Arquivo diário: 21 de outubro de 2015

Será o Santos de novo o campeão?

Gabigol: 14º gol na história da Copa do Brasil

Gabigol: 14º gol na história da Copa do Brasil

Escuridão e muita chuva anunciavam um jogo de baixa qualidade no Morumbi, mas o que se viu, desde que a bola começou a escorregar no gramado encharcado, foi um São Paulo cheio de ânimo em busca da vitória, único resultado que lhe permitiria ir a Santos na semana que vem com chances concretas de chegar à final da Copa do Brasil.

Aos 14 minutos, embora estivesse melhor no jogo, o São Paulo levou um susto: aproveitando ótimo passe de Daniel Guedes, Gabigol fez 1 a 0 para o Santos. Foi o 14º gol do garoto numa Copa do Brasil, recorde de um jogador santista na história da competição.

Na noite desta quarta, porém, Pato estava esperto. Aos 25, matou no peito a bola lançada por Michel Bastos e, sem deixá-la cair no chão, empurrou-a com enorme categoria a rede de Vanderlei.

O 1 a 1 era o mínimo que o São Paulo estava merecendo.

No restante do primeiro tempo, continuou melhor, mas permitiu alguns contra-ataques perigosos ao Santos. Nem bem começou o segundo tempo, Ricardo Oliveira fez 2 a 1 para o Santos e mudou em definitivo o andamento da partida.

Antes do quinto minuto, Marquinhos Gabriel liquidou as esperanças tricolores, fazendo 3 a 1 para o Santos.

Até que no desespero, com os atacantes Pato, Luis Fabiano e Alan Kardec em campo, o São Paulo ainda criou algumas chances de gol, mas nada que mudasse a história da partida.

Para chegar às finais, terá de vencer o Santos por 3 a 0 na Vila Belmiro. Milagre não é a especialidade tricolor.

No Maracanã, depois fazer 2 a 0 no primeiro tempo, com gols de Marcos Junior e Gum, o Fluminense permitiu no segundo que o Palmeiras diminuísse para 2 a 1 em cobrança de pênalti por Zé Roberto.

Ficou bem mais difícil garantir o bilhete para as finais. Afinal, ao Palmeiras bastará o 1 a 0 no jogo da volta no Allianz Parque.

Marcelo Oliveira, que disputou e perdeu três decisões da Copa do Brasil, com o Coritiba em 2011 e em 2012 e com o Cruzeiro em 2014, tem boas chances de emplacar a quarta final em cinco anos. Ganhá-la é outra história.

Gabigol, Ricardo Oliveira, Marquinhos Gabriel e companhia não menos ilustre mostraram, no final da noite da quarta e começo da madrugada da quinta, que quem dá bola nesta Copa do Brasil é o Santos.

Anúncios

Dorival Júnior é exceção

Dos quatro times que começam a disputar nesta noite as semifinais, somente o São Paulo nunca conquistou o título da Copa do Brasil.

Mesmo assim, tem dois campeões no elenco – Wesley e Ganso, ambos pelo Santos, em 2010.

O Santos atual não tem nenhum campeão.

Aliás, tem um fora do campo. Dorival Júnior é o único dos treinadores destas semifinais que já ganhou o título da Copa do Brasil – pelo próprio Santos, em 2010.

Artilheiros de mal com o gol

Com sete brasileiros em campo (Marquinhos, Thiago Silva, Maxwell e Lucas contra  Danilo, Marcelo e Casemiro), Paris Saint-Germain e Real Madrid não saíram do 0 a 0 em Paris e vão para o returno da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa separados apenas pelo saldo de gols, cada um com sete pontos acumulados nos três primeiros jogos.

Passaram em branco no Parque dos Príncipes os maiores artilheiros da história do PSG (Zlatan Ibrahimovic) e do Real Madrid (Cristiano Ronaldo).

O fenômeno Ronaldo, que foi prestigiar o jogo, deve ter se sentido desprestigiado.

Que história é essa de falar a verdade?

