Arquivo da tag: Bilheteria

Neymar ainda rende mais ao Santos do que a bilheteria

O Santos tem a receber do Barcelona € 2 milhões – ou, arredondando a taxa de câmbio, R$ 8,2 milhões – por conta da indicação de Neymar à final da Bola de Ouro.

Os 18 jogos disputados na Vila Belmiro neste Brasileirão renderam ao Santos um total de  R$ 5,1 milhões. Brutos.

É assim que se faz futebol profissional no Brasil.

Fla tem maior público, Palmeiras e Corinthians faturam mais

Fla em casa: 33.689 pagantes por jogo

Fla em casa: 33.689 pagantes por jogo no Brasileirão

Embora colocado em sétimo lugar, a quatro pontos do G-4, o Flamengo é o maior sucesso de público deste Brasileirão.

Nove times  têm média inferior como mandantes ao jogo de menor público do Fla – o 1 a 0 sobre a Chapecoense em 6 de junho.

Com um público médio de 33.689 pagantes por jogo no campeonato, o Flamengo levou apenas 16.960 torcedores ao Maracanã na noite daquele sábado.

Pouco? É mais do que a média de público de Atlético Paranaense, Coritiba, Santos, Joinville, Avaí, Goiás, Figureirense, Ponte Preta e Chapecoense na competição.

Embora leve mais público aos estádios, o Flamengo fatura menos na bilheteria do que Palmeiras e Corinthians.

A diferença está no preço cobrado pelos ingressos: em média, R$ 44,40 nos jogos do Fla; R$ 57,92 nos do Corinthians; R$ 67,09 nos do Palmeiras.

Resultado: enquanto o Fla faturou pouco menos de R$ 21 milhões nas bilheterias, o Corinthians arrecadou pouco mais de R$ 25 milhões e o Palmeiras passou dos R$ 30 milhões.

Quarto e quinto colocados na lista de maiores arrecadadores neste Brasileirão, o Grêmio e o Atlético Mineiro, somados, faturaram R$ 26 milhões.

Os números mostram que os bons resultados financeiros estão ligados ao sucesso esportivo. Dos cinco que estão se dando bem nas bilheterias, só o Flamengo está fora do G-4.

Para conferir todos os números, inclusive os do seu time, vá ao site Footstats.net, fonte de consulta sempre acessada por este blog.

Fla-Flu já vendeu mais de 30 mil ingressos

O Fluminense x Flamengo do domingo está bombando nas bilheterias: já foram vendidos 32 mil ingressos.

Não há mais ingressos para os setores mais caros do Maracanã – que custavam entre R$ 80 (R$ 40, a meia) e R$ 155 (R$ 100, a meia).

Os ingressos que ainda estão à venda custam R$ 60 (R$ 30, a meia).

O clássico carioca da 23ª rodada tem um atrativo especial: o Flamengo é o nono colocado no Brasileirão, com 32 pontos, e o Fluminense é o sétimo, com 33.

O Flu perdeu os três jogos que fez no returno; o Fla ganhou os três.

Vasco e Goiás cobram muito por jogos que poucos vêem

Somente o Palmeiras e o Corinthians cobram mais caro pelo ingresso nos jogos do Brasileirão do que o Vasco e o Goiás.

Palmeirenses pagam em média R$ 67 por ingresso; corintianos, R$ 56; vascaínos e esmeraldinos, R$ 50.

O Corinthians é o vice-líder do campeonato, o Palmeiras está em sexto lugar, o Goiás em 17º e o Vasco em 19º.

O campeão de bilheteria é o Palmeiras, com 33.890 pagantes por jogo. O Corinthians é o terceiro, com média de 27.173 pagantes.

O torcedor não é bobo: o Vasco é o 15º colocado no ranking da bilheteria, com 8.699 pagantes por jogo, e o Goiás é o lanterninha, com 4.814 pagantes.

Assim não é possível fazer futebol

O lucro do Palmeiras com a bilheteria neste Brasileirão é até agora de R$ 12,2 milhões, apenas R$ 310 mil a menos do que o lucro somado de 12 outros clubes – que convém enumerar, em ordem decrescente de valor: Flamengo, Atlético Paranaense, Fluminense, Vasco, Avaí, Joinville, Figueirense, Chapecoense, Ponte Preta, Goiás, Santos e Coritiba.

Os ganhos da Federação Paulista de Futebol com o Brasileirão, de cerca de R$ 1,7 milhão, são superiores à soma do obtido por dez dos 20 clubes que disputam o campeonato.

Somente o Palmeiras e o Corinthians, com R$ 6,4 milhões, tiveram um lucro maior na bilheteria do que as oito federações que mandam nos 20 clubes do Brasileirão.

Os dados, que revelam algo importante sobre o futuro do futebol brasileiro, foram levantados pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas e podem ser conferidos aqui.

Palmeiras fatura mais do que Fla, Bota, Vasco e Flu juntos

O Palmeiras já arrecadou R$ 42.387.675,00 na bilheteria em 2015.

É mais do que a soma da arrecadação bruta de Flamengo, Botafogo, Vasco e  Fluminense – exatos R$ 41.127.082,00.

As contas, detalhadas por Rodolfo Rodrigues em seu blog Futebol em Números, no UOL, deveriam fazer certos dirigentes esquecer as picuinhas e pensar mais no futebol carioca.

Preço não é o problema

Quem paga mais caro para ver os jogos do seu time no Brasileirão de 2015 é o torcedor palmeirense. O custo médio do ingresso no Allianz Parque é de 63 reais.

Quem paga menos é o torcedor da Chapecoense – 14 reais, em média.

Pois o Palmeiras é o líder das bilheterias, com 31.745 ingressos vendidos por jogo.

E a Chapecoense está em antepenúltimo lugar no ranking de público no Brasileirão, com média de 6.831 ingressos vendidos nos jogos em casa.

Assim é difícil ganhar o público no Brasileirão

Com exceção do Figueirense, instalado na fronteira com o Z-4, cinco times do Brasileirão jogam hoje, um pouco antes ou um pouco depois de Brasil x Paraguai, pelo direito de permanecer ou entrar no G-4.

Evidentemente, não é a data mais propícia para animar os torcedores envolvidos com os seguintes jogos da nona rodada:

Avaí x Grêmio, às 16 horas, na Ressacada

Chapecoense x Sport, também às 16 horas, na Arena Condá

Corinthians x Figueirense, às 21 horas, o Itaquerão

Vale lembrar que o Brasileirão de 2015 tem em média 14.373 pagantes por jogo.

Dos anfitriões dos jogos deste sábado, somente o Corinthians tem em casa um público bem maior do que a média do Brasileirão: 22.297 pagantes por jogo.

A média do Avaí é de 8.646 pagantes por jogo; a da Chapecoense, de 6.738.

O Corinthians pelo menos teve a sabedoria de abrir os portões de sua Arena às 18 horas e mostrar Brasil x Paraguai nos telões dos setores norte e sul, o que permitirá ao torcedor acompanhar a partida da Copa América.

Não é um com um calendário tão pouco inteligente que as bilheterias do Brasileirão vão melhorar.