Arquivo diário: 27 de maio de 2015

Libertadores: éramos cinco, somos um

Gabriel Xavier agarra Gonzalo Martínez , é expulso e sai  aplaudido

Gabriel Xavier agarra Gonzalo Martínez , é expulso e sai aplaudido

Éramos cinco quando começou a Libertadores. Depois de alguns sustos na fase de grupos, os cinco chegaram às oitavas.

Como a tabela determinava dois cruzamentos locais, somente três dos cinco poderiam chegar às quartas: o Cruzeiro tirou o São Paulo, o Internacional tirou o Atlético Mineiro, o Corinthians tropeçou na própria incompetência e foi tirado pelo paraguaio Guaraní.

Nas quartas, então, éramos dois: Cruzeiro e Inter.

O Inter foi à Colômbia, perdeu para o Independiente Santa Fe, mas virou a parada no Beira-Rio nesta quarta-feira e está nas semifinais.

O Cruzeiro foi à Argentina, venceu o River Plate e voltou para Belo Horizonte precisando apenas de um empate. Parecia que seríamos dois nas semifinais. Parecia. O Cruzeiro acaba de ser trucidado pelo River no Mineirão.

Placar: 3 a 0 para o River.

E, no palco em que a Alemanha enfiou 7 a 1 no Brasil, o Cruzeiro não caiu de quatro por que, a três minutos do final, o garoto Gabriel Xavier agarrou o argentino Gonzalo Martínez por trás para evitar que ele invadisse sozinho a área do goleiro Fábio.

Levou o cartão vermelho e saiu aplaudido pela torcida.

Anúncios

O Inter dos velhinhos está nas semifinais

Rafael Moura: aos 42 do segundo tempo, o gol da classificação

Rafael Moura: aos 42 do segundo tempo, o gol da classificação

Um gol aos 2 minutos e jogo, outro a três de se completarem os 90 regulamentares, e assim o Beira-Rio tomado por 44.665 torcedores festejou a classificação do Internacional para as semifinais da Libertadores.

O Independiente Santa Fe, que havia vencido na Colômbia por 1 a 0, não teve tempo para curtir a vantagem, mas nem por isso se acanhou nos domínios colorados. Levou algum sufoco nos primeiros minutos, é verdade, mas conseguiu reagir aos poucos e jogou de igual para igual toda a segunda metade do primeiro tempo .

Para isso, contou com alguma sorte. Por volta dos 15 minutos, Eduardo Sasha se contundiu e foi substituído por Valdívia, mais afoito e menos compenetrado, o que desorganizou um pouco o Inter. O Santa Fe aproveitou para se impor em campo.

No segundo tempo, o Inter voltou melhor, com renovada disposição para chegar ao segundo gol, e os colombianos passaram a marcar com extrema dureza, muitas vezes até com deslealdade, que acabou lhes custando uma dupla e fatal punição: a expulsão de Mosquera aos 22, e de Anchico, aos 37.

Aos 38, de longe, pois também fora expulso do campo de jogo, Diego Aguirre mandou Rafael Moura substituir o lateral Geferson e, quatro minutos depois, foi premiado com o gol que garantiu o Inter nas semifinais. D’Alessandro, um dos destaques do jogo, bateu o escanteio, Rafael Moura cabeceou para as redes.

O outro grande destaque do Inter foi o zagueiro Juan, não só pelo gol que abriu o placar e o caminho para a classificação, mas também pela onipresença na defesa.

Foi a noite dos velhinhos do Inter.

A Fifa não baniu ninguém

Banir, como bem define o Aurélio, significa:

  • expulsar da pátria; expatriar; desterrar
  • expulsar ou excluir de uma sociedade
  • afastar; afugentar
  • eliminar; proscrever; abolir

Portanto, bem diferentemente do que tem publicado boa parte da mídia brasileira, a Fifa não baniu do futebol nenhum dos sete presos na manhã desta quarta-feira em Zurique – e nem poderia “banir provisoriamente”, como andam publicando por aí.

Em bom inglês, o comitê de ética da Fifa “provisionally banned from taking part in any kind of football-related activity at national and international level” – ou seja, “proibiu provisoriamente de tomar parte em qualquer tipo de atividade relacionada com o futebol a nível nacional e internacional” os cartolas investigados pelas autoridades norte-americanas.

