Arquivo diário: 20 de agosto de 2015

Zebra cearense pasta no gramado do Morumbi

A primeira rodada das oitavas de final da Copa do Brasil fechou com uma vistosa zebra no Morumbi: São Paulo 1 x 2 Ceará.

Rafael Costa fez 1 a 0 logo aos 17 minutos. Bem que o time de Juan Carlos Osorio tentou reagir, foi para o ataque, dominou o jogo, martelou, martelou, mas o goleiro Luis Carlos fechou o gol e só foi vazado por Alexandre Pato aos 22 do segundo tempo, depois que Rafael Costa já tinha feito 2 a 0.

A surpreendente vitória permitirá ao time cearense, lanterninha absoluto da Série B do Brasileirão, classificar-se em casa para as quartas de final da Copa do Brasil mesmo perdendo por 1 a 0 o jogo da próxima quarta-feira.

Os jogos das 19 horas tiveram resultados mais previsíveis, embora o Fluminense tenha sofrido para vencer no Maracanã.

O calendário do futebol brasileiro não é muito propício aos velhinhos. E o Flu andou perto de se dar mal: perdeu os trintões Fred e Ronaldinho Gaúcho, machucados, e já estava quase conformado com o empate por 1 a 1 com o Paysandu, mas foi salvo pelo quase lateral Renato, que fez 2 a 1 aos 48 do segundo tempo.

O quase quarentão Magno Alves, que substituiu Fred, tinha feito o primeiro gol do Flu. Em Belém, na próxima quarta, o Flu joga por um empate, mas ao Paysandu basta uma vitória por 1 a 0 para ir em frente. E o retrospecto no Brasileirão mostra que o Flu dos velhinhos é uma visitante frágil: perdeu cinco dos nove jogos que fez fora de casa.

Com gols de Vitinho e Valdívia, no Beira-Rio, o Internacional derrotou o Ituano por 2 a 0 e ficou muito próximo das quartas de final da Copa do Brasil. Na semana que vem, em Itu, corre um único e pequeno risco: excesso de confiança.

Não é problema que possa afetar uma equipe comandada por Argel Fucks, acostumado a trabalhar permanentemente em alta tensão. Será sempre mais fácil se ver em campo um Inter excessivamente pilhado do que acomodado.

Anúncios

Fla e Oswaldo de Oliveira rolam em ritmo parecido

Oswaldo de Oliveira está de volta ao Flamengo, que havia comandado em 2003.

De lá para cá, sem contar os interinos, o clube empregou e desempregou 25 treinadores – entre eles, Joel Santana, três vezes; Waldemar Lemos, que substituiu o irmão Oswaldo em 2003, duas vezes; e Vanderlei Luxemburgo, também duas vezes.

Nesses 12 anos, Oswaldo também mudou muito de emprego, tendo trabalhado no Corinthians, pela segunda vez; Vitória; Santos;  Al-Ahli;  Fluminense, também pela segunda vez; Cruzeiro; Kashima Antlers, por quatro temporadas;  Botafogo; novamente Santos; e  Palmeiras.

.

E agora, Tite?

Tite: como montar o Corinthians sem Luciano?

Tite: como montar o Corinthians sem Luciano?

A notícia não poderia ser pior para o Corinthians a esta altura do Brasileirão, se a gente lembrar que a Copa do Brasil tem tudo para acabar na quarta-feira: o garoto Luciano só voltará aos campos em 2016.

E agora, Tite?

O que será deste Corinthians que lidera o Brasileirão, mas tem enorme dificuldade para marcar gols, e foi competentemente rearrumado por você após se ter esfarelado o sonho da Libertadores e, pior ainda, terem ido embora os atacantes Sheik e Guerrero?

Insistir com Vágner Love, que fazia o time empacar diante de quase todas as defesas e forçou você, após alguma relutância, a escalar Luciano, como já tinha feito com outro garoto, Malcom, para fazer o ataque funcionar?

Para quem olha de fora, outra saída não há, mas será solução?

Este Corinthians que estava retomando com o garoto de 22 anos o gosto por fazer gols e assim apeou da liderança o favorito Atlético Mineiro, para nela se instalar com jeito de mais forte candidato ao título, mostrará mais uma vez capacidade de reação diante da adversidade?

Em março, não eram poucos os que apressadamente listavam o seu time entre os melhores da história do futebol, capaz de jogar como igual contra o Barça de Messi, o Real de Cristiano Ronaldo ou o Bayern de Thomas Muller.

