Arquivo da tag: Atlético de Madrid

Barça é campeão espanhol e quer muito mais

Messi: campeão vai brigar por artilharia

Messi: campeão vai brigar por artilharia

Faltou Suárez, mas Pedro cumpriu bem o papel de coadjuvante no minuto decisivo, o 20º do segundo tempo: Messi recebeu a bola dentro da área do Atlético, tocou-a para ele, que a devolveu para que o camisa 10 fizesse 1 a 0, o bastante para o Barcelona conquistar o título espanhol sem depender das idas e vindas do placar de Espanyol x Real Madrid.

Cristiano Ronaldo acabou fazendo três na vitória do Real por 4 a 1 e lidera o pelotão de artilheiros, com 44 gols, três a mais do que Messi.

É o que resta para ser decidido na última rodada.

E o Barça de Messi ganhou tempo de sobra para as duas últimas batalhas da temporada, ambas valendo caneco: a Copa do Rei, no dia 30, e a Liga dos Campeões da Europa, no dia 6 de junho.

O título espanhol é apenas o começo. O Barça quer tudo e, ao que parece, tudo terá.

Anúncios

Assim falam os técnicos de Real x Atlético e Monaco x Juve

A Liga dos Campeões definirá na noite europeia desta quarta-feira, 22, em jogos que os brasileiros poderão acompanhar na televisão a partir das 15h45, os dois semifinalistas que se juntarão ao Barcelona e ao Bayern.

Embora decisivos, Real Madrid x Atlético de Madrid e Monaco x Juventus não são confrontos que tirem a tranquilidade dos treinadores, pelo menos nas declarações que deram ao site da Uefa e, a seguir, são sintetizadas neste blog.

Jogando em casa, o Real Madrid não terá Karim Benzema, Gareth Bale e Luka Modrić, mas Carlo Ancelotti é puro otimismo:

– Não teremos alguns jogadores importantes, mas não poderíamos estar mais motivados. Temos várias opções para substituir os lesionados. O Atlético é muito forte, tem uma das melhores defesas do mundo, mas queremos jogar bom futebol do primeiro ao último minuto. Já disse muitas vezes que, em minha opinião, tenho o melhor elenco do mundo.

Diego Simeone aposta na força defensiva do Atlético de Madrid, que, é sempre bom lembrar, não perdeu nenhum dos sete jogos da temporada 2014/2015 para o rival:

– Queremos desfrutar de mais jornadas como esta. Elas não acontecem todos os dias. São equipes que não sofrem pressão. O que temos é responsabilidade. Estamos concentrados em nossas necessidades. Temos excelentes jogadores nas posições defensivas e sempre tenho problemas em decidir quais são os melhores para cada encontro.

Leonardo Jardim, treinador português do Monaco, mostra comedida confiança em seu time para reverter a em casa a vantagem da Juventus, que venceu em Turim por 1 a 0:

– Precisamos fazer um jogo perfeito, com boa organização defensiva e eficiência no ataque. Temos a tendência de marcar mais gols fora e gostaria que passássemos a fazer o mesmo em casa. Vamos assumir os riscos necessários, mas calculados, marcar gols e não sofrer. É preciso ter cabeça fria.

Massimiliano Allegri, como típico treinador italiano, cai na retranca ao falar das chances da sua Juventus no Estádio Louis II:

– O Monaco é uma equipe fisicamente forte, que defende bem. Será um jogo difícil, como foi o primeiro. A classificação pode vir a se decidir nos detalhes. Acho que vamos ter uma noite longa pela frente.

Barça e Bayern mostram força de campeões

 

Neymar e Daniel AlvesNeymar e Dani Alves festejam no Camp Nou os 2 a 0 sobre PSG  Imagem Beneclick

Iniesta voltou a brilhar como regente, mas desta vez o brasileiro Neymar foi o solista da afinadíssima orquestra no Camp Nou, assinando os gols da vitória por 2 a 0 sobre o PSG que confirma o Barcelona nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa. No primeiro, assistência do capitão Iniesta. No segundo, assistência do cupincha Dani Alves.

Em Munique, sob a regência do brasileiro Thiago Alcântara, que é cidadão espanhol no mundo da bola, o Bayern fez 5 a 0 logo no primeiro tempo, deixou o Porto se animar no segundo, mas fechou a conta em 6 a 1 e festejou a classificação para as semifinais como se fosse dia de Carnaval na Baviera.

Amanhã, quarta-feira, tem mais, às 15H45 (de Brasília): Real x Atlético de Madrid, no Santiago Bernabéu; Monaco x Juventus, no Louis II.

Aconteça o que acontecer em Madri e no Mônaco, Barça e Bayern são candidatíssimos ao título europeu de 2015.

Simeone x Ancelotti: mais um duelo na Liga dos Campeões

Simeone e Ancelotti 1Não faltam atrações em campos da América do Sul e da Europa nesta terça-feira, 14 de março, mas as atenções de todo o mundo estarão voltadas para o clássico de Madri que reprisará, na abertura das quartas de final, a decisão da Liga dos Campeões da Europa no ano passado: Atlético x Real.

O jogão das 15h45 (de Brasília) pode parecer a muitos mais um passo do bilionário Real Madrid rumo ao título, mas não se deve apostar em tão franco favoritismo – e não apenas porque o confronto se dará no estádio Vicente Calderon, casa do Atlético de Madrid.

Que o Real é superior tecnicamente ao Atlético ninguém há de negar, mas você sabia que, nas seis vezes em que os dois se enfrentaram após a final da última Liga dos Campeões, a equipe de Diego Simeone venceu quatro e empatou duas?

Carlo Ancelotti sabe, tanto que disse ontem aos jornalistas que acompanham o dia a dia do Real:

– O Simeone é um grande treinador, já provou isso. Gosto muito dele e é um dos melhores do mundo. Para mim, é uma honra competir com ele, mas também é um problema. O Atlético é um adversário muito complicado, porque tem uma organização defensiva fantástica. Temos o máximo respeito por eles. Lutam do primeiro ao último minuto. É o que eu também espero de minha equipe.

O italiano está certíssimo ao esperar um jogo duro e difícil, mas o argentino também sabe que não terá moleza pela frente:

– Eles têm mais talento individual do que nós em várias posições. Têm jogadores extraordinários e respeitamos o talento de todos eles, mas não podemos escolher os nossos adversários. É um motivo de orgulho poder enfrentar os melhores e Carlo é um deles. Precisamos nos concentrar apenas neste desafio, pois temos chances de vencer.

O Real já deve ter aprendido que não basta o talento, mesmo extraordinário, para dobrar este adversário levado por seu treinador a “viver cada minuto como se fosse o último”.