Arquivo da tag: Özil

Desta vez, Reymar não fez gol

Neymar: passe para os gols

Neymar: passe para os gols

Hoje, ele não fez nenhum, mas o Barcelona venceu o BATE Borisov por 2 a 0 na Bielorrússia graças a ele. Na Espanha já estão quase escrevendo ‘graças a Ele”. Foram de Reymar, como o cultuam hoje muitos espanhóis, as duas assistências para os gols de Rakitic.

O Barça de Neymar volta para casa na liderança do Grupo E, com sete pontos em três jogos, seguido pelo Bayer Leverkusen, que em casa empatou com a Roma por 4 a 4 e fecha a terceira rodada da Liga dos Campeões com quatro pontos.

Depois de ter perdido os primeiros jogos contra o Olympiacos e o Dínamo Zagreb, o Arsenal se reabilitou ao derrotar o Bayern de Munique por 2 a 0 em Londres. Portanto, Lewandowski novamente passou em branco e, para tristeza dos alemães, Ozil marcou o segundo gol dos ingleses.

Embora lanterninha do Grupo F, com três pontos, o Arsenal pode garantir a classificação no returno. O Bayern, líder, tem seis pontos.

O grande jogo desta terceira rodada da fase de grupos da mais importante competição de clubes de todo o mundo do futebol acontecerá nesta quarta-feira em Paris: PSG x Real Madrid.

Cada um tem seis pontos. O Real é líder porque marcou seis gols e não levou nenhum. O PSG marcou cinco e também não sofreu gol até agora.

No Parque dos Príncipes, as defesas vão sofrer. Afinal, será um confronto de goleadores: Cristiano Ronaldo x Ibrahimovic.

Anúncios

Essa Alemanha é de brincadeirinha

Muito tititi na rede em torno da vitória de ontem dos EUA sobre a Alemanha por 2 a 1.

Parece que os norte-americanos tiraram dos alemães o título de campeões mundiais!

Só parece.

A Alemanha do amistoso em Colônia entrou em campo com Zieler,  Mustafi, Jonas Hector, Rudy, Rüdiger, Khedira, Özil,  Kramer,  Kruse, Podolski e Bellarab.

Para refrescar a memória dos mais esquecidinhos, a Alemanha que venceu os EUA por 1 a 0 na fase de grupos da Copa de 2014 e é campeão mundial jogou com Neuer, Boateng, Mertesacker, Hummels, Höwedes, Philipp Lahm, Schweinsteiger, Toni Kroos, Özil, Podolski e Thomas Müller.

A verdadeira seleção alemã não estava em Colônia.