Arquivo diário: 3 de julho de 2015

San Lorenzo pega carona no carro do papa

Papa: torcedor e sócio - Reprodução

Papa: torcedor  – Reprodução

O papamóvel que Francisco usará em Guayaquil, durante a visita de três dias que fará ao Equador a partir deste domingo, 5 de julho, tem um escudo do San Lorenzo no banco.

Torcedor antigo do atual campeão da Libertadores, e sócio com as mensalidades em dia, o papa Francisco frequentemente exibe camisas e flâmulas do time em suas aparições públicas. Com evidente orgulho, é claro.

Dois brasileiros na reserva de Buffon

Buffon e seus reservas brasileiros na Juve: Rubinho e Neto

Buffon e seus reservas brasileiros na Juve: Rubinho e Neto

A Juventus, tricampeã italiana e vice-campeã europeia, já tem Rubinho, irmão do Zé Elias, e acaba de contratar mais um goleiro brasileiro: Neto, que era da Fiorentina e foi chamado por Dunga para substituir Diego Alves como um dos reservas de Jefferson na Copa América.

Rubinho era o reserva de Scolari, primeiro na lista de sucessão de Gianluigi Buffon até deixar a Juve no fim da temporada. O brasileiro não sabe o que é jogar uma partida oficial há séculos e continuará longe do gol por mais algumas.

O mineiro Norberto Murara Neto, que vai fazer 26 anos daqui a duas semanas, também ficará sem jogar por algum tempo, pois será o novo reserva de Buffon.

Incontestável, Buffon completou 37 anos em 28 de janeiro e, há uma década e meia, veste a camisa número 1 da Juve.

Ramón Díaz, sobre a final: “O Chile não tem chance”

Ramón Díaz aposta na Argentina: 'um dos melhores times dos últimos tempos'

Ramón Díaz aposta na Argentina

Se o jogo pelo terceiro lugar na Copa do Mundo já é um espetáculo deprimente, imagine-se o que será este Peru x Paraguai de hoje na Copa América até agora salva pelo bom futebol dos chilenos e dos argentinos que amanhã brigarão pelo título.

O jogo das 20h30 em Concepción é tão desinteressante que, na entrevista coletiva de ontem, o argentino Ramón Díaz, treinador da seleção paraguaia, preferiu falar de seus compatriotas. E, depois de perder para eles por 6 a 1 nas semifinais, palpitou sobre a final:

– Se a Argentina jogar como jogou contra nós, o Chile não tem chance. Pela qualidade dos jogadores, pelo tempo de trabalho, acredito que o resultado será amplo para a Argentina. Respeitando o campeonato que fez o Chile, eles vão enfrentar um dos melhores times que vi nos últimos tempos.

A decepção de três crédulos são-paulinos

O primeiro a declarar que não imaginava que fosse tão ruim a situação atual do São Paulo foi o treinador Juan Carlos Osório, um mês depois de desembarcar no Morumbi:

– Uma coisa que acho importante e vou falar em castelhano para ficar claro: não digo que mentiram para mim, mas tampouco me falaram da situação econômica tão delicada do clube. Não pensava que o problema econômico fosse tão grande e que tínhamos de perder três jogadores ao mesmo tempo.

O segundo foi o jogador Michel Bastos, um dos destaques do time em meio às frustrações desta temporada:

– Quando vim, me falaram que o São Paulo nunca foi de atrasar, sempre arcou com os compromissos. Se eu soubesse o que ia acontecer, tinha colocado tudo em carteira.

O terceiro foi o capitão Rogério Ceni, que há menos de um mês aceitou estender o atual contrato até o fim do ano e agora está assustado com a perda de Rodrigo Caio, Dória, Denílson e Souza:

– A gente tinha uma expectativa há duas semanas, três semanas, e muda totalmente. A gente entende a necessidade financeira do clube, mas entendo também minha necessidade de ser campeão. Perder seis, sete jogadores assim… aí enfraquece.

O blog faz aos três a pergunta que dirigiu apenas ao treinador colombiano enquanto ele negociava a vinda para o São Paulo, conforme você pode reler na nota O que faz Carlos Miguel Aidar em Medelin?, publicada em 20 de maio: vocês sabiam com quem estavam conversando?

Atualização

Rodrigo Caio foi e voltou, não por vontade dele nem do presidente Carlos Miguel Aidar. Nem Valencia nem Atlético de Madrid se acertaram com o São Paulo. É um reforço para o sonho de Rogério e para o trabalho de Osório.