Arquivo diário: 21 de junho de 2015

Brasil ainda tem muito o que melhorar

Thiago e Firmino gols 216Brasil 2 x 1 Venezuela: um gol de Thiago Silva, outro de Firmino – Foto: Rafael Ribeiro/CBF

O Brasil ensaiou novos passos, chegou a prometer uma noite de muita alegria, fez 1 a 0 logo aos 8 minutos, com um golaço de Thiago Silva, mostrou Robinho com vontade de ficar no time, movimentou-se por todo o primeiro tempo, encurralou a Venezuela em seu quintal e abriu o sorriso de Neymar em sua posição de ilustre torcedor na tribuna do Monumental de Santiago.

O segundo tempo começou mais dividido, mas Firmino tratou de definir as coisas aos 6 minutos, fazendo 2 a 0 na conclusão de uma belíssima jogada de Willian. Apareceu, então, uma certa acomodação que incentivou os venezuelanos a procurar o jogo e acabou por lhes dar a chance de diminuir o placar aos 38 minutos, quando Dunga já tinha trocado Philippe Coutinho e Firmino por David Luiz e Tardelli.

É preocupante que o gol venezuelano tenha saído em mais uma falha do goleiro Jefferson nesta Copa América. Ele rebateu para a frente o chute de Arango numa cobrança de falta e Miku, de peixinho, devolveu a bola para as redes.

Pelo que se viu de bom, pode-se esperar mais deste Brasil sem Neymar das quartas de final em diante. É preciso, porém, que o time não se acomode jamais.

A bola mostrada até agora nos campos chilenos não permite tal luxo – nem mesmo contra os aguerridos paraguaios no próximo sábado, em Concepción, e muito menos contra argentinos ou colombianos nas semifinais.

Ficam assim as quartas de final

♦ Quarta-feira, 24, em Santiago: Chile x Uruguai

♦ Quinta-feira, 25, em Temuco: Bolívia x Peru

♦ Sexta-feira, 26, em Viña del Mar: Argentina x Colômbia

♦ Sábado, 27, em Concepción: Brasil x Paraguai

De péssimo a pior

Ontem, a situação do Vasco era péssima: vice-lanterna do Brasileirão, à frente apenas do Joinville.

Hoje, piorou: o Vasco é o lanterna absoluto e Doriva pediu o boné.

Amanhã, pode piorar ainda mais: fala-se por aí que Celso Roth será o novo treinador.

Em 27 anos como técnico, Roth mudou 30 vezes de emprego e exibe no currículo uma única conquista significativa –  o título da Libertadores de 2010 pelo Internacional, que dirigiu apenas nos quatro últimos jogos.

Foi ele que dirigiu o Inter desclassificado pelo glorioso Mazembe no Mundial de Clubes daquele ano.

Já foi técnico do Vasco duas vezes, em 2007 e em 2010, somando 16 vitórias, oito empates e 15 derrotas – aproveitamento de quase 48%.

Para quem se conforma com pouco, é bem melhor do que os 12,5%  de Doriva no Brasileirão.

São Paulo perde a liderança do Brasileirão em um minuto

Seria a quarta vitória consecutiva dos são-paulinos, a terceira sob o comando do colombiano Juan Carlos Osorio, se aos 44 minutos do segundo tempo Rafael Toloi, o zagueiro dos erros decisivos, não entregasse uma bola para André Lima empatar o jogo no Morumbi.

Mesmo assim, de todos os grandes candidatos ao título, o São Paulo é o único que vem confirmando a condição dentro do campo. A única derrota tricolor aconteceu na segunda rodada, em Campinas, para a Ponte Preta.

Enquanto se espera o jogo das 19h30 entre Fluminense e Ponte Preta, o G-4 é formado por Sport, com 18 pontos, São Paulo, com 17, Atlético Paranaense, com 16, e Atlético Mineiro, com 14.

Se a Ponte vencer o Flu no Maracanã, chegará a 16 pontos e expulsará os mineiros do grupo de elite, instalando-se no quarto lugar, com uma vitória a menos do que os paranaenses.

Ficou para o Rio o sonho de Marta

A Olimpíada de 2016, com a final do futebol marcada para o Maracanã, deve ser a última chance de Marta ganhar um título de primeira grandeza com a seleção brasileira.