Nem o Flamengo gosta do que a Globo vai mostrar

O Flamengo não anda nada satisfeito com o futebol do time, tanto que mandou embora o treinador Vanderlei Luxemburgo, mas a Globo está deslumbrada.

É o que prova a programação da emissora para a noite desta quarta-feira, 27, às 22 horas:

  • Flamengo x Naútico será mostrado em 22 estados.
  • Palmeiras x ASA será transmitido para paulistas, alagoanos e, sabe-se lá a razão do castigo, paranaenses.
  • Cruzeiro x River Plate, o biscoito fino da noite, será exibido apenas em Minas e no Rio Grande do Sul.

O que vale o confronto entre o Flamengo, hóspede ilustre do Z-4 no Brasileirão, e o Náutico, líder da Segundona? É o primeiro dos dois jogos que eles farão pela terceira fase da Copa do Brasil, valendo vaga nas oitavas de final.

Igual valia tem o jogo Palmeiras x ASA, embora com pequeno e injusto acréscimo: pode valer também o emprego de Oswaldo de Oliveira.

 De nada vale, então, o jogo entre o Cruzeiro, campeão brasileiro, e o River Plate, vice-campeão argentino – deduzirá o telespectador.

Engano global, meu caro: o jogo vale uma vaga nas semifinais da Libertadores. O vencedor ficará a 360 minutos do título de campeão sul-americano e, consequentemente, da classificação para o Mundial de Clubes que será disputado em dezembro no Japão.

Outro jogo da noite com o mesmo valor é Internacional x Independiente Santa Fe, às 19h30, mas este nem sequer será visto na televisão aberta. É reservado, por razões contratuais, a quem tem tevê por assinatura.

Ainda bem que os ianques estão chegando

Diante das notícias que estão chegando da Suíça e podem ser lidas em todos os portais sobre a prisão de pelo menos sete destacados cartolas das Américas a pedido de autoridades norte-americanas, incluindo o brasileiro José Maria Marín,  cabe uma pergunta: será que virá dos Estados Unidos a faxina que o mundo da bola pede há tanto tempo?

Confira no UOL, no Globo.com, no IG e no Terra.

Atualização

A prisão de altos dirigentes e ex-dirigentes do futebol e a condenação do empresário J. Hawilla pela Justiça dos Estados Unidos, que inclui uma multa de US$ 151 milhões, são a manchete da edição digital de alguns dos principais jornais do mundo, como The New York Times, The Guardian e Le Monde. A exceção é El País, que baixa a bola na primeira página de sua edição espanhola e, um pouco menos,  na edição brasileira.

Dê também uma olhadinha em Tiro Livre.

Sóbis põe o Tigres nas semifinais da Libertadores

Sóbis: gol e assistência classificam o Tigres

Sóbis: gol e assistência classificam o Tigres

Rafael Augusto Sóbis do Nascimento, gaúcho de Erechim, feito profissional do futebol nas divisões de base do Internacional, garantiu nesta quarta, 26, a classificação do mexicano Tigres para as semifinais da Libertadores.

Logo aos 5 minutos do jogo em Monterrey, Sóbis fez 1 a 0 para a equipe mexicana, que precisava de mais um gol para defenestrar o Emelec sem ter de ir aos pênaltis.

O Tigres mandou no jogo, teve paciência para procurar o segundo gol sem ceder espaço aos contra-ataques equatorianos e, aos  34 do segundo tempo, finalmente chegou aos 2 a 0, gol de Rivas concluindo uma bela jogada do brasileiro Tóbis pela esquerda.

Agora, por ironia da bola, Sóbis pode se reencontrar nas semifinais com o Inter, desde que os gaúchos passem nesta quinta, 27, pelos colombianos do Independiente Santa Fe e, por um desses absurdos do regulamento da Libertadores, o Cruzeiro caia no Mineirão diante do River Plate, o que  é bastante improvável.

Se os dois brasileiros chegarem às semifinais, terão de se enfrentar para definir qual será o finalista. É o que determinam as regras da Conmebol. E o Inter, então, só pegará Sóbis se ambos forem à final.