Veio um Guaraní lá do Paraguai para desfazer os devaneios que, aliás, você jamais alimentou. Em seguida, os dirigentes começaram o desmonte do time e apressadamente muitos decretaram o fim de todos os sonhos nesta temporada. Aqui mesmo, em 4 de junho, este blog decretou (para reler a nota, clique aqui):

A torcida corintiana pode guardar seu dinheirinho para comprar ingressos no ano que vem. O Corinthians desistiu de 2015.

Até você andava um pouco descrente, tanto que chegou a dizer algo parecido:

O presidente deu um passo para trás agora para dar dois à frente no ano que vem.

Continuou, porém, trabalhando duro e refez o time, rejuvenescendo-o na linha de frente, apostando novamente na força da marcação forte em todas as partes do campo,  pregando sempre que o saldo é muito mais importante do que o úmero de gols, exigindo “concentração alta dos atletas o tempo todo”, lição que confessou ter trazido do convívio com Carlo Ancelotti no ano passado.

Deu certo, tanto que o seu Corinthians foi o campeão simbólico do primeiro turno do Brasileirão. Deu certo, mas com a decisiva ajuda do goleador Luciano.

E agora, Tite?

Luciano não há mais.

Craque não tem preço, pelo menos para Rummenigge

O Manchester United se dispõe a pagar 85 milhões de euros ao Bayern de Munique para levar Thomas Muller.

Pelo menos é o que se especula em boa parte da mídia europeia. E mais: o clube inglês pagaria 1,3 milhão de euros de salário ao craque alemão. Salário! Mensal, portanto!

O problema é que Karl-Heinz Rummenigge, presidente do Bayern, não se abala com os milhões e garante: o craque não tem preço.

O futebol é uma caixinha de certezas

Tão difícil quanto Marco Polo Del Nero viajar aos Estados Unidos com a Seleção Brasileira é Cristóvão Borges emplacar setembro no comando técnico do Flamengo.

Atualização

Cristóvão Borges já não é mais técnico do Flamengo. O clube encarregou um malabarista para redigir o comunicado de despedida:

O Clube de Regatas do Flamengo lamenta a saída de Cristóvão, embora reconheça que os resultados não tenham sido aqueles esperados, o que não pode ser atribuído exclusivamente a ele.

Os piores serão os melhores

Depois de engrenar no Campeonato Brasileiro, o Grêmio larga com boa vantagem na reta final da Copa do Brasil ao vencer o Coritiba por 1 a 0. Foi a única vitória de um visitante nos cinco jogos desta quarta-feira. Assim. Basta-lhe um empate em Porto Alegre para chegar às quartas de final.

Em Belo Horizonte, o Atlético Mineiro emendou as agruras recentes no Brasileirão com um decepcionante 1 a 1 com o Figueirense, conseguido aos 47 minutos do segundo tempo. Um 0 a 0 em Santa Catarina classificará o Figueirense.

Se o vice-líder do Brasileirão se deu mal em casa, não foi nada feliz o líder Corinthians ao visitar a Vila Belmiro. Em noite iluminada de Lucas Lima, o Santos venceu por 2 a 0, gols de Gabriel e de Marquinhos Gabriel, e pode até perder por 1 a 0 o jogo da próxima quarta em Itaquera. E o Corinthians, além de perder o jogo, perdeu o garoto Luciano,  ainda no primeiro tempo, com uma torção no joelho direito que pode afastá-lo dos campos por alguns meses.

No Allianz Parque, vestido de azul, o Palmeiras venceu o Cruzeiro, de branco, por 2 a 1 e vai ao Mineirão precisando apenas do empate. Ao Cruzeiro, bastará uma vitória por 1 a 0 para seguir em frente na Copa do Brasil.

Jorge Henrique: primeiro gol pelo Vasco

Jorge Henrique: primeiro gol pelo Vasco

No Maracanã, sem valer vantagem de mando de campo, pois o segundo jogo também será lá, o Flamengo mais uma vez perdeu para o Vasco nesta temporada, agora por 1 a 0, gol de Jorge Henrique. Foi o primeiro dele com a camisa do Vasco.

E foi um gol histórico, na sexta vitória seguida do Vasco em clássicos cariocas nesta temporada, incluindo o Campeonato Carioca, o Brasileirão e a Copa do Brasil, feito que não se repetia desde 1947, segundo levantamento do jornalista Alexandre Mesquita, pesquisador da história vascaína e autor do livro Um Expresso chamado Vitória.

O feito histórico espelha o que foi a noite desta quarta-feira, 19 de agosto, em que os piores do Brasileirão, com exceção do Coritiba, foram os melhores da Copa do Brasil. Junto com o Grêmio, que está bem em todas, claro.

Futebol tem dessas coisas.