Arquivo diário: 7 de maio de 2015

River bate Boca e pode pegar São Paulo ou Cruzeiro

Sánchez, de pênalti, põe fim à invencibilidade do Boca

Sánchez põe fim à invencibilidade do Boca

Agora, o mexicano Tigres, convidado para a festa, é o único time invicto na Libertadores e o primeiro a se classificar para as quartas de final.

O Boca Junior, que atravessou a primeira fase com 100% de aproveitamento, acaba de ser derrotado por 1 a 0 pelo River Plate no Monumental de Nuñez, gol do uruguaio Carlos Sánchez em cobrança de pênalti aos 36 minutos do segundo tempo.

Na quinta que vem, dia 14, o Boca precisa vencer por dois gols de diferença na Bambonera para garantir a classificação para as quartas de final nos 90 minutos.

O vencedor deste confronto argentino pegará, será o adversário do São Paulo ou do Cruzeiro, que terão decidido sua sorte um dia antes, no Mineirão. Os são-paulinos precisam de um empate para se classificar.

E agora, dona Fifa?

Na Espanha, o governo baixou um decreto que altera a negociação entre clubes e emissoras de televisão dos direitos de transmissão, a Federação Espanhola de Futebol resolveu retrucar com a suspensão duas últimas rodadas do campeonato nacional e a Liga Nacional de Futebol Profissional entrou na Justiça para garantir a continuidade da competição.

O que dirá a Fifa, tão acostumada a punir as federações de países em que o governo se intromete no futebol e as questões vão parar na Justiça?

O que vale para Camarões e Nigéria valerá para a poderosa Espanha?

Escolha neste benebol.com uma das alternativas como resposta:

·         Não

·         Não

·         Não

·         Todas as anteriores

 

A bola é sul-americana na Liga dos Campeões da Europa

É majoritariamente sul-americana a seleção europeia da semana, escolhida hoje no site da Uefa, com os argentinos Mascherano, Messi e Tévez, os brasileiros Daniel Alves e Neymar e o chileno Vidal.

Eu não disse que Liga dos Campeões da Europa até parece um aperitivo da Copa América que vem aí?

A porção europeia da seleção da semana da Uefa tem os italianos Bonucci, Chiellini e Marchisio, o alemão Neuer e o croata Rakitić.

A última vez de Fofão

Fofão: despedida na Suíça

Fofão: despedida na Suíça

O Rio de Janeiro de Bernardinho começa nesta quinta-feira, dia 5, a caminhada rumo ao título inédito de campeão mundial, enfrentando o anfitrião Volero Zurique às 15 horas (de Brasília).

A mais bem sucedida equipe do nosso vôlei feminino conta pela última vez com a levantadora Fofão, que espera se despedir em definitivo das quadras no domingo, dia 10, trazendo de Zurique a taça de campeã mundial.

Aos 45 anos, Fofão garante que sentirá saudades de Bernardinho, mas vai mesmo trabalhar com Zé Roberto Guimarães na comissão técnica da seleção feminina.

Ninguém mais do que ela merece este título em jogo na Suíça.

Atualização

As meninas do Rio de Janeiro venceram as anfitriãs 3 sets a 1, parciais de 30/28, 25/22, 33/35 e 25/22.

Fábio estrila, mas agora é tarde

Fabio: sem chance na Seleção

Fabio: sem chance na Seleção

Sempre muito discreto, na vida como debaixo do gol, o goleiro estrilou após a derrota de ontem para o São Paulo, em rápida entrevista a um grupo de repórteres no Morumbi:

– Infelizmente, eu não tenho influência nos bastidores, não tenho amizades. Dentro de campo, ano a ano, eu venho mostrando o que posso fazer, mas infelizmente eu não tenho reconhecimento da Seleção. Os critérios são diferentes comigo.

Fábio realmente foi injustiçado ao longo da carreira e por muito tempo fez por merecer uma convocação, mas foi chamado apenas em 2003 e 2004, por Carlos Alberto Parreira, para ser reserva de Júlio César na Copa das Confederações e na Copa América, e em 2011, por Luís Felipe Scolari, para alguns amistosos.

O ótimo goleiro do Cruzeiro nunca entrou em campo pela Seleção, demorou demais para reclamar e, aos 34 anos, a cinco meses de fazer 35, está um tanto velhinho para estrear com a camisa amarela.

São Paulo e Atlético mudam de rumo nos últimos minutos

No Morumbi, na noite desta quarta-feira,o goleiro Fábio salvou sucessivas vezes o Cruzeiro, mas o São Paulo tanto insistiu que acabou encontrando o gol em cabeçada de Centurión aos 37 minutos do segundo tempo.

O 1 a 0 permitirá aos são-paulinos jogar pelo empate na quarta-feira que vem para sair do Mineirão classificado para as quartas de final da Libertadores.

No Independência, por muito pouco o Internacional não garantiu a vitória por 2 a 1. Até que o time gaúcho merecia, mas o Atlético Mineiro mostrou mais uma vez que não se entrega às adversidades. Aos 49 do segundo tempo, um minuto depois de acertar o poste direito do goleiro Alisson, Leonardo Silva empatou.

Ao Inter, bastará um empate por 0 a 0 ou 1 a 1 no Beira-Rio, mas quem ousará desacreditar neste inacreditável Atlético?