Arquivo da tag: Camp Nou

Acabou a moleza, Neymar

Neymar tem dureza pela frente: Argentina x Brasil no dia 12, Real x Barça no dia 21

Neymar tem dureza pela frente: Argentina x Brasil no dia 12, Real x Barça no dia 21

Jogaço nesta tarde no Camp Nou: Barcelona 3 x 0 Villareal, com dois gols de Neymar, um para entrar na antologia dos golaços de todos os tempos, e outro de Suárez em cobrança de pênalti sofrido pelo cracaço brasileiro.

Foi o nono jogo do Barça sem Messi desde que ele rompeu um ligamento do joelho esquerdo em 26 de setembro. Foi a sétima vitória, a que se somam um empate e uma derrota.

É preciso esperar que o Real Madrid enfrente o Sevilla daqui a pouco, mas, por enquanto, a liderança do Campeonato Espanhol é do Barcelona. E o artilheiro do campeonato é Neymar, com 11 gols, dois a mais do que o companheiro Suárez, três a mais do que o rival Cristiano Ronaldo.

O craque que assumiu sem vacilo a liderança técnica do Barça desde a contusão de Messi brilhou também no meio de semana, com dois gols e uma assistência nos 3 x 0 sobre o BATE Borisov pela Liga dos Campeões da Europa.

E daí?

Tudo isso pouco importa ao torcedor brasileiro.

O que se quer saber por aqui é se Neymar, com a camisa da Seleção, vai também brilhar na quinta-feira, em Buenos Aires, contra a Argentina – que não terá Messi nem Aguero no jogo pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

E depois, no dia 17, o que ele fará contra o Peru.

Resolvidos os problemas por aqui, Neymar terá mais um problemão pela frente tão logo retorne à Espanha: o Real x Barça da 12ª rodada do Campeonato Espanhol, em Madri, no dia 21.

Até este domingo de glórias mil, foi moleza a vida do nosso Neymar na atual temporada europeia.

Anúncios

Pena que Suárez não seja brasileiro

Neymar: gols e assistência na parceria com Suárez

Neymar: gols e assistência na parceria com Suárez

Dizer que o jogo foi Neymar & Suárez seria um exagero, perdoável, para definir a atuação de um time que teve 70% de posse de bola e correu os 90 minutos para fazer o placar de 3 a 0 que o deixa praticamente garantido nas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa.

Exageremos, então: Barcelona 3 x 0 BATE Borisov foi um show de Neymar & Suárez para a torcida que foi ao Camp Nou torcer pela independência da Catalunha. Não passava pela cabeça de ninguém que o time da Bielorrússia pudesse aprontar em Barcelona a surpresa que não aprontou em Borisov.

No primeiro gol do Barça, aos 30 minutos, Munir tabelou Suárez e foi empurrado na área por Mladenovic. Pênalti. Neymar cobrou e fez.

No segundo, aos 15 do segundo tempo, Neymar fez a assistência para Suárez.

No terceiro, aos 39, a assistência foi de Suárez para Neymar fechar o placar.

A classificação para as oitavas só não está matematicamente assegurada por que a Roma venceu o Bayer Leverkusen por 3 a 2 e foi para o segundo lugar do Grupo E, com cinco pontos, metade do que tem o Barça, um a mais do que o adversário alemão. Neymar & Suárez precisam, no máximo, de um empate nos dois jogos que lhes restam para fechar a conta.

 Pena que Suárez seja uruguaio.

É de um parceiro como ele que Neymar precisa na Seleção.

O Brasil é todo Barça

Neymar: hoje e Barça; semana que vem, Brasil

Neymar: hoje é Barça; semana que vem, Seleção Brasileira

A vitória no Camp Nou praticamente selará a classificação para as oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa e pode até garanti-la matematicamente, dependendo do resultado de Roma x Bayer Leverkusen, mas o Barcelona de Neymar não jogará apenas pelo resultado diante do BATE Borisov.

É o que deixa muito claro o treinador Luis Enrique:

– Como atuais campeões, temos de enviar uma mensagem de que estamos preparados para seguir em frente. O objetivo é a classificação e depois o primeiro lugar do grupo.

Na entrevista coletiva sobre o jogo das 17h45 (horário de Brasília) desta quarta-feira, um jornalista quis saber do treinador do Barça o que ele pede aos jogadores quando não pode contar com Messi em campo. Bate-pronto do meia de outros tempos:

– Peço-lhes sempre o mesmo: o máximo.

