Arquivo da tag: Canadá

Os melhores do Pan: sai Cuba, entra o Canadá

Decidido o vôlei masculino, com ouro para a Argentina e prata para o Brasil, fecha-se conta das medalhas no Pan-Americano de Toronto. No  grande pódio:

  • EUA: 103 ouros, 81 pratas, 81 bronzes – 265 medalhas
  • Canadá: 78 ouros, 69 pratas, 70 bronzes – 217 medalhas
  • Brasil: 41 ouros, 40 pratas, 60 bronzes – 141 medalhas

Em 2011, no Pan de Guadalajara, tinha sido assim:

  • EUA: 92 ouros, 79 pratas, 66 bronzes – 237 medalhas
  • Cuba: 58 ouros, 35 pratas, 43 bronzes – 136 medalhas
  • Brasil: 48 ouros, 35 pratas, 58 bronzes – 141 medalhas
Anúncios

As anfitriãs estão fora da luta pelo título mundial

Um gol da reserva Mana Ywabuchi a três minutos do final do jogo, apenas 15 depois de entrar em campo, deu a vitória ao Japão sobre a Austrália no primeiro jogo deste sábado pelas quartas de final do Mundial de Futebol Feminino.

No jogo que se encerrou há pouco, as inglesas levaram as anfitriãs canadenses ao choro. Por 2 a 1, placar construído no primeiro tempo, a Inglaterra venceu o Canadá. Jodie Tayler fez 1 a 0 logo aos 11 minutos, Lucy Bronze ampliou aos 14, e a canadense Christine Sinclair diminuiu aos 42.

Assim, Japão e Inglaterra se classificaram para as semifinais e vão se enfrentar na quarta-feira, 1º de julho, em Edmonton.

Não foi tão fácil quanto se imaginava, mas, na sexta-feira, alemãs e norte-americanas já se tinham garantido nas semifinais.

Louisa Necib fez 1 a 0 para a França aos 19 do segundo tempo, a Alemanha chegou ao 1 a 1 a seis minutos do final, com um gol de pênalti cobrado por Celia Sasic. Depois da prorrogação sem gols, as alemãs ganharam a vaga, nos pênaltis, por 5 a 4.

Os EUA sofreram menos diante da China. Carli Lloyd garantiu a vitória por 1 a 0 aos 6 minutos do segundo tempo.

Na terça, dia 30, alemãs e norte-americanas farão em Montréal o primeiro jogo das semifinais.

Mundial dá vaga a alemãs e francesas na Rio-2016

Ao chegar às quartas de final do Mundial de Futebol Feminino que está sendo disputado no Canadá, depois que a Noruega parou nas oitavas, as seleções da Alemanha e da França garantiram a presença na Rio-2016.

Alemãs e francesas disputarão na sexta-feira, dia 26, uma das vagas nas semifinais do Mundial.

O Mundial ainda pode decidir a terceira vaga europeia na Olimpíada – Inglaterra ou Holanda. As inglesas já estão nas quartas, as holandesas jogam hoje contra as japonesas.

Ficou para o Rio o sonho de Marta

A Olimpíada de 2016, com a final do futebol marcada para o Maracanã, deve ser a última chance de Marta ganhar um título de primeira grandeza com a seleção brasileira.

A penúltima tentativa morreu há pouco em Moncton, no Canadá, com a derrota para as australianas por 1 a 0 nas oitavas de final do Mundial.

Além da Austrália. seguem na competição a Alemanha, grande candidata ao título que ontem venceu a Suécia por 4 a 1, e a China, que derrotou Camarões por 1 a 0.

Ainda estão na briga para chegar às quartas de final as quatro seleções que vão se confrontar daqui a pouco – França x Creia e Canadá x Suíça – e as seis que se enfrentarão na segunda e na terça – Noruega x Inglaterra, EUA x Colômbia e Japão x Holanda.

