Arquivo diário: 11 de setembro de 2015

Osorio chama o time à responsabilidade

Juan Carlos Osorio: desafio aos atletas

Juan Carlos Osorio: desafio aos atletas

Juan Carlos Osorio parece decidido a repassar ao time as cobranças que lhe são feitas desde que assumiu o comando técnico do São Paulo.

Depois de atribuir o futebol ruim na derrota por 3 a 0 para o Santos à “ausência de jogadores de qualidade”, o treinador disse hoje, no CT do clube, o que espera desta temporada quando puder contar com Carlinhos, Breno, Lucão, Rodrigo Caio e Luís Fabiano:

– Podemos competir na Copa do Brasil e pela quarta vaga no Campeonato Brasileiro.

Em seguida, tratou de ressalvar:

– Honestamente, acho que depende de como os atletas vão assumir esse desafio.

E passou a bola:

– Sempre assumo a responsabilidade da escalação, mas creio que há o momento em que os jogadores têm de assumir a responsabilidade do campo.

Anúncios

É um novo Brasileirão: Fla na liderança, Flu na lanterna

Se você considerar apenas o returno do Campeonato Brasileiro, as coisas mudam muito no alto e no fundão da tabela de classificação.

O G-4 fica assim:

– Flamengo – 15 pontos

– Santos – 13 pontos

– Atlético Mineiro – 12 pontos

– Corinthians – 11 pontos

O Grêmio, com apenas 9 pontos, é o quinto colocado.

O Z-4 fica assim:

17º – Vasco – 3 pontos, saldo negativo de dez gols

18º – Sport – 2 pontos, saldo negativo de três gols

19º – Ponte Preta – 2 pontos, saldo negativo de cinco gols

20º – Fluminense – 1 ponto

Também com três pontos, o Avaí é o 16º colocado, à frente do Vasco por ter menor déficit de gols: 7 contra 10.

Corinthians estreia na matinê com lotação esgotada

Jádson: “Começamos hoje a preparação” - Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Jádson: em preparação” – Foto: Daniel Augusto Jr/Corinthians

Não há mais ingressos à venda para Corinthians x Joinville na matinê do domingo.

A última vez que o Corinthians fez um jogo de manhã foi há mais de 12 anos, em 16 de fevereiro de 2003, pelo Campeonato Paulista, tendo derrotado o América em São José do Rio Preto por 3 a 2.

Para o jogo do próximo domingo, no Itaquerão, a comissão técnica tomou alguns cuidados, como lembrou há pouco, em entrevista coletiva, o meia Jádson, artilheiro corintiano no Brasileirão, com nove gols:

– Começamos hoje a preparação. Acordamos mais cedo para tomar café da manhã. Hoje vai ter concentração, para amanhã novamente acordar cedo, repousar bastante. É um jogo diferente, o primeiro nesse horário. A gente sabe da dificuldade, vamos ter de nos acostumar.

Não é dessa Liga que o Brasil precisa

Clubes dos três estados do Sul, de Minas e do Rio, que já disputam na mesma temporada o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil e podem disputar também a Libertadores, estão criando a Liga Sul-Minas para promover um campeonato inter-regional no início do ano.

É uma tentativa de esvaziar os campeonatos estaduais e suas respectivas federações, o que parece boa ideia.

Será mesmo boa ideia atulhar mais ainda o calendário do futebol brasileiro com jogos e joguinhos que não deixam um mínimo de tempo para os treinamentos e a recuperação física dos times?

O nosso futebol está precisando de uma Liga, sim, mas de uma liga profissional que transforme o Brasileirão numa competição de alto nível e enxugue o calendário para que tenhamos menos jogos e mais treinos.

É urgente melhorar a qualidade técnica dos times e a rentabilidade das competições.

PS: Ninguém sabe ainda como será, mas imaginemos, por exemplo, que Grêmio e Flamengo façam em 2016 dois jogos pela Liga Sul-Minas, mais dois pela Copa do Brasil, mais dois pelo Brasileirão, mais dois ou quatro pela Libertadores. Podem ser dez jogos no ano, um por mês. Quem aguenta?

E, pelo menos em tese, embora certamente ainda não em 2016, poderemos ver tal repetição ao longo do ano de um confronto como Atlético Paranaense x Avaí. Vai estourar as bilheterias.

Desta vez, o Fla não repudiou a arbitragem

Quase a três: pertinho do juiz, Samir agarra Paulo André

Quase a três: pertinho do juiz, Samir agarra Paulo André

Ainda não foi comentado em nota oficial pelos dirigentes do Flamengo o pênalti escandaloso cometido por Samir, ao agarrar e prender o cruzeirense Paulo André aos 20 minutos do primeiro tempo, e ignorado pelo árbitro Marcelo Aparecido de Souza, que estava a três ou quatro metros do lance.

O placar do Maracanã ainda registrava: Flamengo 0 x 0 Cruzeiro.

No domingo, dia 6, o primeiro gol rubro-negro nos 3 a 1 sobre o Fluminense fora marcado por Sheik depois de receber um passe de mão do companheiro Wallace. O árbitro Ricardo Marques não viu. Não viu o passe, claro, pois o gol ele validou.

Depois dos 2 a 0 sobre o Cruzeiro nesta quinta-feira, continua valendo a nota distribuída na segunda, dia 7, em que o Flamengo, embora beneficiado na véspera, manifestou “total descontentamento e repúdio a respeito da arbitragem nos jogos do Campeonato Brasileiro de 2015”?

Os cruzeirenses concordam.