Hoje, o máximo do Barcelona é Neymar, como reconhece o zagueiro Thomas :

– É claro que sentimos a falta de Messi, é o melhor jogador do mundo, mas Neymar deu um passo em frente e, nos últimos jogos, tem sido muito importante e decisivo para nós. Neste momento, é essencial.

Luís Enrique deve concordar com o belga Vermaelen, tanto que há poucos dias fez questão de reconhecer:

– Neymar é único em todos os aspectos. Ele nos dá gols, assistências, trabalho defensivo… e vai continuar crescendo ainda mais.

O confronto de hoje com o BATE Borisov será o penúltimo compromisso do craque brasileiro pelo Barcelona antes de se reapresentar à Seleção para os jogos contra a Argentina e o Peru pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018.

O Brasil é todo Barça – ou melhor, é todo Neymar.

Neymar tem de jogar por ele e por Messi

Barça x Leverkusen: dia de Neymar jogar por Messi

Barça x Leverkusen: para Neymar mostrar que é o sucessor de Messi

Com a Receita Federal mordendo seus calcanhares, Neymar não está vivendo dias de alegria neste final de setembro, mas vai ter de esquecer preocupações e dissabores ao entrar às 15h45 (horário do Brasil) no Camp Nou para liderar tecnicamente o Barcelona que, sem Messi, enfrentará o Bayer Leverkusen pela segunda rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa.

Liderar, sim, pois chegou a hora de Neymar provar que é o sucessor natural de Lionel Messi como estrela maior do Barça, embora ainda pareça distante o momento em que se dará a efetiva troca de bastão.

Vai contar muitos pontos na campanha pelo troféu Fifa de melhor jogador de 2015 o desempenho do brasileiro durante a ausência de Messi, principalmente nos jogos da mais importante competição de clubes em todo o mundo da bola.

Depois do 1 a 1 com a Roma na primeira partida, o Barcelona precisa da vitória contra o Bayer – que estreou em casa goleando o BATE Borisov, da Bielorussia, por 4 a 1 – para assumir a liderança do Grupo E da Liga dos Campeões.

É hora de Neymar se multiplicar por dois, jogando por ele e por Messi.

O brasileiro de 23 anos parece talhado para substituir em campo o incomparável argentino de 28 – domina os fundamentos técnicos, enxerga bem o andamento do jogo, embora tenha menor senso coletivo, é menos sóbrio e mais abusado, talvez mais criativo, ainda não tão decisivo. Parece sempre que se diverte mais do que o colega dentro do campo.

Preocupações e dissabores não parecem contaminar o futebol de Neymar. É o que ele tem mais uma vez de comprovar no Camp Nou para se firmar como sucessor de Messi no Barça de Mascherano, Iniesta, Suárez e companhia igualmente ilustre.

Atualização

Neymar não jogou nem por ele. Dispersivo, inacreditavelmente de mal com a bola, quase nada criou. O resultado foi que o Barcelona sofreu muito para, de virada, vencer o Bayer Leverkusen por 2 a 1.

Suárez: bronca de Stegen e gol decisivo

Suárez: depois da bronca de Stegen, gol decisivo

Iniesta também saiu devendo e Suárez – depois de levar uma bronca do goleiro Ter Stegen pela má colocação na área quando Papadopoulos, aproveitando escanteio cobrado por Çalhanoglu, fez 1 a 0 para o Bayer na metade do primeiro tempo – acabou se salvando ao marcar, aos 37 do segundo, o gol da vitória do Barcelona, apenas 90 segundos depois de Sergi Roberto ter empatado a partida.

Em suma, o Barça é forte até joga mal. E, por isso, assumiu a liderança do Grupo E da Liga dos Campeões, com quatro pontos, um a mais do que o Bayer e o BATE Borisov, que em casa venceu a Roma por 3 a 2.

A dimensão humana de um deus do futebol

Messi aaa                                Messi: quatro pênaltis perdidos em 2015, 17 na carreira

Ele fez dois gols, um de pênalti, nos 4 a 1 do Barcelona sobre o Levante, mas chutou por cima do travessão do goleiro Rubén Martínez um segundo pênalti, o que é algo comum em sua vitoriosa carreira, mas destoa no currículo de um supercraque que é quase unanimemente reverenciado como o número 1 da atualidade.