Brasil de Marta volta à luta pelo título mundial

O Brasil tem craque, sim, senhora.

E ela estará em campo daqui a pouco na cidade canadense de Moncton para reiniciar, agora em jogos de vida ou morte, a luta pelo inédito título mundial do futebol feminino.

Pelas oitavas de final, às 14 horas daqui, Marta vai enfrentar as australianas, conhecidas freguesas das meninas do Brasil tanto no Mundiais quanto nas Olimpíadas, e promete:

– Faremos de tudo para chegar à final aqui no Canadá. O nosso sonho é sermos campeãs mundiais e a batalha começa contra a Austrália.

Esqueça-se, portanto, a boa campanha da primeira fase, com três vitórias brasileiras, a última, sobre a Costa Rica, com o time quase todo reserva. É o que lembra o técnico Vadão:

– Ter ido bem na primeira fase faz bem para a autoestima do nosso grupo, mas agora é mata- mata.

Marta 15 x 14 Abby Wambach

Abby Wambach: 14 gols em Mundiais - Foto: Twitter/@AbbyWambach

Abby Wambach: 14 gols em Mundiais – Foto: Twitter@AbbyWambach

A norte-americana Abby Wambach, que aos 39 anos é a mais velha jogadora do Mundial Feminino disputado no Canadá, marcou o gol da vitória sobre a Nigéria que classificou os EUA para as oitavas de final e igualou-se à alemã Birgit Prinz em segundo lugar na lista das artilheiras da competição em todos os tempos.

A alemã deixou os campos em 2011. Com seus 14 gols, Abby Wambach está a um da brasileira Marta, artilheira dos Mundiais.

Tudo indica que Marta estará em campo logo mais, às 20 horas do Brasil, para enfrentar a Costa Rica num jogo que nada mais vale para as brasileiras, já classificadas primeiras colocadas do Grupo E para as oitavas do Mundial.

Oswaldo Alvarez o Vadão, vai poupar algumas titulares, como Fabiana e Thaisa, mas deixará que Marta continue na briga pela artilharia e afie no Estádio de Moncton as garras para a partida contra a Austrália pelas oitavas – no domingo, lá mesmo.

Atualização – 1

Vai começar Brasil x Costa Rica no Estádio de Moncton e Vadão mudou de ideia: Marta não está escalada. O Brasil jogará com Luciana; Poliana, Mônica, Rafaelle e Tamires; Raquel, Maurine, Andressinha e Rosana; Gabi Zanotti e Darlene.

Do time que venceu a Espanha por 1 a 0, começarão jogando apenas Luciana, Mônica, Rafaelle e Tamires.

Informa a CBF no Twitter : “Vadão aproveita a classificação antecipada para dar mais tempo de recuperação física às jogadoras que já disputaram duas partidas na Copa”.

Atualização – 2

Resultado: Brasil 1 x 0 Costa Rica, gol de Raquel Fernandes.

E, assim, o placar histórico das artilheiras continua: Marta 15 x 14 Abby Wambach.

Vadão e Formiga mostram autocrítica após os 2 a 0

Formiga: alerta contra erros

Formiga: alerta contra erros da estreia

Com a devida permissão do internauta para usar o verbo da moda entre os boleiros que comentam os jogos de futebol pelas tevês do Brasil afora, a seleção feminina leu bem o jogo de estreia no Mundial do Canadá.

Assim falou o técnico Vadão após os 2 a 0 sobre as coreanas:

– Acho que o Brasil fez um bom jogo, mas tem de melhorar. Nós desaceleramos muito no final do jogo. Isso, em determinados momentos, poderia ter nos custado caro. Acho que a competição não permite não permite este tipo de comportamento.

E Formiga, maior destaque em campo, completou:

– A gente sabe que rolaram muitos erros que não podem se repetir.

Nem sempre se vê (ou se ) autocrítica tão sincera no futebol dos rapazes.