Arquivo diário: 23 de maio de 2015

Das três aves tricolores, quem brilhou foi o Pato

Pato 235aPato quase tira a camisa para comemorar o terceiro gol do São Paulo no Morumbi

Quem bem observou, durante a semana, foi o jornalista Luis Augusto Símon, em seu Blog do Menon:

– O São Paulo tem Ganso, tem Pato e também tem o seu Pavão.

Das três aves tricolores, a que mais voou nos últimos dias foi o Pavão, por mais que tenha negado a viagem entre Sampa e Medelin, mas quem brilhou no Morumbi foi o Pato.

O São Paulo já vencia o Joinville por 1 a 0 desde os 100 minutos do primeiro tempo, com um gol do zagueiro Doria, mas passou a mandar de fato no jogo no segundo tempo, com Pato no ataque em substituição a Luís Fabiano.

Pato deu a bola para Michel Bastos fazer 2 a 0 aos 13 e fez 3 a 0 aos 40.

Comemorou o gol com vibração incomum. Quase tirou a camisa para mostrar a plumagem, mas se lembrou de que não é o Pavão, é o Pato.

No final do jogo, fez questão de encher a bola do parceiro Luís Fabiano:

– Eu quero jogar com ele. Dá para fazermos uma boa dupla. Já fizemos bons jogos no início do ano passado.

O Vasco de Doriva continua sem vencer no Brasileirão

Nilmar: um gol e homenagem a Romário

Nilmar: um gol e homenagem a Romário em São Januário

E o Vasco de Doriva fecha a participação na terceira rodada do Brasileirão com o terceiro empate seguido. Desta vez, pelo menos fez um golzinho.

Em São Januário, saiu perdendo para o Internacional por 1 a 0, com um gol de Nilmar aos 45 minutos do primeiro tempo, mas chegou ao 1 a 1 aos 35 do segundo, gol do volante Lucas.

O Inter, quase todo reserva, já se virava em campo com dez contra 11, mas o Vasco fazia por merecer pelo menos o empate após criar e  desperdiçar chances inacreditáveis para fazer o gol.

Partiu do único titular colorado uma surpreendente homenagem a um antigo e incomparável goleador vascaíno: Nilmar comemorou 1 a 0 fazendo uma solene reverência à estátua de Romário  em São Januário.

A alguns pode ter parecido ironia. Foi uma homenagem emocionada, explicou o craque colorado ao sair de campo:

– Romário sempre foi o meu maior ídolo no futebol. Se eu jogasse 1% do que ele jogou…

Doriva tem de vencer o Internacional

Doriva: semana complicada

Doriva: semana complicada

A cinco dias de fazer 43 anos, Dorival Guidoni Júnior, paulista da pequena Nhandeara, está vivendo no Rio de Janeiro as primeiras agruras como treinador de futebol e precisa conduzir o seu Vasco a uma vitória sobre o Internacional às 18h30 deste sábado, dia 23, para não sair de São Januário de mal com a torcida que, há três semanas, o saudava como comandante do campeão carioca.

Depois de quatro empates seguidos, dois pelo Brasileirão, dois pela Copa do Brasil, três deles por 0 a 0, não falta vascaíno disposto a apupar o ‘retranqueiro’ que deu forma ao Ituano campeão paulista de 2014 e a este Vasco que, depois do título carioca, tem como aspiração mais viável em 2015 escapar do retorno à Segundona em 2016.

Doriva vai fazendo competente sua parte no esforço para manter o Vasco pelo menos naquela parte cinzenta da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro em que não estão os candidatos a uma vaga na Libertadores nem os condenados ao rebaixamento. Com alguma sorte, dá até para sonhar com uma vaga na Copa Sul-Americana.

Ele não escolheu o time que está treinando, não bate nem desperdiça pênaltis, não chuta a gol e, portanto, pode se dar por satisfeito quando vê o Vasco dominando os jogos, embora o domínio não se reflita no placar. E seu trabalho conta até agora com o reconhecimento do presidente Eurico Miranda, que tem muitos defeitos, mas não o de se intrometer no dia a dia dos treinamentos.