A penúltima tentativa morreu há pouco em Moncton, no Canadá, com a derrota para as australianas por 1 a 0 nas oitavas de final do Mundial.

Além da Austrália. seguem na competição a Alemanha, grande candidata ao título que ontem venceu a Suécia por 4 a 1, e a China, que derrotou Camarões por 1 a 0.

Ainda estão na briga para chegar às quartas de final as quatro seleções que vão se confrontar daqui a pouco – França x Creia e Canadá x Suíça – e as seis que se enfrentarão na segunda e na terça – Noruega x Inglaterra, EUA x Colômbia e Japão x Holanda.

Um dia decisivo para Dunga na Copa América

Dunga 216Dunga: “Não queremos meninos, queremos homens!” – Foto: Rafael Ribeiro/CBF

O desrespeito voltou. Ouça Juan Arango, capitão da Venezuela:

– O Brasil não vive o seu melhor momento. E esse Brasil se complica sem Neymar.

E mais anda dizendo o veterano de 35 anos, que joga no futebol mexicano e  há dois meses mordeu em campo um jogador do Monterrey, mas, diferentemente do cracaço Luis Suárez, foi perdoado e está jogando a Copa América:

– Já aconteceram muitas surpresas. Nós ganhamos da Colômbia, que não era favorita contra o Brasil e também venceu. Nessa Copa América pode acontecer qualquer coisa. O Brasil não anda em seus melhores dias e nós estamos muito bem.

Era só o que faltava: o Brasil ser eliminado da Copa América pela Venezuela!

O mínimo que se espera dos trintões Jefferson, Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda, Fernandinho, Elias e Robinho é que o Brasil mostre tranquilidade no jogo das 18h30, já sabendo o resultado de Colômbia x Peru, e garanta o primeiro lugar do Grupo C.

É verdade que Dunga também andou enchendo a bola venezuelana ao falar do confronto de logo mais no Monumental de Santiago:

–  Não será fácil. A Venezuela atua de maneira compacta, sabe o que faz em campo, e, mesmo com um jogador a menos desde o primeiro tempo, não desistiu de atacar no jogo contra a Colômbia.

Não consigo imaginar que este seja o tom da conversa que ele terá com seus jogadores antes do jogo.

Dunga sabe muito bem que, sem Neymar, viverá hoje um momento decisivo com a Seleção: ou dá a volta por cima,  bota a Venezuela em seu devido lugar no mapa mundi do futebol e continua na briga pelo título da Copa América ou vai para o pelourinho mais uma vez na vida.

Acostumado desde os tempos de jogador a virar o placar dos jogos mais  desfavoráveis, o comandante da Seleção deu também sinais do que quer em campo daqui em diante:

– Não queremos meninos, queremos homens!

E o que vale para os trintões vale igualmente para Filipe Luís, que se associará ao clube no dia 9 de agosto, e para Willian, Phillipe Coutinho e Firmino, a reduzida ala jovem da Seleção que já deveria estar se armando para a Copa do Mundo de 2018 e não apenas lutando por mais um título da Copa América.

Brasil de Marta volta à luta pelo título mundial

O Brasil tem craque, sim, senhora.

E ela estará em campo daqui a pouco na cidade canadense de Moncton para reiniciar, agora em jogos de vida ou morte, a luta pelo inédito título mundial do futebol feminino.

Pelas oitavas de final, às 14 horas daqui, Marta vai enfrentar as australianas, conhecidas freguesas das meninas do Brasil tanto no Mundiais quanto nas Olimpíadas, e promete:

– Faremos de tudo para chegar à final aqui no Canadá. O nosso sonho é sermos campeãs mundiais e a batalha começa contra a Austrália.

Esqueça-se, portanto, a boa campanha da primeira fase, com três vitórias brasileiras, a última, sobre a Costa Rica, com o time quase todo reserva. É o que lembra o técnico Vadão:

– Ter ido bem na primeira fase faz bem para a autoestima do nosso grupo, mas agora é mata- mata.

Adivinhe quem foi ao pódio na Áustria!

Surpresa no Grande Prêmio da Áustria: pela primeira vez na temporada da F-1, Felipe Massa sobe ao pódio.

O brasileiro chegou em terceiro, à frente de Sebastian Vettel, atrás de Nico Rosberg, o primeiro, e Lewis Hamilton, o segundo.

Por essa nem o Dunga esperava.