Arquivo diário: 24 de maio de 2015

Sport é o líder, Fla e Cruzeiro estão no Z-4

Ilha do Retiro: Sport vence e não esquece Zé do Rádio

Ilha do Retiro: Sport vence e não esquece Zé do Rádio

Os últimos minutos foram de sufoco na Ilha do Retiro, mas o Sport resistiu bem as esforços desesperados do Coritiba, segurou o 1 a 0 do primeiro tempo e, assim, é o novo líder do Campeonato Brasileiro, com sete pontos conquistados em três rodadas, e quatro gols de saldo.

A torcida festejou a vitória com múltiplas homenagens ao torcedor Ivaldo Firmino dos Santos, que morreu na quinta-feira e era nacionalmente conhecido como Zé do Rádio, apelido que lhe foi dado pela insistência em ligar seu aparelho em alto volume para irritar os técnicos dos times adversários em todos os jogos do Sport na Ilha do Retiro.

No outro jogo da noite, no Mineirão, os reservas do Cruzeiro finalmente conseguiram o primeiro ponto no Brasileirão, empatando com a Ponte Preta por 1 a 1, saiu da lanterna e agora está em 18º lugar, logo atrás do Flamengo, que fecha o Z-4, e tem como vizinhos mais próximos, já fora da zona de rebaixamento, o Palmeiras e o Vasco.

Os grandes que se cuidem na competição que tem o Sport como líder e  o Goiás como vice.

Anúncios

Nasr rende mais para a equipe do que Massa

Assim rodam os pilotos brasileiros nas pistas da Fórmula 1 em 2015:

  • Felipe Nasr, nono colocado no campeonato de pilotos, com 16 pontos conquistados em três das seis provas já disputadas nesta temporada, é responsável por 76,2% dos 21 pontos que dão à Sauber a quinta posição no campeonato de construtores.
  • Felipe Massa, em sexto lugar no campeonato de pilotos, com 39 pontos somados em cinco GPs, é responsável por 48,1% dos pontos da Williams, terceira colocada no campeonato de construtores.

Brasileirão: a briga pela liderança continua à noite

Os resultados da tarde deste domingo deixam a Ponte Preta, que pega o Cruzeiro no Mineirão, e o Sport, que recebe o Coritiba na Ilha do Retiro, na expectativa de fechar a terceira rodada na liderança do Brasileirão, com os mesmo sete pontos de  e Corinthians, mas com maior saldo de gols.

A tarde foi apenas razoável para Fluminense e Corinthians, que não saíram do zero no Maracanã, surpreendentemente feliz para o Atlético Paranaense, que venceu o Atlético Mineiro por 1 a 0 na Arena da Baixada, e para a Chapecoense, que derrotou o Santos também por 1 a 0 na Arena Condá, e inacreditável para o Avaí, que bateu o Flamengo por 2 a  1.

Tão inacreditável quanto o resultado na Ressacada é o fato de a arbitragem ter prejudicado o Flamengo.

No gol da vitória do Avaí, a bola saiu claramente pela linha de fundo antes de Anderson Lopes rolá-la para Hugo marcar. Nem o bandeirinha Anderson José de Moraes Coelho nem o árbitro Raphael Claus viram.

Se Guerrero pode perder, como perdeu, a chance de fazer 1 a 0 no Maracanã com a bola rolando à sua frente diante do gol vazio, por que árbitro e bandeirinha teriam a obrigação de acertar sempre? Não se diz que a justiça é cega?

Na parte de cima da tabela, antes dos jogos das 18h30, o São Paulo, o Atlético Paranense e a Chapecoense, todos com seis pontos,  distribuem-se entre o terceiro e o quinto lugar, seguidos por nada menos que oito times, cada um deles com quatro pontos.

No fundão, cada um com um reles pontinho, estão Flamengo, Figueirense, Joinville, todos à frente do Cruzeiro, que vai encarar a Ponte com um time quase todo reserva na batalha para sair do zero.

Festa verde no Allianz Parque

Pequena torcida do Goiás faz festa no Allianz Parque

Pequena torcida do Goiás faz festa no Allianz Parque

Bem que a torcida do Palmeiras se preparou para fazer a festa na matinê do Allianz Parque.

No maltratado gramado, porém, o time não colaborou.  Depois de muito toque e pouca ofensividade, acabou sendo derrotado pelo Goiás por 1 a 0, gol contra de Victor Ramos, mandando para as redes uma bola cruzada por Bruno Henrique após driblar meio Palmeiras.

O árbitro erradamente atribuiu o gol a Péricles e acertadamente deu o segundo cartão amarelo a Bruno Henrique, tirando-o do jogo a 10 minutos do final, porque ele foi comemorar junto com a torcida a jogada que deu a vitória ao Goiás.

A primeira derrota palmeirense no campeonato, em seguida a dois empates, foi vista por 37.337 torcedores, que deixaram quase R$ 2,5 milhões nas bilheterias.

É muita gente e muito dinheiro para o futebol não tão rico mostrado até agora pelo time de Oswaldo de Oliveira.

Comparando: o público total dos três jogos de ontem – São Paulo 3 x 0 Joinville, Vasco 1 x 1 Internacional e Grêmio 1 x 0 Figueirense – foi de 27.740 torcedores. A renda somada dos três foi de exatos R$ 905.778,00.

Do jeito que o Palmeiras está levando o campeonato dentro do campo, daqui a pouco a torcida desaparece. Mesmo assim, houve festa verde na matinê deste domingo – de uns poucos gatos pingados que torceram pelo Goiás no Allianz Parque.

Atualização

Na súmula, que você já pode ler no site da CBF, o árbitro atribuiu acertamente o gol do Goiás ao palmeirense Victor Ramos.

Adivinhe quem venceu em Mônaco

GP de Mônaco 245Mancada da Mercedes em Mônaco coloca Rosberg na história e tira vitória de Hamilton

Tá nas caras: Nico Rosberg conquistou neste domingo sua terceira vitória consecutiva no Grande Prêmio de Mônaco.

É um feito histórico. O piloto alemão entra para a seleta galeria de tricampeões em companhia de Ayrton Senna, Graham Hill e Alain Prost.

É um resultado importantíssimo para a briga pelo título de 2015: Rosberg ficou a apenas dez pontos do líder Lewis Hamilton, que terminou a prova em terceiro lugar, atrás de Sebastian Vettel.

Este 24 de maio que marcará para sempre a carreira de Nico Rosberg teria outro resultado se não fosse a monumental mancada da Mercedes, que chamou Hamilton para um pit stop extra a 14 voltas do fim da corrida,  quando o safety car entrou na pista após uma batida Max Verstappen.

Hamilton liderava folgadamente a prova, mas voltou em terceiro. E em terceiro ficou. De tão irritado, sempre com cara de poucos amigos, errou até o seu lugar no pódio. Ganhou apenas um pedido de desculpas do chefe Toto Wolff:

– Nós pensamos que a diferença era maior do que era. Foi um erro de julgamento completo.  Estragamos tudo para ele. Sentimos muito.

Rosberg fica devendo essa à equipe.