Em 65 cobranças, foi o 17º pênalti desperdiçado por Lionel Messi, 15 pelo Barcelona e dois pela Argentina; 11 defendidos pelo goleiro, três chutados nas traves e três fora do gol; o quarto em 2015, o segundo neste Campeonato Espanhol, que está na quinta rodada.

Os 23% de erros não parecem preocupar o técnico Luís Enrique, que enxerga o craque em dimensão quase divina:

– Messi tem muito pouco de humano. Erra um pênalti, mas daí marca dois gols e dá a assistência para outro.

Foi exatamente o que aconteceu ontem  no Camp Nou.

Hoje tem espetáculo? Tem, sim, senhor, às 5 da tarde

Luis Enrique: 'Quando o Barça joga, tudo pode acontecer'

Luis Enrique: ‘Quando o Barça joga, tudo pode acontecer’

Às 17 horas do Brasil, horário pouco conveniente para quem estará trampando, vai rolar no Camp Nou um jogo que tem tudo para ser um dos mais emocionantes espetáculos do futebol nos últimos tempos: Barcelona x Athletic Bilbao.

O jogo vale o caneco da Supercopa da Espanha, mas vale sobretudo a disposição do Barça de reverter os 4 a 0 da sexta-feira. Disposição não falta, como voltou a prometer ontem o argentino Mascherano:

– Devemos estar convencidos de que podemos. O grau de dificuldade é grande e não é fácil vencê-lo, mas é um objetivo importante poder fazer algo que ninguém fez antes na Supercopa.

O técnico Luis Enrique parece ainda mais convencido de que o seu time reverterá em casa a goleada sofrida no primeiro jogo:

– Não estamos só convencidos, estamos convencidíssimos. É um objetivo à altura de uma equipe desta magnitude.  No ano passado, em 18 partidas fomos capazes de fazer quatro ou mais gols.  Significa que temos possibilidade de fazer de novo. Quando o Barça joga, tudo pode acontecer.

A conferir. A ESPN Brasil vai mostrar o jogão.

Atualização

Não foi um jogão, foi apenas um jogo nervoso, que terminou em 1 a 1.

O Athletic Bilbao fica com o título da Supercopa da Espanha após 31 anos sem ganhar um canequinho sequer.

O Barça  redobra a saudade de Neymar.

Assim se conta a história da Copa do Rei

Messi Barça 305Foi bonita a festa no Camp Nou: Lionel Messi reinou soberanamente mais uma vez

Mais uma obra-prima de Messi, mais um gol de Neymar, mais um título do Barcelona, que acaba de bater o Athletic Bilbao no Camp Nou por 3 a 1 e conquistar o título da Copa do Rei.

Falta agora ao campeão espanhol o título da Liga dos Campões da Europa para fechar a temporada com a tríplice coroa.

Essa é uma conversa para o próximo sábado, 6 de junho, que envolve um adversário muito mais qualificado, que também quer chegar à tríplice coroa no encerramento da temporada europeia em Berlim, depois de conquistar os títulos do Campeonato Italiano e da Copa da Itália.

Em Barcelona, de onde pode ter se despedido o nosso Daniel Alves com direito a um penteado para sempre inesquecível, despediu-se mais uma vez o o inesquecível capitão Xavi, novamente homenageado pela torcida como um dos seus maiores craques em todos os tempos.

Foi bonita a festa que também consagrou o nosso Neymar como um dos artilheiros da Copa dos Reis e caprichoso encrenqueiro com a bola nos pés, cultor de firulas como o misto de carretilha e chapéu que procurava encurtar o caminho para o gol, mas apenas tirou do sério o lateral Bustinza e por pouco não transformou o espetáculo em batalha campal.

Durante muitas décadas, faltou talento ao futebol espanhol. Hoje lhe falta senso de humor. A criatividade alheia é tratada por alguns jogadores como ofensa pessoal. Os muito toscos que nos perdoem, mas a firula é fundamental – desde que tenha como objetivo a definição da jogada, claro.

O Barça ganhou neste sábado o menos importante dos três títulos que cobiça desde o começo da temporada, mas ninguém vai esquecer este jogo por muito tempo – e, acima de tudo, pelo primeiro dos dois gols assinados por Lionel Messi, aquele em que ele driblou meio mundo, no campo e nas arquibancadas, antes mandar a bola com jeito e com força no cantinho do goleiro Herrerín.

Assim se conta a história da Copa do Rei Lionel Messi 1º.  E único.