Doriva é o 12º treinador a tentar dar um jeito no Vasco de 2010 para cá – e o segundo a conquistar um caneco; o outro foi Ricardo Gomes, campeão da Copa do Brasil em 2011.

Por que diabos, então, Doriva vive seus primeiros dias de agruras como treinador empregado em um grande clube?

Como não é bobo, o jovem treinador já deve ter sacado que as limitações do elenco vascaíno, exceção feita ao goleiro Martín Silva e a alguns jovens promissores que ele pouco tem escalado nos jogos importantes, vão afligi-lo até o fim da temporada e progressivamente aumentarão a impaciência dos nunca pacientes torcedores vascaínos.

Se não bastassem os problemas caseiros, o técnico do Vasco ainda teve de conviver nos últimos dias com uma inoportuna proposta do Grêmio para trocar o Rio por Porto Alegre e um timinho fraco por outro. Resolveu ficar onde está, mas certamente perdeu a concentração para o jogo tão importante desta noite contra os reservas do Internacional.

Além de não conseguir o que queria, o cartola gremista Romildo Bolzan atrapalhou o trabalho de Doriva e, atrapalhado como todo bom cartola, acabou ajudando o Inter. Os colorados agradecem.

Novamente campeão, Bellucci vai a Roland Garros

Bellucci: campeão em Genebra

Bellucci: campeão em Genebra

Thomaz Bellucci vai desembarcar em Roland Garros como campeão!

Depois de quase três anos de jejum, o principal tenista brasileiro voltou a conquistar o troféu de um torneio ATP neste sábado, 23, ao derrotar em Genebra o português João Sousa por 2 sets a 0.

O título do ATP 250 de Genebra vai colocar Bellucci na 39ª posição do ranking mundial  que será divulgado amanhã pela entidade. É a primeira vez, nos últimos dois anos, que o brasileiro alcança o top 40.

Bellucci estreará em Roland Garros, na segunda ou na terça-feira, contra o australiano Marinko Matosevic.

Aquele La Coruña é apenas um pôster na parede

Djalminha: quando o Deportivo era campeão

Djalminha: quando o Deportivo era campeão

Parece que, dos titulares, o Barça vai escalar apenas os fominhas Messi e Neymar no jogo de logo mais contra o Deportivo La Coruña pela última rodada do Campeonato Espanhol.

Afinal, tudo é festa em Barcelona.

Campeão espanhol desde a penúltima rodada, o time de Luis Enrique está se guardando para a decisão do título europeu no dia 6 de junho, embora ainda tenha pela frente um jogo apronto de luxo, no próximo sábado, contra o Athletic Bilbao, valendo o caneco da Copa do Rei.

O Deportivo La Coruña, no entanto, jogará no Camp Nou para escapar ao rebaixamento. E precisa da vitória para não ficar na dependência de outros resultados. Bem que Luís Enrique poderia ser mais camarada e escalar os outros nove, mas poupar Messi e Neymar.

O jogo tem certo encanto para os brasileiros, não apenas aqueles que acompanham o Barça de hoje, mas também os que torceram pelo Deportivo La Coruña nas temporadas em que lá brilharam Mauro Silva, Bebeto, Rivaldo e, campeões espanhóis em 2000, o zagueiro Donato e o cracaço Djalminha.

Hoje, aqueles bons times são apenas pôsteres na parede de uns poucos saudosistas.

Atualização

Messi não perdoa: fez dois e chegou aos 43 gols em 38 jogos do Campeonato Espanhol.

Na despedida do capitão Xavi Hernández, diante de 93.743 torcedores no Camp Nou, Barcelona 2 x 2 Deportivo La Coruña.

Ufa! O Deportivo escapou da degola e continua na elite em 2016.