Arquivo diário: 6 de setembro de 2015

O anfitrião implacável e o gentil visitante

O Grêmio é o único time do Brasileirão que ainda não foi derrotado em casa. Venceu nove jogos e empatou três.

O Sport é o único que ainda não venceu fora de casa. Empatou oito jogos e perdeu três.

Anúncios

O futebol brasileiro está mudando e a oposição não vê

É o segundo jogo consecutivo em que o Fluminense é prejudicado pela arbitragem.

Na derrota para o Corinthians da quarta-feira, o tricolor Cícero fez um gol legal que Sandro Meira Ricci anulou. Na derrota de hoje para o Flamengo, o rubro-negro Wallace deu um passe mão para Sheik abrir o placar com as bênçãos do árbitro Ricardo Marques.

Alguma coisa está mudando no futebol brasileiro.

“Essas coisas a oposição não vê”, né, Tutty Vasques?

O Corinthians não lamenta o empate no Parque

Tite: de olho no Grêmio

Tite, invicto há 15 jogos: de olho no Grêmio

Três vezes o Palmeiras esteve na frente, três vezes o Corinthians foi buscar o empate.

Foi um jogaço no primeiro tempo, que o Palmeiras venceu por 3 a 2 graças aos 45 impecáveis do lateral Lucas. Foi um bom jogo, mais pegado e menos emocionante, no segundo tempo em que Vagner Love, sem querer, garantiu o empate.

Muitas gente jogou bem nos dois times, principalmente os palmeirenses Fernando Prass, Lucas e Dudu e os corintianos Cassio e Renato Augusto. Imagine-se de quanto seria o placar se os goleiros não tivessem se destacado!

Muito justo, então, que o 3 a 3 no Allianz Parque tenha sido mais festejado por corintianos do que por palmeirenses, até porque é o time de Tite que lidera o Brasileirão, enquanto o de Marcelo Oliveira, oscilante no jogo tanto quanto no campeonato, tem de batalhar por uma vaga na Libertadores de 2016.

E não será uma batalha fácil, pois o Palmeiras está fechando a 23ª rodada em sétimo lugar, com 35 os mesmos 35 pontos do Flamengo, que chegou à quarta vitória seguida sob o comando de Oswaldo de Oliveira ao bater o Fluminense no Maracanã por 3 a 1. O Palmeiras venceu 10 jogos, o Fla venceu 11 e, por isso, é o sexto colocado, mas pode cair uma posição se daqui a pouco o Santos bater o Sport no Recife.

O Fluminense, derrotado pela quarta vez consecutiva no returno, vai se afastando do G-4, já instalado em nono lugar, com 33 pontos, qualquer que seja o resultado de Sport x Santos.

Lá no topo, a briga pelo caneco ficou ligeiramente menos favorável ao Corinthians, pois o vice-líder Atlético Mineiro chegou a cinco pontos de distância e o Grêmio, terceiro colocado e adversário da próxima rodada, a seis pontos. Em casa, o time de Roger Machado chegou a levar um susto, mas, de virada bateu o Goiás por 2 a 1.

Invicto há 15 jogos, tendo vencido os últimos nove no Itaquerão, o Corinthians receberá na noite da quarta-feira, podendo até se satisfazer com mais um empate,  este Grêmio que não perde há sete rodadas. Não é o que está nos planos de Tite.

Todos torcem pelo Palmeiras de Gabriel Jesus

O Palmeiras vai receber o Corinthians às 16 horas com o óbvio apoio de seus torcedores, que lotarão o Allianz Parque, e de todas as outras 18 torcidas envolvidas com o Brasileirão.

O país do futebol torcerá contra o Corinthians e não será por este papo furado de que o time deve à ajuda da arbitragem a liderança folgada do Campeonato Brasileiro.

Ninguém quer que o campeonato se encerre antes da hora e, vencendo hoje, o Corinthians ficará sete pontos à frente do vice-líder Atlético Mineiro e cada vez mais perto do caneco.

Os números recentes, no entanto, são bem mais favoráveis ao Corinthians, que venceu seus últimos cinco jogos e está invicto há 14 rodadas. O Palmeiras perdeu três de seus cinco jogos mais recentes, retrato fiel de uma campanha muito inconstante, ponteada por altos e baixos.

Nem por isso os corintianos devem se animar muito.

Fora de casa, porém, o Corinthians não mete muito medo: em 11 jogos, venceu o Cruzeiro, logo na rodada de abertura do Brasileirão, o Flamengo e, com direito a requisitar o título catarinense, o Joinville, o Avaí e a Chapecoense.

E o Palmeiras é difícil de ser batido no Allianz Parque. Perdeu para Atlético Paranaense (2 de agosto) e Goiás (24 de maio), e empatou com Internacional (4 de junho) e Atlético Mineiro (9 de maio). Venceu os outros sete jogos. Portanto, sob o comando de Marcelo Oliveira, só perdeu ponto em casa para o Atlético Paranaense.

Vagner Love e Gabriel Jesus que tratem de resolver o impasse estatístico.

Torcida prestigia estreia de Mano e vê Willian golear

Desta vez foi uma vitória cristalina, sem ajuda da arbitragem, bem diferente daqueles 2 a 1 sobre a Ponte Preta na quarta-feira, vistos de uma cabine do Moisés Lucarelli por Mano Menezes.

Com Mano no comando e quatro gols de Willian, o Cruzeiro acaba de golear o Figueirense por 5 a 1 no Mineirão. Willian tinha marcado seu último gol em 21 de abril, contra o Sucre, na fase de grupos da Libertadores. Marcelo Oliveira ainda era o treinador.

Ao derrotar o Figueirense, o Cruzeiro ultrapassou a Ponte na ordem de classificação do Campeonato Brasileiro.

A Ponte largou bem na competição, mas desandou desde que perdeu o camisa 10 Renato Cajá, não vence há cinco rodadas e empatou agora, na matinê da Arena Condá, com a Chapecoense por 0 a 0.

Cruzeiro, em 13º lugar, e Ponte, em 14º, têm 28 pontos, mas os mineiros levam vantagem no número de vitórias – 10 a 8.

Parece que a torcida do Cruzeiro volta a acreditar no time. Os 5 a 1 foram vistos por 39.040 pagantes.

Rafinha não esquece o amor de infância

Rafinha: dia mais feliz da vida - Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Rafinha: dia mais feliz da vida – Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Sabe qual foi o dia mais feliz dos 22 anos de vida do paulistano Rafael Alcântara, filho do tetracampeão Mazinho e jogador do Barcelona?

Foi este sábado, 5 de setembro de 2015, em que ele vestiu em campo, pela primeira vez, a camisa da Seleção, durante apenas 11 minutos do 1 a 0 sobre a Costa Rica. Com a palavra, Rafinha:

– É o dia mais feliz da minha vida. Realizei hoje um sonho de infância. Imaginei este dia inúmeras vezes, mas a realidade foi ainda melhor.

Em curta entrevista  ao site da CBF, Rafinha conta que se apaixonou pela Seleção em 2002, o ano da conquista do penta mundial:

– Quando era garoto e jogava pelada com meu irmão no condomínio onde a gente morava, gostava de brincar que era um dos jogadores daquele time. Sempre quis usar essa camisa justamente por causa deles.