Arquivo diário: 19 de julho de 2015

O problema era o técnico ou é o time?

Depois que Marcelo Oliveira foi demitido na quarta rodada, o Cruzeiro fez dez jogos e conseguiu 16 pontos – 53,3% de aproveitamento.

Depois que Marcelo Oliveira assumiu o comando técnico na oitava rodada, o Palmeiras fez sete jogos e conseguiu 16 pontos – 76,2% de aproveitamento.

O Cruzeiro está em 12º lugar no Brasileirão, com 17 pontos, a quatro do Z-4.

O Palmeiras é o quinto colocado, com 25 pontos, a dois do G-4.

Substituto do técnico que montou o Cruzeiro bicampeão brasileiro, desmontado no começo da temporada pelos dirigentes, Vanderlei Luxemburgo está tentando remonta-lo, mas a tarefa não é fácil, como ele fez questão de relembrar após o 1 a 1 com o Avaí no Mineirão :

– Estamos tentando encontrar o melhor caminho dentro do Campeonato Brasileiro. Vamos sofrer em um campeonato difícil.

É o que dizia Marcelo.

O nome dele é Jhon Cley

Jhon Cley: destaque do Vasco nos  2 x 1 sobre Flu, com assistência e gol

Jhon Cley: destaque do Vasco nos 2 x 1 sobre Flu, com assistência e gol

O brasiliense Jhon Cley Jesus da Silva acaba de demonstrar empiricamente no Maracanã que o modelo euriquiano não é mera teoria matemática. Como especulávamos mais cedo em É uma questão matemática: vai dar Vasco, quatro notas abaixo, a certeza de 90% dos vascaínos deste blog de que daria Flu no clássico desta tarde significava que o Vasco ganharia o jogo.

 A presença de Ronaldinho Gaúcho com a camisa do Flu no Maracanã era a primeira evidência de que o modelo euriquiano se confirmava na prática: a 90% de certeza se contrapõem 100% de realidade. A verdade está na inversão, demonstrou o garoto de 21 anos ao fazer a assistência para Andrezinho abrir o placar no Maracanã e marcar, ele próprio, o gol que sacramentou a vitória do Vasco por 2 a 1.

Assim, o Flu, que chegou à 14ª rodada como vice-líder, cai para o terceiro lugar e o Vasco, que era vice-laterna, fica a um ponto de escapar da zona de rebaixamento.

A 14ª rodada não foi nada camarada para o pelotão de frente do Campeonato Brasileiro.

O Atlético Mineiro perdeu ontem para o Corinthians o jogo e a folga de três pontos na liderança. O Corinthians foi o único do quarteto da frente que se deu bem e agora é vice-líder, empatado em pontos com o líder. O Grêmio, derrotado ontem pelo Flamengo, cai para o quinto lugar, cedendo a última vaga no G-4 ao Sport, que venceu o São Paulo por 2 a 0.

O sexto é o Palmeiras, que derrotou o Santos por 1 a 0, e ultrapassou o São Paulo, agora sétimo colocado no Brasileirão, com 24 pontos, cinco a menos do que o líder.

Eurico Miranda vai ficar achando que foi tudo obra dele. No máximo, no máximo, 90%.

Ronaldinho está por fora do que se passa em campo

É claro que tecnicamente ele é superior a quase tudo que se vê nos campos de futebol, tanto de hoje como de ontem, mas é um absurdo se ouvir de Ronaldinho Gaúcho, como ouviram os que acompanharam há pouco a entrevista coletiva no Maracanã, que ele não tem ideia do que aconteceu na Copa América:

– Não gosto de ver futebol.

Falou e foi ver, das tribunas, Fluminense x Vasco.

Curiosamente, pouco antes, ele tinha elogiado os jogadores com quem vai dialogar em campo nos próximos tempos.

A qualidade do espetáculo conta mais do que o horário

Atlético Paranaense 1 x 0 Chapecoense foi visto por 17.774 torcedores, agora de manhã, na Arena da Baixada.

Não se sabe quantos pagaram ingresso, mas fica claro que jogar na manhã de domingo não opera automaticamente milagres na bilheteria.

É preciso que o jogo seja minimamente atrativo.

No sábado à noite, o Maracanã recebeu 51.055 torcedores (44.318 pagantes) para ver Flamengo 1 x 0 Grêmio e o Itaquerão recebeu 36.577 (36.280 pagantes) para ver Corinthians 1 x 0 Atlético Mineiro.

A média de pagantes nas primeiras 13 rodadas do Brasileirão de 2015 é de 15.462 por jogo.

Não falta torcida por um empate entre Sport e São Paulo

Jogo na Arena Pernambuco vale vaga no G-4

Jogo na Arena Pernambuco vale vaga no G-4

Se o clássico do Maracanã pode dar um novo líder ao Brasileirão, em caso de vitória do Fluminense, o jogo da Arena Pernambuco entre Sport e São Paulo deve ser o mais emocionante deste domingo que começou com Atlético Paranaense 1 x 0 Chapecoense na matinê da Arena da Baixada.

São Paulo, quinto colocado, e Sport, sexto, ambos com 24 pontos, entrarão em campo com a ambição de voltar ao G-4. A quarta vaga na elite está à disposição do vitorioso no jogo das 16 horas, pois o Grêmio, após a derrota de ontem para o Flamengo, tem somente dois pontos a mais do que a dupla.

Se vencer no Recife, o São Paulo pode até chegar à terceira posição. Precisará, então, de uma boa ajuda da sorte – vitória do Vasco sobre o Flu no Rio.

Para os são-paulinos, não será fácil transformar o possível em realidade.

O Sport perdeu apenas uma vez neste Brasileirão – para o Atlético Mineiro, em Belo Horizonte – e venceu seis dos sete jogos que disputou em casa. O único empate aconteceu na semana passada, com o Palmeiras.

Como visitante, o São Paulo perdeu três jogos, venceu dois (um deles, 4 a 0 no Vasco, foi disputado na neutra Brasília) e empatou um. O aproveitamento é de quase 39%.

É verdade que o Sport atravessa seu pior momento no campeonato, tendo vencido pela última vez na décima rodada. De lá para cá, empatou dois jogos e perdeu um. No período, o São Paulo empatou um e venceu dois.

Palpite bastante razoável para o Sport x São Paulo de hoje: empate.

É o tudo o que a torcida do Palmeiras quer. Assim, vencendo o Santos no , o Palmeiras ultrapassaria os dois e colaria no G-4, logo atrás do Grêmio, que também torce pelo empate no Recife.

É uma questão matemática: vai dar Vasco

Por mais vascaína que seja a redação do Benebol.com, 90% de seus trabalhadores acham que vai dar Fluminense no clássico deste domingo.

Ou seja: pelo modelo euriquiano de matemática, deve dar Vasco.

Não foi ele que deu  90% de certeza de que Ronaldinho Gaúcho jogaria no Vasco? Pois o Flu apresentará Ronaldinho Gaúcho à sua torcida antes que a bola role no Maracanã.