Arquivo diário: 21 de abril de 2015

Cruzeiro vai brigar pelo título da Libertadores

Ufa! O Cruzeiro venceu o cansaço e bateu por 2 a 0 o Universitário Sucre no Mineirão, garantindo o primeiro do Grupo 3 e a classificação para as oitavas de final da Libertadores.

Como o futebol é o reino das surpresas, o Mineros de Guayana, que tinha conseguido um único ponto nos cinco jogos anteriores, venceu o Huracán por 3 a 0 e salvou o Universitário Sucre, que também vai para as oitavas.

Ou seja: mesmo que tivesse perdido nesta terça, 21, o Cruzeiro estaria nas oitavas.

Agora, fora das finais do Campeonato Mineiro, Marcelo Oliveira terá tempo para treinar o time e prepará-lo devidamente para as fases mais duras da Libertadores. O Cruzeiro entra na briga pelo título da Libertadores.

Anúncios

Barça e Bayern mostram força de campeões

 

Neymar e Daniel AlvesNeymar e Dani Alves festejam no Camp Nou os 2 a 0 sobre PSG  Imagem Beneclick

Iniesta voltou a brilhar como regente, mas desta vez o brasileiro Neymar foi o solista da afinadíssima orquestra no Camp Nou, assinando os gols da vitória por 2 a 0 sobre o PSG que confirma o Barcelona nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa. No primeiro, assistência do capitão Iniesta. No segundo, assistência do cupincha Dani Alves.

Em Munique, sob a regência do brasileiro Thiago Alcântara, que é cidadão espanhol no mundo da bola, o Bayern fez 5 a 0 logo no primeiro tempo, deixou o Porto se animar no segundo, mas fechou a conta em 6 a 1 e festejou a classificação para as semifinais como se fosse dia de Carnaval na Baviera.

Amanhã, quarta-feira, tem mais, às 15H45 (de Brasília): Real x Atlético de Madrid, no Santiago Bernabéu; Monaco x Juventus, no Louis II.

Aconteça o que acontecer em Madri e no Mônaco, Barça e Bayern são candidatíssimos ao título europeu de 2015.

Libertadores: o bestial Marcelo pode virar uma besta

Marcelo: Cruzeiro tem de ganhar - Imagem: Beneclick

Marcelo: Cruzeiro tem de ganhar – Imagem: Beneclick

Bobo ele não é, tanto que caiu fora do Vasco ligeirinho em 2012, bem antes de se tornar irreversível o rebaixamento para a Segundona, e foi dar forma ao Cruzeiro bicampeão brasileiro que hoje joga, pela sobrevivência na Libertadores, contra o Universitario Sucre, o líder do Grupo 3.

Neste 21 de abril, data historicamente importante para todos os brasileiros, mais significativa ainda para os mineiros, o mineiríssimo Marcelo Oliveira corre um sério risco, formulado há décadas pelo Brasileiro Otto Glória em uma de suas passagens pelo futebol português: “Quando o time ganha,  o técnico é bestial. Quando o time perde, o técnico é uma besta.”

Os 90 minutos de bola em movimento no Mineirão, no começo da noite, podem encerrar a admiração da torcida cruzeirense e transformar seu bestial treinador numa besta de passado e DNA atleticanos. Faz parte do torcedor essa absurda intolerância ante os resultados negativos.

Não é só por isso que Marcelo Oliveira se sente obrigado a vencer o jogo das 20h30 e fechar em primeiro lugar a briga no Grupo 3 por duas vagas nas oitavas de final da Libertadores. Uma derrota ou até mesmo um empate põem em risco a classificação, pois o Huracán, um ponto atrás do Cruzeiro, jogará no mesmo horário contra o fraquinho Mineros de Guayana.

Marcelo sabe muito bem os riscos que corre 48 horas depois de perder para o Atlético a vaga nas finais do Campeonato Mineiro:

– Falei com os jogadores que agora é uma questão de honra fazer um jogo forte aqui. Esse absurdo de jogar domingo e na terça vai recair sobre a comissão técnica e o técnico. Então, é questão de honra, de briga, poder fazer uma boa partida.

Mais do que fazer uma boa partida, porém, o Cruzeiro tem de vencer.

Liga dos Campeões: quem corre é o craque

Suárez, Neymar e MessiSuárez, Neymar e Messi: para tenta alegria, é preciso correr muitoImagem: Beneclick

Já vão longe os tempos em que os craques decretavam e as arquibancadas aplaudiam: ‘quem corre é a bola”.

Hoje em dia, quem corre é o craque.

E os craques correm muito, como se vai poder ver daqui a pouco na definição dos dois primeiros semifinalistas da Liga dos Campeões da Europa, tanto no Bayern x Porto quanto no Barça x PSG.

Mais claro favorito do quarteto que hoje estará em campo para começar a decidir as quartas de final da Liga, o Barça é ótimo exemplo do quanto têm de correr os craques no futebol atual.

Considerando apenas os jogos na Liga dos campeões, eis os números de seu trio ofensivo no levantamento, geralmente confiável, da própria Uefa:

  • Messi: nove jogos, 787 minutos em campo, 74.074 metros percorridos – 94,12 metros por minuto.
  • Neymar: 666 minutos em campo, 79.646 metros percorridos – 119,58 metros por minuto.
  • Suárez: 527 minutos em campo, 63.021 metros percorridos – 119,58 metros por minuto.

O PSG tem craques que correm mais ainda. Por exemplo:

  • Cavani: nove jogos, 840 minutos em campo, 103.117 metros percorridos – 122,75  metros por minuto.
  • Matuidi: nove jogos, 786 minutos em campo, 102.035 metros percorridos – 129,81 metros por minuto.

Para ter uma ideia mais precisa do que significam tais distâncias, lembre-se: o comprimento máximo de um campo de futebol, definido pela Regra 1, é de 120 metros.

Atualmente, os craque percorrem por minuto praticamente a extensão do campo e quem se movimenta menos, supercraque no caso, corre 8.5 quilômetros por partida, um absurdo para cracaços da era Pelé que se admiravam com jogadores como Zagallo e Zito que, incansáveis, chegavam a percorrer 3 quilômetros durante os 90 minutos de um jogo difícil.

O futebol mudou e nada mudou tanto quanto a velocidade do jogo. É o que mostram os números da mais importante competição de clubes em todo o mundo da bola.