Arquivo diário: 29 de julho de 2015

É Dunga aqui ou acolá

A Seleção fará dois jogos em campos norte-americanos no começo de setembro: dia 5, contra a Costa Rica; dia 8, contra os EUA.

Também no dia 8, a seleção olímpica jogará contra a França em Le Mans.

Como Dunga é o técnico das duas seleções, mas não tem o dom da onipresença, Rogério Micale comandará a garotada na França.

Tigres e River abrem luta pelo título da Libertadores

Ninguém mais por aqui dá bola para a Libertadores, mas hoje começa a decisão do título que foi sonho passageiro de corintianos, são-paulinos, atleticanos, cruzeirenses e colorados no começo da temporada.

O Tigres recebe o River Plate em Monterrey, onde estraçalhou o Inter na semifinal,  para primeiro dos dois jogos que valem o caneco.

Mexicanos e argentinos já se cruzaram nesta Libertadores, ainda na fase de grupos. Empataram em Buenos Aires por 1 a 1 e em Monterrey por 2 a 2, mas o Tigres fechou a fase em primeiro lugar no Grupo 6, com 14 pontos, o dobro do que conseguiu o River, que chegou às oitavas com a pior campanha de todos os 16 classificados. O Tigres só ficou atrás do Boca Juniors, que fez os 18 pontos que poderia fazer no Grupo 5.

Das oitavas até chegar à final, o River eliminou o Boca, o Cruzeiro e o Guaraní; o Tigres tirou o Universitario Sucre, o Emelec e o Inter.

Depois da fase de grupos, foi mais dura e bem sucedida a campanha do River, que não perdeu nenhum dos seis jogos no mata-mata. O Tigres foi derrotado pelo Emelec em Guayaquil e pelo Internacional em Porto Alegre.

Se conseguir segurar o ímpeto dos mexicanos em Monterrey, o River Plate ficará muito perto de conquistar o caneco que já foi seu em 1986 e em 1996.

Por mais que desagrade à torcida brasileira a ideia de um time argentino se sagrar  campeão pelo segundo ano consecutivo, em seguida aos quatro títulos conquistados por brasileiros, não é melhor do que despachar para  a América do Norte o mais importante troféu do futebol sul-americano?

Zico x Platini, de novo?

Zico e Platini: adversários na Fifa?

Zico e Platini: adversários na Fifa?

Michel Platini confirmou hoje oficialmente que é candidato à presidência da Fifa.

Nosso Zico também pretende se candidatar.

Ainda bem que a decisão não é por pênaltis.

(Os internautas mais jovens talvez não saibam a história toda, mas em 21 de janeiro de 1986 a França tirou o Brasil da Copa do Mundo nas quartas de final. No jogo, deu empate por 1 a 1 e Zico perdeu um pênalti, o que o Brasil sempre faz questão de relembrar. Na decisão por pênaltis, a França venceu por 4 a 3 e Platini desperdiçou a sua cobrança. Zico acertou a dele.)

CBF antecipa Brasileirão para salvar audiência da Globo

Por solicitação da Globo, que para a CBF é uma ordem, teremos dois jogos do Brasileirão às 22 horas desta quarta-feira, antecipados da escala do fim de semana: Atlético x São Paulo, no Mineirão, e Vasco x Corinthians, em Itaquera. Às 22 horas, repita-se. E o pessoal que se vire para voltar para casa lá pela meia noite.

A grade global estava reservada para o primeiro jogo das finais da Libertadores, mas a ausência de um time brasileiro empurra a decisão da mais importante competição de clubes das Américas para a TV por assinatura. Diferentemente da Uefa, a Conmebol não negocia competentemente os direitos de transmissão de suas competições.

Quem compra os direitos da Liga dos Campeões da Europa é obrigado a mostrar a final. Quem compra os direitos da Copa América, da Libertadores não é obrigado a nada. Se obrigações existem, são negociadas por fora do contrato, como estão provando as investigações do FBI sobre cartolas e agentes que operam no futebol das Américas.

Clássicos como Atlético Mineiro x São Paulo e Vasco x Corinthians disputados  numa quarta-feira, terminando quase de madrugada, representam prejuízo econômico e, neste caso concreto, igualmente prejuízo técnico, como disseram ao repórter Rafael Valente, da Folha, o são-paulino Milton Cruz e o atleticano Eduardo Maluf.

O coordenador técnico do São Paulo lembrou que o time  jogou no domingo e, depois do clássico de hoje, só voltará a campo daqui a dez dias:

– Não achei boa a mudança. Sempre é melhor jogar uma vez por semana, com tempo de recuperação e preparação. Às vezes a tabela não permite, mas neste caso era possível.

O diretor do Alético Mineiro lamenta a maratona que terá pela frente após o descanso forçado:

– Isso sim é um prejuízo. Vamos ter dez dias sem partidas, mas depois virá uma sequência de jogos nas quartas e domingos, até o final de agosto. Vamos dar quatro dias de folgas aos jogadores após o jogo no Mineirão por causa dessa maratona.