Foto: Internacional

Basta uma olhadinha na ordem de classificação do Campeonato Brasileiro para enxergar o favoritismo de Grêmio, Palmeiras, São Paulo e Santos nas quartas de final da Copa do Brasil.

Estão os quatro ainda empenhados na briga por duas posições no G-4 do Brasileirão. Do quarteto adversário, somente o Internacional, que hoje receberá o Palmeiras no Beira-Rio às 19h30, ainda disputa vaga no G-4.

O Fluminense, que receberá o Grêmio no Maracanã às 22 horas, entrou no Brasileirão com pretensões de protagonista, mas hoje é mero figurante, a três pontos da zona de rebaixamento.

O Figueirense, anfitrião do Santos às 19h30 no Orlando Scarpelli, não sabe o que é vencer há seis rodadas e está solidamente instalado no Z-4.

No Morumbi, às 22 horas, o São Paulo receberá o Vasco, que está feliz da vida com os dez pontos conquistados nos últimos quatro jogos do Brasileirão, mas é o vice-lanterna da competição, oito pontos abaixo da fronteira para o rebaixamento.

Na Copa do Brasil, então, parece óbvio o favoritismo do Grêmio contra o Flu, do São Paulo contra o Vasco e do Santos contra o Figueirense.

O único confronto relativamente equilibrado das quartas de final será entre Palmeiras e Internacional, que pode ser decidido hoje mesmo em Porto Alegre. Se o Palmeiras conseguir pelo menos o empate, estará muito perto das semifinais.

Não se esqueçam os palmeirenses de que, sob o comando de Argel Fucks, o Inter ainda não perdeu em casa no Brasileirão, tendo derrotado inclusive o Palmeiras e o líder Corinthians, e empatou um único jogo, com o Figueirense.

Com o Figueirense!

E a gente fica falando em favoritismo… O Sobrenatural de Almeida Rodrigues castiga.

Argel Fucks sabe o que quer na noite desta quarta-feira:

– A gente tem de fazer o dever de casa e vencer o jogo. Em segundo lugar, é não sofrer gol. Hoje, 1 a 0 já é um grande resultado.

Benebol festeja Vasco mais perto do líder

A vasta porção vascaína deste Benebol fez festa no café da manhã.

Maria Antonieta, nossa copeira, trouxe até brioches de casa para incrementar o cardápio.

Tudo para comemorar o fato de que o Vasco chegou mais perto do líder no Brasileirão.

Agora, são 35 pontos de distância entre o Vasco e o Corinthians. Eram 37.

Brasileirão deve cinco minutos de bola por jogo ao torcedor

Os 190 jogos do primeiro turno do Brasileirão tiveram, em média, 55 minutos de bola em movimento, segundo levantamento da CBF.

Ainda estamos longe dos 60 minutos recomendados pela Fifa, mas é um progresso: em 2014, a bola rolou apenas 52 minutos e nove segundos por jogo.

Somando a diferença, o torcedor viu seis jogos a mais, cada um com 60 minutos, como quer a Fifa.

Em 32 dos 190 jogos já disputados em 2015, a bola rolou mais de 60 minutos.

O Vasco é muito, muito carioca

O Vasco está mal no Campeonato Brasileiro?

Ainda bem que o campeão carioca não disputa o Paulistão. Nos jogos contra times paulistas, foram estes os seus resultados:

Vasco 0 x 3 Ponte

Vasco 0 x 4 São Paulo

Vasco 1 x 4 Palmeiras

Corinthians 3 x 0 Vasco

Santos 1 x 0 Vasco

Bem diferente seria a situação se a equipe de São Januário  enfrentasse apenas adversários do Rio no Brasileirão:

Vasco 1 x 0 Flamengo

Fluminense 1 x 2 Vasco

A única vitória vascaína sobre um adversário de fora do Rio foi o 1 a 0 sobre o Avaí na décima rodada.