Arquivo diário: 23 de outubro de 2015

Copa América vai festejar os 100 anos nos EUA

Atenção, atenção: a alta cartolagem da Conmebol e da Concacaf reuniu-se nesta sexta-feira em Miami e confirmou a realização da edição de 100 anos da Copa América no ano que vem nos Estados Unidos.

Em comunicado conjunto, as confederações informam que a competição terá “uma estrutura totalmente nova para cuidar das operações e das finanças do torneio”.

Tradução: o pessoal que já foi pego pelo FBI está fora.

Os tempos são outros, prometem Conmebol e Concacaf: “Uma melhor estrutura de controle vai proporcionar uma maior prestação de contas e transparência do evento”.

E mais: “Todas as partes envolvidas na Copa América Centenário concordaram em formar um novo Comitê Executivo, composto por dois representantes da Conmebol, dois representantes da Concacaf  e um representante de futebol da U.S. Soccer, para gerenciar operações e finanças do torneio no dia a dia.”

Antes mesmo da reunião em Miami, as confederações já tinham prometido que, “conjuntamente com o operador local do torneio, vão identificar novos sócios para vender os direitos comerciais utilizando um processo novo e transparente”.

Novos processos e transparência são promessas para o futuro. Por enquanto, nem o FBI sabe quem vai operar localmente o torneio. Talvez desconfie.

Anúncios

Rei Pelé, 75 anos

Pelé 75

O que dizer no aniversário de 75 anos do Rei do Futebol?

Melhor relembrar um pouco do muito que já foi dito:

♦ Se Pelé não tivesse nascido homem, teria nascido bola. – Armando Nogueira

♦ Eu pensei: “ele é feito de carne e osso, como eu”. Eu me enganei. – Tarcisio Burnigch, defensor italiano encarregado de marcá-lo na final da Copa do Mundo de 1970, que o Brasil venceu por 4 a 1

♦ Ele é o único que ultrapassa os limites da lógica. – Johann Cruyff

♦ O difícil, o extraordinário, não é fazer mil gols, como Pelé. É fazer um gol como Pelé. – Carlos Drummond de Andrade

  Pelé nunca vai morrer. – Edson Arantes do Nascimento

Lá vai o Pato

Pato de volta 2310@           Alexandre Pato: volta bem ensaiada – Fotos: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Estão todos bem ensaiadinhos: o presidente Roberto de Andrade parou de rezar para dele se livrar, empresários e agentes reconhecem que não têm outra proposta, Pato faz questão de lembrar que tem contrato com o Corinthians e o São Paulo não parece ter grana para segurá-lo após o vencimento do prazo de empréstimo.

Sem outra porta de entrada à vista, Alexandre Pato está voltando para o Corinthians, embora não seja seu desejo nem o do clube.

Pato e Tite: sem fingimento

Pato e Tite: sem fingimento

Falta agora ensaiar o coro da reviravolta com alguns jogadores corintianos que andaram detonando o antigo (e próximo?) companheiro em entrevistas recentes. E convencer a torcida que nunca morreu de amores por Pato e foi levado ao longo desta temporada a exacerbar o sentimento de repulsa.

O único que não precisa mudar de opinião é Tite. O técnico sempre disse que Pato tem lugar no seu Corinthians.

O problema de Marquinhos Gabriel é o dólar – ou o real?

Marquinhos Gabriel: entre o Santos e o Al-Nassr - Foto: Ricardo Saibun/Santos FC

Marquinhos Gabriel: de volta? – Foto: Ricardo Saibun/Santos FC

Ele tem 25 anos, mas já jogou no Internacional, no Avaí, no Sport, no Bahia, no Palmeiras e no Al-Nassr, que o emprestou ao Santos e agora quer pelo menos U$ 4 milhões para cedê-lo em definitivo.

Marquinhos Gabriel, autor do último gol nos 3 a 1 sobre o São Paulo que praticamente colocaram o Santos na final da Copa do Brasil, quer continuar na Vila em 2016, mas o Al-Nassr o quer de volta.

Dorival Júnior gostaria muito de continuar com o meia gaúcho que aproveitou bem a chance de substituir o sergipano Geuvânio, embora agora tenha de disputar com ele a vaga entre os titulares.

Com o dólar a mais de quatro reais, é praticamente impossível que o Santos o contrate em definitivo, a menos que consiga um bom abatimento na pedida inicial do Al-Nassr.

O mais barato é conseguir a prorrogação do empréstimo por mais um ano, mas isso o Al-Nassr não quer, pois o contrato de Marquinhos Gabriel vence em 2017.

Dirigentes santistas estão tentando, então, convencer o jogador a esticar o contrato com o clube da Arábia Saudita por mais um ano, dando uma folga ao Al-Nassr para deixá-lo mais um ano na Vila.

Marquinhos Gabriel vai acabar pagando pela desvalorização do real.