Arquivo diário: 29 de setembro de 2015

STJD pega árbitro de Corinthians 2 x 0 Santos na mentira

O que fará a CBF agora que o próprio STJD admite claramente que o árbitro Flávio Rodrigues Guerra mentiu ao dizer na súmula do jogo Corinthians 2 x 0 Santos que expulsou o zagueiro David Braz por ter sido ofendido e não porque o confundiu com o lateral que cometeu o pênalti em Vagner Love?

Leia o que disse o presidente do STJD, Caio Cesar Rocha, ao recusar o pedido apresentado pelo Santos de anulação do cartão vermelho dado erradamente ao seu zagueiro:

O erro de arbitragem é fato inerente ao futebol, admitido pelas regras do próprio esporte. O que é absolutamente inadmissível é o árbitro faltar com a verdade a fim de justificar ou mesmo esconder um equívoco seu.

Embora reconheça que o árbitro mentiu na súmula, o STJD alega que, pela lei, não tem poder para anular a suspensão. E passa a bola para a CBF:

Deve haver forma de correção de equívocos óbvios de decisões disciplinares da arbitragem, ficando a critério da entidade, no caso a CBF, os métodos e a forma como se daria essa retificação.

Na semana seguinte ao clássico em Itaquera, Flávio Rodrigues Guerra foi escalado para apitar Náutico 3 X 0 ABC pela Série B e David Braz não pôde atuar pelo Santos nos 3 a 1 sobre o Internacional na 28ª rodada do Brasileirão.

Ou seja: a CBF premia o errado e pune o certo.

É hora de chamar a polícia – de preferência, o FBI.

Anúncios

Neymar tem de jogar por ele e por Messi

Barça x Leverkusen: dia de Neymar jogar por Messi

Barça x Leverkusen: para Neymar mostrar que é o sucessor de Messi

Com a Receita Federal mordendo seus calcanhares, Neymar não está vivendo dias de alegria neste final de setembro, mas vai ter de esquecer preocupações e dissabores ao entrar às 15h45 (horário do Brasil) no Camp Nou para liderar tecnicamente o Barcelona que, sem Messi, enfrentará o Bayer Leverkusen pela segunda rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa.

Liderar, sim, pois chegou a hora de Neymar provar que é o sucessor natural de Lionel Messi como estrela maior do Barça, embora ainda pareça distante o momento em que se dará a efetiva troca de bastão.

Vai contar muitos pontos na campanha pelo troféu Fifa de melhor jogador de 2015 o desempenho do brasileiro durante a ausência de Messi, principalmente nos jogos da mais importante competição de clubes em todo o mundo da bola.

Depois do 1 a 1 com a Roma na primeira partida, o Barcelona precisa da vitória contra o Bayer – que estreou em casa goleando o BATE Borisov, da Bielorussia, por 4 a 1 – para assumir a liderança do Grupo E da Liga dos Campeões.

É hora de Neymar se multiplicar por dois, jogando por ele e por Messi.

O brasileiro de 23 anos parece talhado para substituir em campo o incomparável argentino de 28 – domina os fundamentos técnicos, enxerga bem o andamento do jogo, embora tenha menor senso coletivo, é menos sóbrio e mais abusado, talvez mais criativo, ainda não tão decisivo. Parece sempre que se diverte mais do que o colega dentro do campo.

Preocupações e dissabores não parecem contaminar o futebol de Neymar. É o que ele tem mais uma vez de comprovar no Camp Nou para se firmar como sucessor de Messi no Barça de Mascherano, Iniesta, Suárez e companhia igualmente ilustre.

Atualização

Neymar não jogou nem por ele. Dispersivo, inacreditavelmente de mal com a bola, quase nada criou. O resultado foi que o Barcelona sofreu muito para, de virada, vencer o Bayer Leverkusen por 2 a 1.

Suárez: bronca de Stegen e gol decisivo

Suárez: depois da bronca de Stegen, gol decisivo

Iniesta também saiu devendo e Suárez – depois de levar uma bronca do goleiro Ter Stegen pela má colocação na área quando Papadopoulos, aproveitando escanteio cobrado por Çalhanoglu, fez 1 a 0 para o Bayer na metade do primeiro tempo – acabou se salvando ao marcar, aos 37 do segundo, o gol da vitória do Barcelona, apenas 90 segundos depois de Sergi Roberto ter empatado a partida.

Em suma, o Barça é forte até joga mal. E, por isso, assumiu a liderança do Grupo E da Liga dos Campeões, com quatro pontos, um a mais do que o Bayer e o BATE Borisov, que em casa venceu a Roma por 3 a 2.

O bilionário futebol chinês vai atacar o Brasil

A Superliga da China, que reúne 16 equipes em seu campeonato, vai faturar € 1,120 bilhão de 2016 a 2020 com os direitos de TV, negociados com a agência Ti’ao Power.

Serão € 140 milhões anuais em 2016 e 2017 e € 280 milhões nas três edições seguintes da competição.

Nesta temporada, o faturamento do Campeonato Chinês com as transmissões por tevê foi de apenas € 11,22 milhões.

Isso significa que o Brasil vai perder ainda mais jogadores para o futebol chinês nos próximos anos. Infelizmente.

Hoje, atuam na Primeira Divisão 28 jogadores brasileiros – entre eles, Robinho, Diego Tardelli, Paulinho e Ricardo Goulart.

Também trabalham na China os técnicos Luiz Felipe Scolari, comandante do Guangzhou Evergrande, atual líder do campeonato, e Cuca, do Shandong Luneng, quarto colocado.

E mais: para lá está indo Vanderlei Luxemburgo, que ganhará milhões se em 2016 tirar da Segunda Divisão o Tianjin Songjiang para dividir os bilhões da Primeira em 2017.

Acabou a enganação: Ronaldinho Gaúcho deixa o Flu

Ronaldinho Gaúcho: nove jogos, nenhum gol desde 1º de agosto

Ronaldinho: nove jogos, nenhum gol desde 1º de agosto

Acabaram as dúvidas do técnico Eduardo Baptista entre a velocidade de “velocidade” de Marcos Júnior e “a condução de bola” e o “drible” de Ronaldinho Gaúcho.

Nove jogos depois de ser apresentado como nova estrela tricolor, o velho craque de outras jornadas pediu o chapéu e  já não mais trabalha nas Laranjeiras.

Pelo menos, em campo. Fora, é outra coisa, segundo informa o clube:

Fluminense e Ronaldinho seguem com os laços mantidos e planejam trabalhar em outros projetos no futuro.

Contrato rescindido, o jogador concorda:

Estamos hoje anunciando o fim do vínculo empregatício, mas não o fim de uma relação importante, que foi construída com verdade, com respeito e honestidade.

A torcida, representada pelo comentário do internauta Leandro Franklin na conta  de Ronaldinho no Facebook, agradece:

Muito obrigado por nada! 

Resumo da passagem de Ronaldinho pelo Fluminense: zero gol, zero assistência, três vitórias e quatro derrotas no Brasileirão, uma vitória e um empate na Copa do Brasil. O Flu era o sexto colocado no Brasileirão quando ele estreou no 1 a 0 sobre o Grêmio, chegou a dormir no G-4 naquele sábado, 1º de agosto, e hoje está em 12º lugar.