Informa o blogueiro  Daniel Brito, no UOL: os cartolas Reinaldo Carneiro Bastos, da Federação Paulista de Futebol; Mauro Carmélio Costa Júnior, do Cesará; André Luiz Pitta Pires, de Goiás; Evandro Carvalho, de Pernambuco; Gustavo Vieira, do do Espírito Santo; e Heitor Luiz da Costa Junior, de Rondônia, “se recusaram a assinar o termo de compromisso de falar somente a verdade” ao depor hoje na CPI do Futebol no Senado.

Faz sentido.

Até quando, Conmebol?

Já sabemos todos que Argentina x Brasil, pela terceira rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa de 2018, acontecerá em 12 de novembro no Estádio Monumental de Nunez.

Todos?

Menos a Conmebol, “que organiza o processo de classificação para a Copa do Mundo na América do Sul”. O site da confederação continua desinformando, em seu português tosco, no texto Eliminatórias Sul-Americanas: seguintes rodadas de novembro:

Finalizadas as duas primeiras rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas, as seleções sul-americanas já pensam na terceira e quarta jornada que se disputarão entre 9 e 17 de novembro da seguinte maneira:

– 3ª JORNADA

Chile – Colômbia

Argentina – Brasil

Equador – Uruguai

Bolívia – Venezuela

Peru – Paraguai

E, na página específica sobre o jogo, ainda se :

Temporada Regular | Rodada 3 – A DATA DA PARTIDA NÃO ESTÁ DISPONÍVEL

O problema não é só a língua. Em espanhol , a desinformação continua:

Temporada Regular | Fecha 3 – LA FECHA DEL PARTIDO NO ESTA DISPONIBLE

Encontro de gerações começa a definir a Copa do Brasil

Dupla despedida: Rogerio Ceni deixa futebol e Gerson deixa o Flu após Copa do Brasil

Despedida: Rogério Ceni deixa futebol e Gerson sai do Flu após Copa do Brasil

Senhores respeitáveis e moleques promissores estrelam na noite desta quarta-feira dois espetáculos que vão começar a definir o rumo de seus times em 2016: Fluminense x Palmeiras, no Maracanã, e São Paulo x Santos, no Morumbi. Entrará em jogo, a partir das 22 horas, uma das vagas brasileiras na próxima Copa Libertadores da América.

As semifinais da Copa do Brasil começam com ligeiro favoritismo do Palmeiras e do Santos, justamente os visitantes nos embates de hoje. E é na casa alheia que ambos têm de colher um resultado minimamente confortável para a decisão em casa, daqui a uma semana, da vaga nas finais.

Ninguém há de negar a importância da experiência de Fred (32 anos) para o Fluminense, de Zé Roberto (41 anos) para o Palmeiras, de Rogério Ceni (42 anos) para o São Paulo e de Ricardo Oliveira (35 anos) para o Santos, mas as quatro equipes vão precisar igualmente da criatividade e da ousadia dos garotos Gérson (18 anos) e Gabriel Jesus (18 anos) no Maracanã, Rodrigo Caio (22 anos, quase um velhinho) e Gabigol (19 anos) no Morumbi.

Será um duplo encontro de gerações, retrato mais ou menos fiel do atual futebol brasileiro, que aposta na renovação e na experiência como solução viável para suas carências técnica e econômica. Os mais velhos, com exceção de Rogério, ganharam um bom dinheiro fora e aceitam contratos razoáveis por aqui. Os mais novos ainda vão ganhar muito dinheiro fora.

Estão todos a apenas quatro jogos do título que, mais do que uma compensação para quem já não pode sonhar em ser campeão brasileiro, vale sobretudo a garantia de disputar a Libertadores ao longo de 2016 e cultivar o sonho de chegar ao fim do ano lutando para ser campeão mundial.

Se tal acontecer com seu time, dois dos astros desta noite não estarão no Japão em dezembro do próximo ano: o veteraníssimo Rogério Mücke Ceni e o adolescente Gerson Santos da Silva. O goleiro do São Paulo deixará o futebol em dezembro. O meia do Fluminense vai jogar pela Roma a partir de 2016. Portanto, nem sequer disputarão a Libertadores.

O título da Copa do Brasil é a festa de despedida que os dois merecem. Talvez nenhum leve.