Arquivo diário: 3 de setembro de 2015

Grêmio faz a festa na noite de Floripa

Torcida do Grêmio comemora 2 a 0 sobre Figueirense

No Orlando Scarpelli, gremistas comemoram 2 a 0 sobre o Figueirense

Não foi uma noite brilhante do Grêmio em Floripa. Alguns dos cinco ausentes fizeram falta, por mais que Roger Machado acertadamente tenha enchido a bola dos substitutos.

Mesmo sem brilhar, no entanto, o Grêmio venceu por 2 a 0 o Figueirense e está praticamente colado no vice-líder Atlético Mineiro, somente um pontinho atrás, o que significa uma distância de oito pontos para o líder e cada vez mais favorito Corinthians.

Logo aos seis minutos, Bobô marcou seu primeiro gol com a camisa gremista, determinando o andamento do jogo, pois o Figueirense teve procurar o ataque e  adiantar a marcação.

É uma opção arriscada contra um time que marca bem em todo o campo e contra-ataca com incrível precisão na troca de passes, mas até que o Figueirense tomou conta do jogo e chegou a dar a impressão de que poderia chegar ao empate.

Não chegou e, em um de seus mortais e bem concatenados contra-ataques, o Grêmio matou o jogo com um gol Pedro Rocha aos 36 minutos do segundo tempo.

Metade do Orlando Scarpelli, vestida de azul, fez a festa na noite de Floripa. O Brasileirão continua animado.

O artilheiro que não para de fazer gols e perder pênaltis

Ricardo Oliveira: 12 gols no Brasileirão, três (ou quatro?) pênaltis perdidos

Ricardo Oliveira: 12 gols no Brasileirão, três (ou quatro?) pênaltis perdidos

Com dois gols de Ricardo Oliveira e um golaço de Geuvânio, o Santos venceu a Chapecoense na Vila Belmiro por 3 a 1 e entrou em definitivo na lista dos candidatos a uma vaga na Libertadores de 2016.

O Santos tem agora 33 pontos, apenas três a menos do que o Atlético Paranaense, quarto colocado.

Ricardo Oliveira, artilheiro do Brasileirão com 14 gols, cinco a mais do que o corintiano Jadson e o atleticano Lucas Pratto, seus perseguidores imediatos, é o emblema do time incansável e ofensivo rearmado por Dorival Junior a partir da 13ª rodada.

Curiosamente, no entanto, o artilheiro do campeonato não se cansa de perder pênaltis. Hoje, na Vila, chutou mais um, no canto direito do goleiro Danilo, que defendeu a cobrança.

Ricardo Oliveira, sempre chutando no canto direito, já tinha perdido um pênalti no 0 a 0 com o Atlético Paranaense pela 19ª rodada e outro no 1 a 0 sobre o Vasco pela 18ª rodada.

Como se não bastasse, na quinta rodada, também permitiu a defesa de Rogério Ceni na cobrança de um pênalti, mas aproveitou o reporte para fazer o gol que não impediu a derrota santista por 3 a 2.

Nada disso diminui o prestígio do artilheiro com a torcida santista, que mais uma vez o aplaudiu entusiasticamente quando, aos 31 do segundo tempo, ele foi substituído por Nilson.

Dorival Júnior sabia o que estava fazendo. A substituição era mero pretexto para que os 8.047 torcedores reverenciassem mais uma vez o ídolo que não para de fazer gols e perder pênaltis.

Arbitragem: CBF diz que confia em todos, mas pune alguns

No começo da tarde desta quinta-feira, ainda atordoada com a avalanche de críticas ao desempenho dos árbitros em alguns jogos da véspera, a Comissão de Arbitragem da CBF divulgou uma nota oficial em defesa dos criticados. Alguns pontos da nota:

♦ O percentual de acerto dos árbitros chega a 90%.

♦ Sabemos que os erros repercutem mais porque mexem com a emoção de jogadores, dirigentes e torcedores.

♦ A Comissão de Arbitragem confia na honestidade de todos eles e não duvida da lisura de suas atuações.

Mais para o fim da tarde, a Comissão de Arbitragem confessou que alguns “desempenhos analisados por Delegados Especiais e Assessores de Vídeo” foram considerados “abaixo do padrão estabelecido” e anunciou que resolveu afastar “por tempo indeterminado”:

♦ o árbitro Emerson Sobral e o bandeirinha Bruno César, de Ponte Preta 1 x 2 Cruzeiro;

♦ os bandeirinhas Elan Vieira e Marlon Rafael, de Atlético Paranaense 1 x 0 Atlético Mineiro;

♦ o bandeirinha  Fábio Pereira, de Corinthians 2 x 0 Fluminense;

♦ o bandeirinha Marcelo Barison, de Goiás 1 x 0 Palmeiras.

E para Marcelo de Lima Henrique nada?

Uma noite decisiva para Santos e Grêmio

Dorival e Roger: jogos importantes

Dorival e Roger: jogos importantes para Santos e Grêmio

Dois jogos de grande importância fecham a 22ª rodada do Brasileirão na noite desta quinta-feira: Santos x Chapecoense, às 19h30, na Vila Belmiro, e Figueirense x Grêmio, às 21 horas, no Orlando Scarpelli.

Invicto desde a 15ª rodada, com cinco vitórias e dois empates de lá para cá, o Santos pode chegar a 33 pontos, subindo do 11º para o oitavo lugar. A vitória na Vila deixaria o time a três pontos do G-4.

Com média de 9.694 pagantes por jogo na Vila, o Santos terá contra si a torcida de milhões de rubro-negros por todo o Brasil. Além de vencer o Avaí por 3 a 0 em Natal (!), o Flamengo foi muito beneficiado pelos resultados da quarta-feira e saiu do 12º lugar para dormir em oitavo, posição de que pode ser apeado hoje se o Santos vencer a Chapecoense.

Na tentativa de se aproximar do G-4, Dorival Júnior contará novamente com Geuvânio, mas não terá Lucas Lima, na Seleção, nem Gabriel, contundido.

Em Florianópolis, onde o Figueirense tem um público médio de 7.202 torcedores por jogo, o Grêmio precisa vencer, depois de dois empates seguidos, para manter em oito pontos a distância para o líder Corinthians e ficar a apenas um do vice-líder Atlético Mineiro.

Roger Machado não terá Marcelo Grohe, Erazo, Maicon, Luan e Douglas, mas faz questão de mostrar confiança nos substitutos:

– Não tenho desfalques, tenho ausências.

Eurico ganha passagem para a Sibéria

Não é por falta de dinheiro que Eurico Miranda deixará de cumprir a promessa de se mandar para a Sibéria quando o Vasco cair para a Segundona:

– Me ofereço pra pagar do meu bolso a passagem do Eurico pra Sibéria – informa em sua conta  no Twitter o vascaíno Bruno Mazzeo.

Bruno não está fazendo graça. Fala sério, tanto que avisa:

– Mas só de ida.

Nas águas do otimismo

Com a autoridade de quem tem um ouro e dois bronzes olímpicos, além de seis ouros em Mundiais, Cesar Cielo faz uma aposta otimista na natação brasileira para a Rio-16:

– Podemos conquistar cinco ou seis medalhas.

Foi o que disse o nadador, há pouco, ao anunciar a Unicred como seu novo patrocinador.

Ainda em recuperação da lesão no ombro que o tirou das provas finais do Mundial de Kazan, Cielo já está treinando em São Paulo, em ritmo não muito forte, e promete voltar à sua melhor forma até dezembro.